Read In Your Own Language

sábado, 21 de janeiro de 2012

Crônicas do Buzão 2: A Colisão

Aprendi com os motoristas que me serviram nestes anos todos de profissão, que existe uma rixa eterna entre os condutores de ônibus das linhas coletivas convencionais, aqueles das linhas de rota específica de empresas fora da zona urbana, os que dirigem ônibus intermunicipais e os de ônibus de turismo.
A cada um deles são atribuídas virtudes e defeitos das mais diversas naturezas. Uma coisa sensacional; digna de servir de tese, pelo menos, de mestrado em sociologia ou antropologia.
Mas isso será uma outra crônica.
Hoje no 542, a nave laranja que uso, o motora foi surpreendido por uma manobra brusca e inesperada, eu diria até irresponsável, de um ônibus de rota; que, saindo de uma parada para pegar uma pessoa, bateu com a lateral no retrovisor do nosso veículo, deslocando-o da posição e quebrando o espelho.
A imagem aí de cima mostra uma coisa bem parecida, apenas se invertendo as posições dos "carros". Até é curioso o nome da empresa: CARACA.
A criatura se fez de morto, mudou para a terceira faixa extrema e se mandou. Entendi que pretendia dificultar a "perseguição" de nosso driver para uma cobrança ou retaliação, quem sabe. Sem ter como se embasar para justificar o prejuízo lá ao seu chefe, nosso motora saiu em louca corrida, mesmo que preso na peimeira faixa por uns bons 1.000 m até que conseguiu ver e memorizar a identificação do causador do acidente, retornando 'a sua velocidade normal.
Mesmo em tão pouco espaço, saltou uma duas paradas, irritando passageiros que queriam descer e por certo, tendo sua santa mãe xingada pelos que ficaram prá nas na espera de um novo ônibus.
Muitas ruas à frente, os personagens voltaram a se encontrar e a cena foi cinematográfica. Uma fechada abrupta e ostensiva em plena via, desce o motora e tenta iniciar um bate-boca, impedido que foi porque o outro arrancou pelo pouco espaço ainda existente, quese batendo de novo no tal retrovisor.
Trânsito interrompido por uns 2 ou 3 minutos, minutos de tensão entre os passageiros de ambas as naves, alguns valha-me Deus, mas a coisa se resumiu a umas fotos com celular para argumentação lá com o patrão dele na garagem mais tarde ou, quem sabe, com algum agente de trânsito ou fiscal da Empresa de Fiscalização da frota urbana.
Fato é que houve uma certa agitação que, graças a Tupã, se limitou ao deixa disso.
Passado o fato, a tragédia vira comédia.

Carona: Dar ou Não Dar?

Com tantos assaltos e sequestros acontecendo nas metrópoles e mesmo nas pequenas cidades;, com tantos assassinatos de motorista pelas estradas do Brasil; resta sempre a pergunta:
Ser caridoso e dar a carona ou ser previdente e não dar?

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Cordelando 45: Pimentel o Consultor

E Pimentel, o consultor; pensou que ia escapar do cordel do cacique.


Parece Até Brincadeira,
Ou Castigo de Tupã,
Quando alertei na Tribo,
Esses dias de manhã.
Que o tal de Pimentel,
O famoso consultor,
Ia ser desse cordel,
Objeto do horror.

Pensando que escaparia,
De ser mote do cacique.
Se fingiu de morto-vivo,
Vendo outro dar xilique.
Chorou o tal Negromonte,
Negando o chuncho que fez.
Bezerrão se atravessou,
Furando a fila de vez.

Dona deelma bobeou,
Na faxina toda falsa.
Se fosse tirar safado,
Encheria uma balsa.
Preferiu ser meia-boca,
Prá não brigar com partido.
Se não o seu governinho,
Estaria bem fu**do.

Perguntou do 9 dedos,
Se deveria afastar.
Todo e qualquer suspeito,
De roubo em todo lugar.
Juntar alguns ministérios,
Diminuindo a porção.
No todo quase 40,
Verdadeira multidão.

Ao contrário do que pensa,
Ou não pensa a governANTA.
O EX que ainda manda,
Acabou com a festança.
Pois tem muito compromisso,
Escondido no tapete.
Não pode tirar ministro,
Todo acordo tem falsete.

Foi aí que o Pimentel,
Segurou-se na cadeira.
Por mais que a falcatrua,
Lhe mandasse prá cadeia.
Assim como uns e outros,
Ana Holanda se firmou.
Negromonte na balada,
No carguinho já ficou.

