Read In Your Own Language

sábado, 5 de janeiro de 2013

Mais Uma Química Financeira

 
Ano passado, para capitalizar a Petrobras, com suas finanças combalidas pela péssima administração do José Sérgio Gabrielli e os sucessivos saques para financiar filmecos, peças teatrais de quinta categoria, festas juninas e outros penduricalhos; o tesouro nacional transferiu para o BNDES recursos de impostos para adquirir ações da empresa que tinham micado no mercado internacional e não tinham sido transformadas em caixa, emperrando o plano de investimento da empresa.
Uma coisa criminosa, posto que usaram a empresa para fins espúrios e depois inventaram manobras tenebrosas que assustaram possíveis investidores internacionais.
Pois mais uma vez, para cobrir cagadas, o (des)governo federal usou uma manobra serrergonha para aumentar seu caixa e simular o pagamento dos juros da dívida, conhecido nas bocadas como superavit fiscal correspondente a 2012.
Usaram desta vez, os recursos do Fundo Soberano do Brasil (FSB), uma espécie de poupança que inventaram em 2008 com recursos teoricamente para investir em projetos estratégicos. A jogada foi tramada através de portarias publicadas parcelada, escamoteadamente e sem anúncio no Diário Oficial até com datas retroativas e permite ao governo dispor de cerca de R$ 19 bilhões.
O BNDES usou cerca de R$ 15 bilhões de saldo do fundo, sendo R$ 9 bilhões que dispunha estavam naquelas ações da Petrobras. Um detalhe: o valor das ações é estimado pois se a venda fosse através da Bolsa, derrubaria o preço das ações, prejudicando mais uma vez a empresa.
Para completar os R$ 12 bilhões, serão usados outros R$ 3 bilhões que já estavam em títulos no FSB.
Além disso, o fundo tem mais R$ 3 bilhões em ações do Banco do Brasil.
O Tesouro não detalhou oficialmente como será feita a transferência de recursos.
Além dessa pequena maracutaia, o governo vai usar o pagamento antecipado de dividendos pela Caixa Econômica Federal e pelo BNDES ao Tesouro Nacional.
Sem esquecer que tanto a Caixa quanto o Banco do Brasil, são os principais instrumentos da equipe econômica para tentar forçar as instituições privadas a conceder mais crédito a um custo menor, colocando estas instituições na alça de mira para a quebradeira junto com a própria Petrobras.
Ao lado do BB, a Caixa lidera a ofensiva oficial, mas o crescimento muito rápido da carteira de crédito tem consumido seu patrimônio.
Só prá saber, a meta de superavit é de 3,1% do PIB, que mesmo sendo pibinho, representa R$ 139 bilhões em 2012. Em novembro, faltava ainda um valor de R$ 57,1 bilhões para que a meta fosse cumprida. Com as operações do final do ano, o governo conseguirá reduzir essa diferença, mas ainda precisará de cerca de R$ 38 bilhões para entregar a economia prometida.
Mesmo com a badalação midiática, também será necessária a redução de gastos com obras do PAC para atingir a meta.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Surpresa: Chuvas de Verão

Mais uma vez os governantes nos três níveis de poder são "surpreendidos" pelas chuvas de verão no sul do país. De novo as enxurradas atingem as regiões serranas e dos lagos no Rio de Janeiro, causando destruições, tragédias pessoais e quilos de promessas dos governantes.
Ano após ano o efeito devastador dos rios engrossados pelas chuvas é mostrado nos telejornais seguido de declarações de secretários estaduais e municipais de defesa civil falando de ocupações de áreas de risco, barreiras na iminência de cair, rochas que ameaçam rolar, blá blá blá, etc e coisa e louza. Sem falar nos sobrevoos de graduados políticos nos aviões de rosca, chororrôs e falsas crises emotivas.
De bom surgem os atos heróicos e abnegados de voluntários, como civis corajosos, jipeiros, motociclistas trilheiros e alguns até famosos, como no caso recente de Duque de Caxias, o Zeca Pagodinho, que fez várias viagens para transporte de pessoas e víveres para as regiões atingidas.
Pacotes virtuais de milhões de Reais são anunciados imediatamente e dos que já estão com seus prazos de validade vencido de tragédias passadas, é dito que não foram efetivamente aplicados por falta de projetos.
Penso que todos tenham recebido por e-mail as fotos comparativas de partes da cidade de Fukushima atingidas pelo terremoto e tsunami, com registros do antes e depois em intervalos de tempo de 24 horas, 1 semana, 1 mês e outros; registrando a imediata e efetiva ação de recuperação das destruições por administradores públicos realmente investidos no dever de cuidar do povo.
Dinheiro não faltou. mesmo considerando as exorbitantes promessas. Foram perto de R$ 5 bilhões dos quais apenas R$ 1,8 foram efetivamente aplicados, sabe-se lá se bem ou mal. Eu aposto no segundo com uma taxa de sucesso aí duns 40%.
Para não nos limitarmos a comparar seriedade de governo, no Japão carteiras e outros bens achados nos escombros foram devolvidos nos centros de coleta e devolução. Por aqui se vê loucos nadando nas torrentes catando bens de seus vizinhos para deles se apossarem.
Coisa de cultura e educação, que por plagas tupiniquins não interessam nem têm valor.
Fica mais uma vez o registro do sofrimento de nosso povo com a irresponsabilidade dos governantes, seja nas enchentes e inundações, seja na seca que assola o nordeste há séculos e já elegeu e enriqueceu muito canalha.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

