Read In Your Own Language

sábado, 1 de janeiro de 2011

Primeiro Ministério Deelma

Guardem essa foto. depois é só marcar com um X vermelho os que forem se envolvendo em escândalos. Oremos.

Prazer, Marcela Temer

Uma belíssima jovem, loira, alta, "roubou a cena" durante a cerimônia de posse de Dilma Rousseff, neste sábado, em Brasília. Era Marcela Temer, 27 anos, esposa do novo vice-presidente da República, Michel Temer. Ele tem 70 anos, 53 a mais que ela.
Como pouca gente a conhecia, Marcela rapidamente foi alçada aos Trending Topics do Twitter durante a transmissão da posse de Dilma na TV. Todos queriam saber quem era aquela bela mulher. Falava-se em filha de Temer para acompanhar a filha de dona deelma.
No Twitter, Marcela se apresenta da seguinte forma: "Já fui modelo e miss. Agora sou vice primeira dama. rsrsrs" (sic).
Marcela foi eleita Miss Campinas em 2002 e ficou segundo lugar no concurso de Miss Estado de São Paulo no mesmo ano.
É um belo exemplar. Pena que vice aparece tão pouco.

Vai-te Oferenda


Registrando a Informação do Contador para a Eternidade

Saturday, january, 01st, 2011
0 days
0 hours
0 minutes
0 seconds
Acabooooooou Loola

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Cesare Battisti

Não vou escrever sobre esse ato imbecil e irresponsável de Noço Líder prá não estragar a página. Só digo que estou puto e revoltado. Pronto; falei.

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Feliz 2011

Amanhã é um dia meio corrido e não sei como estarei de inspiração e tempo, até porque tenho visitantes na taba; por isso antecipo meus desejos de um Feliz 2011 aos que habitualmente vêm tomar um tacacá conosco.
Muita Paz, Saúde e Prosperidade; do fundo de nosso coração.
E se alguma coisa acontecer e for forte demais prá você, pode chamar. Se doer, assobie que eu vou lá.
Do cacique Ajuricaba.

video

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A Tapir With No Name

Aproveitando a posse da nova Presidente da República, o blog Domínio Feminino http://dominiofemininodf.blogspot.com/ lembra que o cargo em pauta não tem mais o respeito pela cerimônia e liturgia que tinha e que é merecido; e sugere que, a partir de 2011; não se pronuncie nem escreva o nome da nova Presidente que toma posse neste dia 1º de Janeiro. Sinceramente, o esforço não será pequeno, mas é possível, até que se respeite o povo desse país que não vive a bajular as autoridades eleitas a custo da insensatez do povo, sensível às "pesquisas" de opinião e aos favores de bolsas e outras benesses.
Muitos já se comprometeram, explicita e abertamente, a colaborar e a idéia foi bem recebida no Twitter.
Por todo o governo do Noço Líder o povo foi obrigado a ler e ouvir o tal nome, sem cessar, a ponto dele ter quase 90% de aprovação, coisa que nem Jesus Cristo (Aquele a quem ele ousou se comparar por várias vezes) teve nem tem até hoje. (Dizem que no Ceará bateu em 100%. A ver...)
A imprensa nunca descobriu que basta citar a instituição, o Presidente da República. Prefere usar pesadamente o indivíduo de tal modo que perpetua e incentiva o culto à imagem, moralmente e criminalmente inaceitável.
Ainda estamos na busca de um termo comum. Por enquanto adotaremos a forma que já vinhamos aplicando no blog: dona deelma.
À frente...

Tá Acabando...