Uma coisa fica certa,
Saiba todo cidadão.
Mesmo com a esperteza,
Que mostra todo ladrão.
Nem me venha com chorume,
Pra esconder seu trambique.
Nunca vão mesmo escapar,
Do cordel deste cacique.

Cordelando 46: Tem de Tudo Nesse Mundo

Tanta coisa acontecendo,




Tá dificil de contar.


O cacique fica vendo,


O caos aqui se instalar.


E não é só no Brasil,


Onde costuma ocorrer,


Coisa que até Deus duvida,


E não se deixa de ver.



Começando na Itália,


Terra da bota chutando.


Um comandante maluco,


O navio vai afundando.


Só porque alguém pediu,


Prá margear a ilhota,


E mostrar prá namorada,


Que com ela ele se importa.




A josta foi federal,


Foi bater pedra no fundo.


E ainda correu da parada,


Vejam só que cara imundo.


Levou um esporro danado,


Do comandante naval.


Por ter largado o navio,


Sem salvar o pessoal.




Enquanto isso do lado,


Que fica ao sul do Equador.


A safadeza não muda,


A confusão se instalou.


A governANTA avoada,


Parece barata tonta.


Nem prá mudar de ministro,


A criatura deu conta.



Dos partidos alugados,


Muita pressão já sofreu.


O que queria mudar,


Rapidinho se escafedeu.


Cada um que mais berrasse,


"Daqui eu não sai não".


E nem pense em misturar,


Extinguir dá confusão.



Mudou Merca de Lugar,


Da ciencia ele correu.


Botou Raupp no lugar,


Já que pouco conheceu.


Só fez botar a sirene,


Prá tocar som anormal.


Fazendo o povo correr,


Quando vem o temporal.




O Malddad terrorista,


Que acabou com o ENEM.


Saindo da Educação,


Pois bom padrinho ele tem.


Logo virou candidato,


A ser prefeito de Sampa.


Que mandou foi 9 dedos,


Que até defunto levanta.



Sem falar no Big Brother,


Onde estupro aconteceu.


Só comeram a mocinha,


Pois a cara ela encheu.


Só pergunto por que foi,


Que deixaram acontecer.


Uma coisa previsível,


Todo "bebo" quer fu***




Pensando que abafava,


E acalmava o povão.


Dona deelma foi criando,


Uma nova comissão.


Prá cuidar do atendimento,


Quando tem alagação.


Sem dizer que isso já tinha,


Era só empulhação.




E o ratinho do senado,


Que causou as confusôes.


Já mandaram exterminar,


Mas deixaram os grandões.


Aqueles que não se abalam,


Com veneno e armadilha.


Porque são organizados,


Se agrupando em quadrilha.




Com tanta patifaria,


É fácil cordel fazer.


Basta procurar a rima,


Para a coisa acontecer.


Pode até chegar a hora,


De acontecer fracasso,


E o cacique aqui gritar,


Vada já a bordo cazzo.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Estudo Sobre Cores

Vi lá no blog de meu amigo Caipira, que sabe da kibada.

E A Fila Anda. Mas Bem Devagar

Conforme constava nas mais primárias especulações, a reforma de dona deelma vai ficar só na garganta. O andar da fila, cantado em prosa e verso como revolucionário, em que haveria até fusão de ministérios, gorou. A pressão por poder pelos partidos da base alugada foi mais forte e a necessidade de acomodar cooptados foi mais forte.

Por enquanto, o (des)governo anunciou o nome de Marco Antônio Raupp como novo ministro da Ciência e Tecnologia, no lugar do Merdandante, que vai para o Ministério da Educação, como prêmio ao seu sensacional projeto de combate às calamidades com sirenes instaladas nos morros, barrancos e baixadas; no lugar de seu Malddad, o terror da estudiantina, o principe negro do ENEM, guindado ao posto de candidato a prefeito de Sampa pelo 9 dedos.
A sequência histórica começará com a despedida de Nandinho na próxima segunda-feira 23, seguida pela posse de Merca e Raupp no dia 24.
pelo que dize, Raupp tem perfil técnico, com carreira laureada na física e matemática e livre docência em várias universidades de peso acadêmico. Estava até há pouco como Presidente da Agência Espacial Brasileira. Grande ele é. Se fizer merda será igual ao Lupi: tem que ser bala de grosso calibre prá derrubar.
Na mesma nota em que anunciou a mudança, a governANTA agradeceu o "empenho e a dedicação" de Haddad à frente do Ministério da Educação. Potaquepareo, parece brinvadeira. Ao invés de chamar o camburão, ainda enaltece a criatura por "ter feito ações que estão transformando a educação brasileira". Também ressaltou o trabalho de Merca e Raupp nas atuais funções, com a convicção de que terão o mesmo desempenho em suas novas missões".
Os convites prá festança da despedida de Maddad já foram expedidos e consta que será um evento do arromba, com o gran finale do anúncio comemorativo da milionésima bolsa do ProUni, mais um roubo declarado de idéias já que trata-se de uma cópia mal feita do projeto Crédito Universitário do governo de Médici.