O Dia da Infâmia

 
O dia em que os Estados Unidos da América foram atacados covardemente sem ao menos existir uma declaração de guerra pelo Japão, foi considerado pelo presidente Roosevelt como o dia da infâmia.
Por aqui, em plagas tupiniquins, a infâmia tem uma versão diferente e bem mais humilhante aos homens de bem: assume hoje uma cadeira na câmara federal um homem condenado e sentenciado pela mais alta corte do país.
Com um cinismo digno doa canalhas mais notórios, ainda reclama contra os repórteres que tratam com ele do tema: "vocês são torturadores modernos", disse ao se esquivar de responder perguntas.
E ainda será tratado como príncipe. Seu gabinete será na ala dos ex-presidentes, próximo ao plenário e das salas das comissões. Área VIP mesmo, diferente dos demais ladrões, OPS, demais deputados, que ficam no anexo 3, onde os gabinetes são pequenos e sem banheiro privado.
Num país em que se enaltece a ignorância e a falta de estudo para justificar um presidente semi-analfabeto, nada mais justo que um criminoso ser parlamentar. Cabe aí um recurso para o Beira-Mar e o Marcola...Ao menos por isonomia.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Aquele Filho do Brasil


Co-produtora do badalado, polêmico e falimentar filme que trata da vida do 9 dedos, a gRobo vai exibir hoje a aberração que superou todas as referências anteriores de bajulações desde Cabral (o Pedro, não o Sérgio). 
Claro que o generoso patrocínio da Venus Platinada foi fruto de caridosos empréstimos do bancão de desenvolvimento que financia os apaninguados da corja vermelha; mas isso são outros 500 milhões...
Com um público menor que as pornochanchadas de antigamente, o enaltecimento forçado terá hoje a sua platéia cantada e decantada se materializando. Por absoluta falta de opção, milhões engolirão a josta que, com certeza,  terá somada a audiência à dos cinemas para elevar as estatísticas.
Se eu não assisti nem em cópia pirata imagine na TV? Já decidi pelo VT de um jogo da terceira divisão do campeonato de purrinha de Eirunepé, oeste do Amazonas.
Vou só olhar nas redes sociais o ensandecimento dos petralhas chorando de tanta emoção, isso sim vai ser divertido; já que nem a farta distribuiçãos de sandubas de mortaNdela, ingressos de grátis e transporte subsidiado foi capaz de levá-los aos cinemas.
Oremos...

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Ou seja, Se Doer Assobie

Completando nossos votos de um Feliz 2012, resgato uma postagem de 2010 mas que sempre gostei muito pela trilha sonora. Ratifico que considero a amizade como um bem precioso. Sou e serei sempre leal aos meuss amigos.
Em 2013, se precisarem chamem o cacique amigos: estarei aqui.
video

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz 2013


Um ano que se inicia é sempre época de renovar promessas, fazer planos, imaginar novas e desafiadoras metas e por aí vai.
Mas há que se lemrar da necessária e insubstituível presença de Deus a cada dia para que as pegadas fluam mais fácil e a carga seja mais leve.
Feliz 2013 a todos...
AH... Uma promessa de Ano Novo: vou voltar à toda com a Tribo em 2013.
Estou fora da taba...Vim passar uns dias com meus velhinhos em Recife e volto dia 06/01. 
Aí vamos botar prá quebrar e fazer valer a real vontade do povo brasileiro, pondo a corja vermelha e ladra prá correr.