A Lenda do Guaraná


Um casal de índios pertencente a tribo Maués, vivia junto por muitos anos sem ter filhos mas desejavam muito ser pais. Um dia eles pediram a Tupã para dar a eles uma criança para completar aquela felicidade. Tupã, o rei dos deuses, sabendo que o casal era cheio de bondade, lhes atendeu o desejo trazendo a eles um lindo menino.
O tempo passou rapidamente e o menino cresceu bonito, generoso e bom. No entanto, Jurupari, o deus da escuridão, sentia uma extrema inveja do menino e da paz e felicidade que ele transmitia, e decidiu ceifar aquela vida em flor.
Um dia, o menino foi coletar frutos na floresta e Jurupari se aproveitou da ocasião para lançar sua vingança. Ele se transformou em uma serpente venenosa e mordeu o menino, matando-o instantaneamente.
A triste notícia se espalhou rapidamente. Neste momento, trovões ecoaram e fortes relâmpagos caíram pela aldeia. A mãe, que chorava em desespero, entendeu que os trovões eram uma mensagem de Tupã, dizendo que ela deveria plantar os olhos da criança e que deles uma nova planta cresceria dando saborosos frutos.
Os índios obedeceram aos pedidos da mãe e plantaram os olhos do menino. Neste lugar cresceu o guaraná, cujas sementes são negras, cada uma com um arilo em seu redor, imitando os olhos humanos.


Estimulante, tônico, vermífugo e até afrodisíaco - são muitas as propriedades atribuídas ao guaraná. Não estou me referindo ao conhecido refrigerante, mas do pó extraído dessa incrível semente com quais os índios da Amazônia faziam o Uaranã, ou "bebida dos senhores”.

Natural da Amazônia, o guaraná é um cipó que se enrosca no tronco das grandes árvores e sobe muito, podendo atingir até 10 metros. Suas flores são brancas, de formato parecido com as do café. Quando a flor cai, aparece o fruto, pouco maior que um grão-de-bico e fortemente colorido: vermelho em cima e amarelo embaixo. Desse fruto de aparência estranha, semelhante a um olho humano, é extraído o pó de guaraná, que você encontra facilmente em drogarias, casas de produtos naturais e nos grandes supermercados. Hoje a extração do pó de guaraná é altamente industrializada, mas entre os índios tinha o caráter de uma verdadeira festa, da qual todos participavam inclusive as crianças.
As sementes primeiras são maceradas, para separar a polpa. Depois de lavadas e secas, elas são trituradas e misturadas com mandioca ou água, para o preparo dos "pães" ou bastões, dos quais é finalmente obtido o pó de guaraná.
O pó de guaraná serve para quase tudo. Se você não acredita, veja só o que se consegue com uma única receita: ele é tônico, reconstituinte, calmante para o coração e relaxante muscular. Combate à arteriosclerose, é recomendado para diarréias, disenterias, nevralgias e enxaquecas. Como contém cafeína, também é usado como estimulante. Para quem vive preocupado com aqueles quilinhos a mais, nada melhor que o pó de guaraná: ele inibe o apetite e regula as funções intestinais. Também pode ser usado para combater bronquites renitentes e constipações acompanhadas de febre. Para os mais velhos, o pó de guaraná serve ainda como um tônico rejuvenescedor, pois combate o estado geral de fraqueza proveniente da idade avançada. E, além de tudo isso, alguns dizem que ele ainda é afrodisíaco.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Acho Que é o Fim do Mundo Chegando

Ontem Noço Líder na fixação exagerada de estar nas manchetes, "inaugurou a demolição de uma maquete".


Pensa que é brincadeira? Sua Inçelença Prisidençial deu uma marretada no brinquedinho que representava o chamado Elevado da Perimetral, levado pelo prefeito Eduardo Paes.

- Já que o presidente não podia ir à Perimetral, eu trouxe a Perimetral para o presidente e ele, simbolicamente, fez a demolição, que é a última etapa da obra (de revitalização da Zona Portuária), mas é a mais simbólica. É uma obra que o Rio espera há 40 anos. Teremos o ressurgimento de uma área no Centro da cidade - afirmou o prefeito do Rio.

De acordo com o secretário municipal de Desenvolvimento, Felipe Góes, a demolição da Perimetral começará no início de 2013 e vai até o fim de 2015.
==========================
Vejam aqui em baixo quanto Noço Líder gasta com publicidade.