Vamos aguardar os próximos ajeitamentos ministeriais e os próximos bandidos a assumirem

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

E o Nome do Comandante é És Cretino


O naufrágio do gigantesco, luxuoso e caríssimo navio de cruzeiro italiano Costa Concordia semana passada foi de uma natureza tragicômica absolutamente espetacular. Coisa inadmissível em um mundo cheio de tecnologia.

Um tresloucado comandante faz uma barbeiragem (este termo se aplica a navios?), passa tirando fino de uma ilha num litoral rochoso, dá-lhe uma porrada numa pedra e afunda o barco. Vai...Não afundou, mas toubou e causou a maior josta dos últimos tempos. Entre passageiros e tripulantes, mais de 4.000 pessoas (ou almas, como se diz no jargão da navegação).
E ainda por cima, o capitão Francesco Schettino abandonou todo mundo à própria sorte. Pegou o primeiro escaler e caiu fora, deixando a merda pros demais tripulantes; chegando até a rejeitar ordens diretas da autoridade portuária italiana para retornar e ajudar os passageiros do navio
Com o navio já encalhado, o capita-cagão ligou a terra e garantiu que tudo estava bem e enfrentava apenas um problema técnico. Disse ao capitão da guarda costeira Gregorio de Falco, que "estava escuro" e por isso não poderia ajudar as pessoas.
Ah, tá então...
O diálogo é de uma estupidez avassaladora. O comandante portuário berra ordens e o És Cretino fica argumentando bobagens. Não precisa falar italiano prá entender nem perceber que o capitão dos portos está putíssimo e que dá ordens expressas pro canalha voltar e resolver a bronca.





Por conta dessa e de outras cagadas, entre as quais mais de 50 mortos ou desaparecidos, a Justiça italiana determinou a prisão domiciliar para Schettino, mas assim como cá, seu adEvogado já disse que vai recorrer.

Só digo uma coisa: qualquer canoeiro ou piloteiro (que guia lanchas rápidas de alumínio) aqui da região faria melhor nevegação que o comandante Francesco. E não largaria sua tripulação e seus passageiros no meio do mar (no caso aqui, no meio do rio) prá salvar sua pele não.

Resta ao cumpanhêru Schettino pedir asilo ao gunverno dos petralhas alegando perdeguição política. E ainda vira oficial da marinha.

Menos Luiza, Que Está no Canadá

Um meme sensacional. Um comercial absolutamente imbecil, mas que atingiu seu objetivo. Tornou-se um viral em todas as redes sociais. "Menos Luiza, que está no Canadá" e todas as variações possíveis enchem telas de norte a sul. Vejam a versão original e umas variantes...


































terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Saúde Boa é a do Sírio-Libanês

A governANTA sancionou ontem a regra que trata dos recursos para a saúde no Brasil. Uma verdadeira afronta prá quem depende mesmo do sistema público. Done deelma vetou 15 artigos, em sua maioria aqueles que tratavam das obrigações da união, deixando nas costas de estados e municípios a responsabilidade, mais uma vez, pela maior parte dos investimentos no setor. Com os 15 vetos, a dentuça sancionou a famosa emenda 29, um verdadeiro mutante entre sua concepção e o tempo que tramitou nas casas legislativas, principalmente no período em que esteve sob a guarda de Romero Jucá.

Lamento especialmente o veto ao artigo que determinava a separação dos valores a serem aplicados na saúde em contas bancárias específicas, que, no meu entendimento, facilitaria a efetiva fiscalização da sua efetiva aplicação, com total transparência da gestão desses recursos.
O percentual obrigatório que os estados e município deverão investir é 12% de suas receitas, mas nada se fala nos cofres federais.

