Read In Your Own Language

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Roseana Quer Estatizar a Fundação Sarney

Eita povinho ixperto danado. Depois de tantas fraudes denunciadas, de tantos financiamentos de estatais, depois de tanta ladroagem, fica evidente que a Fundação Sarney é insustentável sem as burras públicas carregando grana de montão.

Estava futricando no seu Gugol e acabei de ver no Blog do Josias que a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, enviou à Assembléia Legislativa do Estado um projeto de lei que apresenta a proposta indecorosa de estatização da Fundação Sarney. Esse absurdo está no Diário da Assembléia da segunda feira passada. Assustado com a cara de pau, fui catar mais coisas e tem os links no fim dessa postagem
A governadora tem a cara de pau de escrever que com “grata satisfação”, submete à apreciação dos deputados projeto que cria a “Fundação da Memória da República Brasileira", uma entidade de “natureza jurídica pública” e que será inserida na administração do Estado como “sucessora da atual Fundação José Sarney”.
Sem o menor pudor, justifica a providência como boa para o estado dizendo que “Lamentavelmente, a história da Fundação tem sido marcada por constantes crises financeiras…” e acrescenta que sem “fontes públicas de financiamento”, a fundação da múmia vem se sustentando apenas com “assistemáticas contribuições de cidadãos e empresas privadas.”
Ah tá...Já que o sonho irresponsável e megalômano sem as verbas de terceiros não se sustenta, ponha-se na conta do povo maranhense.

Segundo a argumentação da bonitinha, o parágrafo 2o do artigo 216 da Constituição Federal, diz que "Cabem à administração pública, na forma da lei, a gestão da documentação governamental e as providências para franquear sua consulta a quantos dela necessitem.”
Já que o bigodão está se dispondo a transferir para o patrimônio da nova entidade todos os bens de sua propriedade “que se encontram na fundação, tudo fica bem "claro e evidente."
Prá não perder a postura, tia Rose ainda pede que a proposta seja analisada pelos deputados a toque de caixa, em regime de “urgência”, para que o acervo da nova fundação, que terá “como patrono o intelectual e político maranhense José Sarney, ex-governador do Maranhão, membro da Academia Brasileira de Letras e ex-presidente da República, não se perca no tempo, transferindo ao tesouro estadual sua preservação” .
Tem uma beirinha prá dois apaninguados, pois o artigo 5o da proposta que trata da composição do conselho curador da fundação, prevê que este terá 11 membros, dois dos quais indicados “pelo patrono” José Sarney.
Minucioso, o projeto prevê: “Em caso de falecimento” de Sarney as duas vagas de sua cota “serão providas por indicação dos herdeiros e/ou sucessores do patrono.”
Mais uma coisinha: O artigo 9o estabelece que “Os servidores da Fundação da Memória Republicana Brasileira serão regidos pelo Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado do Maranhão", sem nenhuma menção a concursos públicos. Fica subentendido que os atuais servidores da Fundação Sarney serão empurrados para dentro da folha salarial do Estado.
Acho que seja mais uma homenagem à democracia igual ao caso do avião de rosca.
No auge da crise do Senado, diante da denúncia de que sua fundação malversara verbas de patrocínio da Petrobras, Sarney acenara com a hipótese de fechá-la.
Só digo uma coisa: são enormes as chances de aprovação do projeto pois a curriola comandada pela famiglia é largamente majoritário na Assembléia.
Veja mais em Jornal Pequeno; Blog Marrapá; Blog Luiz Cardoso; Blog Politica Livre

Atualização às 15:55 - Via Estado de São PauloSÃO LUÍS - Os deputados estaduais do Maranhão aprovaram no início da tarde desta quarta-feira, 19, a estatização da Fundação José Sarney, criada pelo atual presidente do senado e expresidente José Sarney (PMDB-AP). Na sessão, compareceram 38 dos 42 parlamentares e apenas oito votaram contra, todos do bloco de oposição.
Mais cedo, os deputados estaduais maranhenses haviam aprovado por 32 votos a favor e três contra, o relatório da comissão de Constituição e Justiça que declarava a constitucionalidade do projeto de lei do governo, encaminhado no final da semana passada, com pedido de urgência, pela governadora Roseana Sarney (PMDB). Agora está em discussão a redação final do projeto.
A fundação é responsável pela administração do Convento das Mercês. O Projeto de Lei Nº 259/11 estabelece a criação da Fundação da Memória Republicana Brasileira, de "direito público e duração ilimitada", vinculada à Secretaria de Educação, cujo patrono seria o Presidente do Senado, José Sarney. A controversa lei ainda inclui no orçamento do governo do estado as despesas da Fundação.
BRASIL, MOSTRA TUA CARA, QUERO VER QUEM PAGA....

Um comentário:

Velvet Poison disse...

Tenho me sentido, cada dia mais, esgotada dessas notícias. Sarney desmente Darwin. Evolução nada!