Gênios do Empreendedorismo

Via Reinaldo Azevedo - Revista VEJA
Informam José Ernesto Credendio e Andreza Matais na Folha desta terça:

Dois dos filhos do presidente Lula, Fábio Luís e Luís Cláudio, abriram em 16 de agosto deste ano duas holdings -sociedades criadas para administrar grupos de empresas-, a LLCS Participações e a LLF Participações. Ao final de oito anos de mandato do pai, Lulinha e Luís Cláudio figuram como sócios em seis empresas. A Folha constatou, porém, que apenas uma delas, a Gamecorp, tem sede própria e corpo de funcionários. Seu faturamento em 2009 foi de R$ 11,8 milhões, e seu capital registrado é de R$ 5,2 milhões. Ela tem como sócia a empresa de telefonia Oi, que controla 35%. As demais cinco empresas não funcionam nos endereços informados pelos filhos de Lula à Junta Comercial de São Paulo. São, por assim dizer, empreendimentos que ainda não saíram do papel.
As seis empresas dos filhos de Lula atuam ou se preparam para atuar nos ramos de entretenimento, tecnologia da informação e promoção de eventos esportivos. São segmentos em alta na economia, que ganharam impulso do governo federal -Lula, por exemplo, foi padrinho das candidaturas vitoriosas do Brasil para organizar a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016. Na maioria desses negócios, Lulinha e Luís Cláudio têm como sócios pessoas próximas de Lula. Um dos mais novos empreendimentos da dupla, a holding LLCS, por exemplo, foi registrada no endereço da empresa Bilmaker 600, na qual os dois não têm participação societária.
(…)
Comento
Pois é… A classe operária foi ao paraíso numa espantosa velocidade. Também nesse caso se percebe que FHC e Lula são muito diferentes. Quando o tucano chegou à Presidência, seus netos eram herdeiros de banco — o então Banco Nacional. Quando ele deixou o cargo, seus descendentes eram “sem-banco”. A instituição havia quebrado, e o governo não moveu uma palha para salvá-lo.
Com os Lula da Silva, a coisa é diferente. Lidam com a, digamos, “carreira” muito melhor do que o pai lidava com o torno. Lulinha era monitor de jardim zoológico quando o pai chegou ao poder. Oito anos depois, é esse potentado — certamente mais rico do que os netos de FHC!

Vendendo o Peixe



Via Revista VEJA - Folha de São Paulo
Publicidade federal cresceu 1.522% no governo Lula

Veículos que recebem verba publicitária saltaram de 499 para 8.094, diz jornal.
A publicidade estatal apresentou crescimento de 1.522% no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com reportagem desta terça-feira do jornal Folha de S. Paulo, o número de veículos de comunicação que recebem verba de publicidade do governo federal saltou de 499 em 2003 para 8.094 em 2010.
E não foi só a distribuição dessa publicidade entre emissoras de rádio, TV, jornais, revistas e “outros veículos” que aumentou – o número de cidades onde a propaganda do governo é transmitida passou de 182 em 2003 para 2.733 neste ano. Na categoria “outros” estão inclusos veículos como sites, blogs, carros de som, outdoors, painéis em aeroportos e inserções em cinemas.
Em ano eleitoral, Lula passou a investir ainda mais dinheiro em publicidade. Somente em 2010, mais 1.047 novos veículos passaram a receber verba para propaganda do governo. Ainda segundo o jornal, Lula gasta, em média, 2,310 bilhões de reais por ano com propaganda.
====================================
Comento: A eloquência e a verborragia de Noço Líder, fortemente turbinadas e anabolizadas por "pequenas distribuições de verbas" como essas; "ajudaram" a que se atingisse os mais de 100% de sua aprovação e de seu (des)governo; sendo fator preponderante na eleição de sua candidata. Disso não se tenha nem dúvida.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Legalizando a Falcatrua

Magistrados se mobilizam contra proposta, em tramitação no Senado, que impede punição e estabelece benefícios tributários aos brasileiros que trouxeram para o País recursos mantidos no exterior e não declarados à Receita

Juízes federais que atuam em processos sobre crimes financeiros e desvios de recursos da União alertam para "efeitos nocivos" do projeto Cidadania Fiscal (354/09), que avança no Senado e contempla com anistia tributária e penal contribuintes brasileiros que repatriarem valores mantidos no exterior e não declarados à Receita. O governo estima em US$ 100 bilhões a fortuna que circula fora do País.