Uma coisa melhorou: não se poderá mais lançar nas contas da saúde despesas absurdas como pagamento de aposentadorias e gratificaçõe. restaurantes populares para alcançar esse percentual, obras de saneamentos e por aí vai.
A expectativa é que para cumprir as novas regras os governadores e prefeitos vão desembolsar R$ 3 bilhões ao ano.
Deelma também vetou o artigo que prevê "créditos adicionais" para a saúde na hipótese de revisão prá maior do valor nominal do PIB. Ou seja, se ela aumentar a carga tributária, prá saúde é que a grana não vai.
Mais uma vez fica patente a falta de compromisso, a incompetência e a sensibilidade paquidérmica do (des)governo com a saúde pública brasileira, ela mesma uma asídua frequentadora do Sírio-Libanês, até prá tratar de unha encravada.

Por essa razão, vou berrar o quanto posso nos ouvidos dos parlamentares de merda que temos, prá ver se eles criam coragem e vergonha na cara e solicitam discutir e votar esses e outros vetos pendurados no congresso.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Crônicas do Buzão 1 - A Gorda de Branco

Sou um cara pequenino e franzino com modestos 1,65 m e 65 quilos. Portanto, ocupo pouco espaço nesse mundo de meu Deus. Compartilhar um banco de ônibus comigo é convite a conforto. Pelo menos para os outros. Normalmente nos horários em que embarco na saída de casa o buzão está vazio, pois moro mais próximo do ponto final. À tarde, no retorno, esta maravilha nem sempre se materializa. Ou melhor, quase nunca se realiza.

Agora imagine este cacique lendo as breaking news num smartphone enquanto vai pro trabalho, aproveitando o tempo prá se informar das novidades e fazer mais suave o trajeto.

Levanta um, senta outro; sons e cheiros proliferam, figuras se mostram e eis que se acomoda pachorramente a meu lado uma robusta criatura de Deus, impecavelmente vestida de branco, com enormes e roliços braços; e ocupa seu lado do assento e mais uns 30% do espaço que eu usava.

A essa altura do campeonato, o braço esquerdo que suportava o telefone já passou a se esconder por trás de meu corpo, na busca de sua nova condição de segurar o aparelho. Ao mesmo tempo, o tronco resignado já girava meio de lado numa vã tentativa de se acomodar à nova companhia.

Pela conversa com a colega no banco ao lado, nossa personagem era da área de enfermagem e, pelo ponto em que desceu, do Hospital Santa Júlia, um dos melhores da cidade.
Há pouco o espaço agasalhou um vigilante patrimonial, também grandão mas que se restringiu apenas à sua metade.

Por que a Ana Nery tamanho GG não se sentava do mesmo modo?

Desisti de ler os jornais eletrônicos. Assim poderia manter o braço esquerdo sobre meu peito e lhe dar melhor apoio. O direito, folgadão, nem se atreveu a segurar o fone.

E o papo dela com a colega até que foi legal. Nem saiu sangue nem fatalidades de salas de emergência. Ah...E apenas ao cabo de umas 10 ou 12 paradas à frente ela já desceu. Trecho curto, mas muito aguardado.

Bem que poderia ser pior, caso tivesse que passar por sobre ela prá poder descer no meu destino.

Ficou o alerta: olho em quem vai sentar e já reservar um certo espaço no assento ao lado por medida preventiva.

Cordelista Visitante 6



Em doismilquinhentoseonze
Ninguém vai acreditar
Que já mandou nestas bandas
Gente igual a que está lá.
Com estranhos e novos valores
Diferentes dos correntes
O que vale para eles
Não é permitido prá gente

Sempre existiu uma norma
Prá evitar patifaria
Quem saísse do Governo
Na muda, não piaria
Nada de emprego privado
Que com o Governo lidasse
Prá não criar tentação
Ou um dizquedizque rolasse

Pois é! Que mal tem me diga
O gambá cuidar dos ovos?
Ou a raposa às galinhas?
Ou da carniça os corvos?
Só mesmo a uma criança
Pirulitos de tabuleiro
Que sem o papel e o palito
Do doce só guarda o cheiro

Ou quem sabe... é fim de ano
Crer que sejam o “bom velhinho”
Ou santos anjos protetores
De guarda por todo o caminho
Que usam calças sem bolsos
Embaixo uma cueca apertada
Que não caiba do “nosso suado”
Nem mínima suspeita infundada

É preciso ser muito ingênuo
Prá crer nessas quatro mentiras:
Que dinheiro não faz feliz;
Que amanhã tem paga garantida;
Deixar passar “só a pontinha”
Por conta do enorme “tesão”
E a quarta? ... Encontrar um político
Honesto por convicção

Nossa única certeza
Da honestidade cumprida
É na justeza da lei
A punição garantida
Quem de um malfeito gosta
Por conveniência ou vício
Palavra não é garantia
De honestidade de ofício

“Que país é esse?” cantava
O bardo que já morreu
No constitucional direito
De exigir o que era seu
Não viveu prá ver o agora
“Língua presa e falas roucas”
À “nata” as burras forradas
Compradas com “cala bocas”

Ladrão público renomado
Conta-se no Brasil a granel
Antes Ademar e Lupion
Agora Palocci e Pimentel
Faça-se também justiça
A um tipo mais esperto
Aquele do tipo tucano
Que rouba e não descoberto

O que de verdade faz falta?
Pergunta-se todos os dias
E a resposta singela
Faz falta a Democracia
A “real” dos três poderes
Cada qual no seu dever
Ao serviço de pobres e ricos
Fazer, prever e proteger

E como dizia a música
Que levantou a nação
Despertou mil ideais
Provocou revolução:
“Vem vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer” (*).

Geraldo Vandré concordaria !!!

domingo, 15 de janeiro de 2012

Não Vai Ter Carnaval em Boa Vista/RR


Com Informações do Portal Amazônia

A cidade de Boa Vista, a bela, acolhedora e planejada capital de Roraima, onde este cacique morou por 2 anos; não vai realizar atividades no Carnaval 2012 única e tão somente por uma situação comum à maioria das cidades do Brasil: limitação orçamentária para o exercício financeiro deste ano, principalmente pela queda de receita proveniente da redução no valor do repasse constitucional do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).
A sábia decisão do prefeito Iradilson Sampaio realisticamente observou que os recursos que seriam repassados para as escolas de samba farão muita falta e inviabilizarão a manutenção de serviços essenciais, como limpeza pública, iluminação, saúde, projetos sociais e educação, dentre outros.
Com coerência, a decisão já havia sido avaliada e definida no balanço das contas de 2011 e planejamento para 2012, segundo Osmar Marques, presidente da Fundação de Educação, Turismo, Esporte e Cultura, já havendo sido repassada ao presidente da Liga das Escolas de Samba de Roraima.
“A gestão atual sempre investiu para a realização do Carnaval, aumentando os repasses a cada ano. Porém, com o corte do FPM, decidimos priorizar os serviços essenciais, como remédios nos posos de saúde, merenda nas escolas e limpeza da cidade. Com esta decisão, o prefeito Iradilson Sampaio demonstra respeito e responsabilidade com cada morador de Boa Vista”, enfatiza Osmar Marques.

Não resta dúvida que haverão os bocas de trapo que vão descer o pau no prefeito e que vão gerar desgaste político em ano de eleição, afinal carnaval é um dos ópios do povo, por isso esta tribo presta total solidariedade ao prefeito Iradilson, por sua corajosa decisão.

A Reunião da GovernANTA

Diz-se que a governANTA vai fazer uma reunião ministerial essa semana. É sabido também que se está às vésperas de uma hipotética reforma no time da primeira linha. Então por que fazer essa reunião com um time que vai mudar?
Nas cocheiras se comentra que serão três dias consecutivos de reuniões setorizadas por grupos de ministros, tendo na pauta a discursão de cortes de despesas e projetos prioritários para 2012. Na sua comprovada incompetência, deelma quer definir um plano de trabalho com um time mas que vai servir aos novos ministros. Como é possível que se melhore a gestão de um governo que já teve tantas crises políticas, se alguém vai gerir o plano de outro?
Os encontros com a dentuça ocorrerão quinta e sexta-feira, com prorrogação já programada também no sábado e já está agendada uma rodada final para o dia 23.
É claro que tem que ser assim porque não dá prá juntar os 38 ministros e assessores num mesmo lugar que não seja no sambódromo, já que o Maracanã está em reforma. Além do que não se consegue obter uma avaliação detalhada nem aprofundar os assuntos num único dia.
A prioridade será fazer andar o absolutamente virtual PAC e fazer sair do papel os programas sociais, mesmo com a tesourada no Orçamento, a ser oficialmente anunciada em fevereiro.
Os grupos terão pacotes de Produção, Infraestrutura, Comunicações e Ciência e Tecnologia e Direitos Humanos, embora existam alguns ministros que estarão em todos, como Fazenda, Planejamento, os ministros da Casa (Casa Civil, relações Institucionais, etc).
Nos ofícios de convocação para os encontros setoriais com deelma, a Barbie do paraguai Gleisi Hoffmann, pediu que todos os auxiliares compareçam munidos de um CD com a prestação de contas de suas pastas.
Vamos ver no que dá.

O Cacique Malhando

video