"O projeto é uma vergonha", classifica o juiz Sérgio Moro, titular da 2.ª Vara Criminal Federal de Curitiba, especializada em processos contra réus por lavagem de dinheiro, evasão de divisas e fraudes. "Embora a anistia seja destinada a crimes fiscais, de descaminho e financeiros, incluindo a evasão de divisas, na prática vai favorecer todo tipo de criminoso."

Na avaliação de Moro, o projeto poderá contemplar fraudadores do Tesouro e políticos que remeteram recursos públicos para paraísos fiscais. "Um corrupto não vai internar o dinheiro no País declarando ser ele produto de corrupção. Vai ser muito difícil investigar e discriminar a origem desse dinheiro."

O projeto concede extinção da punibilidade dos respectivos crimes contra a ordem tributária e crimes contra a administração pública também relacionados com a retificação da declaração.

Com relação aos bens e direitos declarados, serão mantidas a extinção da punibilidade ou a anistia penal ainda que a autoridade fiscal verifique que o patrimônio do contribuinte no exterior não tenha sido declarado na sua integralidade.

Os magistrados assinalam que o projeto não exige que seja comprovada a origem do dinheiro nem que se esclareça como ele foi parar no exterior. "O ideal seria a comunicação a uma instituição confiável, como o Ministério Público ou a Polícia Federal, para verificação da possível origem e natureza criminosa dos valores, especificamente se provenientes de outros crimes que não os abrangidos na anistia", sugere Moro.

Ao tratar da anistia, o projeto é taxativo. "Torna-se absolutamente imperioso dar ao contribuinte a segurança jurídica de que sua adesão afasta, inequivocamente, a aplicação de penalidades, principais ou acessórias de natureza tributária e, particularmente, de caráter penal."

O projeto é de autoria do senador Delcídio Amaral (PT-MS). "Só faz crítica quem não leu o projeto", ele rebate. "Esse dinheiro trazido de volta poderá ser investido em infraestrutura, habitação, agronegócio, ciência e tecnologia." O senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), relator na Comissão de Assuntos Econômicos, recomendou a aprovação e deu vista coletiva.

Pessoa física que retificar sua declaração de IR, ao invés de pagar a alíquota de 27,5%, deverá recolher à Receita, sem multa ou juros, 5% sobre o valor global dos bens ou direitos recém-declarados localizados no País.

Essa alíquota pode cair pela metade caso o contribuinte aplique os valores repatriados em determinadas áreas definidas. No caso das pessoas jurídicas, a regularização se dará pela incidência do IRPJ e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), com alíquotas de 10% e 8% respectivamente.

A Associação dos Juízes Federais (Ajufe) entregou nota técnica a todos os senadores. "O Brasil não pode aceitar esse tratamento benéfico ao capital que vai para o exterior de forma criminosa, na maioria das vezes fruto da corrupção ou do tráfico internacional de drogas", alerta Gabriel Wedy, presidente da Ajufe. "Essas operações são promovidas por organizações criminosas que fazem a remessa de seus lucros. O dinheiro da corrupção na política brasileira é obviamente encaminhado de forma ilícita. A sociedade não aceita mais esse tratamento privilegiado para corruptos. O projeto viola o princípio constitucional da moralidade."

Os juízes alegam que haverá grande dificuldade para discriminar a natureza e origem do dinheiro repatriado. "Fortalece o mercado negro de câmbio, que é utilizado não só para sonegar e remeter fraudulentamente dinheiro ao exterior por empresários e empresas, mas também usualmente pelo crime organizado e por agentes públicos corruptos em esquemas de lavagem de dinheiro", acentua Sérgio Moro.

"A lição passada aos cidadãos pelo projeto é ‘não declare, não cumpra com suas obrigações que um dia o governo o anistia’", adverte o juiz federal Ivo Anselmo Höhn Junior. "Por mais que a intenção seja a de atrair recursos para investimentos, creio que os prejuízos à moralidade e o incentivo à sonegação não compensam."

domingo, 26 de dezembro de 2010