Read In Your Own Language

sábado, 3 de dezembro de 2011

Lobão: Inauguração Sem Energia

Ontem o afilhado do Riba Sarnei e ocupante atual de seu assento na capitania do ministério de Minas e Energia, Edison Lobão esteve nesta taba para a inauguração da subestação Jorge Augusto de Souza Baird, no Distrito Industrial, zona Sul de Manaus.
Seu Jorge foi, por 12 anos, presidente da Companhia de Eletricidade de Manaus, o primeiro e único emprego deste cacique, e era reputada como a terceira melhor empresa de distribuição de energia do Brasil, atrás das gigantes CEMIG/MG e COPEL/PR, antes de ser absorvida pela ELETRONORTE e depois sair mudando de nome para Manaus Energia e Amazonas Energia. Tive a honra de estar entre os que se chamava de "engenheiros do presidente", aqueles a quem eram confiadas as missões de Seu Jorge. Uma justa e merecida homenagem a este competente profissional.


Presentes também o presidente das empresas distribuidoras da Eletrobras (além do AM, também tem AP, AC, RO, RR, PI e SE) Marcos Aurélio Madureira, o governador Omar Aziz, o senador Eduardo Braga e outras otoridades, o cabelo de asas de graúna ressaltou que fez questão de vir a Manaus participar da inauguração da subestação porque foi uma recomendação da governANTA que enfatizou a preocupação com o atendimento ao Estado do Amazonas. Que lindo né ????


“Estamos inaugurando sete e não apenas essa subestação. Ano que vem serão mais 12, além de várias outras obras que a Eletrobras Amazonas Energia estará realizando, disse Lobão.


Mentira. Afinal sete é número de mentiroso. Não foram construídas sete subestações, mas feitas obras em sete, algumas existentes e bem antigas. também não serão ianuguradas 12 ano que vem nem fu***do. Não dá tempo prá isso. Talvez prá 2013 ou 2014.


Uma coisa prá se anotar pelo país afora é quendo ele diz que “Nenhum Estado do Brasil recebe tanto investimento quanto o Amazonas, e o que está sendo feito aqui não é feito em nenhum outro Estado do Brasil com essa velocidade. Em 2008 foram R$ 200 milhões, em 2009 R$ 360 milhões, em 2010 foram R$ 500, em 2011 são mais de R$ 700 milhões e em 2012 será R$ 1 bilhão”. Cobrem dele brasileiros, essa bacabaquice prá justificar a votação que deelma teve aqui é só no papel.


Deixa conosco cobrar a parte que ele diz que "vale ressaltar que o Amazonas não tem problemas de energia por falta de geração desde abril de 2010. O que existe são interrupções programadas para substituição de equipamentos e problemas na rede causados por conta dos “gatos” (ligações clandestinas)”.


Isso se chama incompetência. Estima-se hoje que esteja em torno de 45 a 50% as perdas comerciais da empresa. Vou destacar: de tudo o que se produz, 45 a 50% não são cobrados. E não são apenas ligações clandestinas seu Lobão, são fraudes e furtos não identificados e em grandes consumidores. Falta cérebro e comando prá isso.
Por exemplo, enquanto o magro estava fazendo festa na zona leste da cidade, aqui em casa na zona oeste estávamos sem energia por 4 longas horas. Com todo esse tempo sem energia, os sistemas de internet esgotaram suas reservas em No Break e a navegação só retornou lá pela 9 da noite.


Agorinha, enquanto escrevia este post, faltou de novo, o que vem sendo uma constante na região. Não fosse meu saudável hábito de ficar salvando tudo a cada instante, teria perdido este texto.


O sistema está mal planejado e concebido, uma vergonha para a boa engenharia. Tempos melhores virão.

Times Grandes X Timecos


Sem Palavras

Primeira Eucaristia de Meus Pequenos

Hoje será a Primeira Eucaristia de meu curumim e minha cunhatã.

Para nós católicos, a Primeira comunhão é uma celebração solene, emocionante e sacramental em que os membros participantes recebem pela primeira vez o Corpo e Sangue do auto-imolado Nosso Senhor Jesus Cristo sob a forma de pão e vinho, passando a poder renovar sua Fé a cada uma das celebrações centrais da Igreja.
A preparação para Primeira Comunhão envolve a absorção e compreesão dos princípios e conhecimentos fundamentais da Igreja, nomeadamente os 10 Mandamentos, os mandamentos da Madre Igreja, as principais orações, os 7 sacramentos, os princípios de vida do cristão, etc. Para se realizar este rito religioso é necessário que o catequizando faça a confissão dos pecados particularmente com o sacerdote, o que irá se repetir sempre que, o já catequizado, peque gravemente, para assim tornar a receber a Sagrada Eucaristia.
Mais tarde colocarei algumas fotos do evento, para a eternização desse momento tão importante em nossas vidas.

Conforme prometido, aqui estão algumas fotos dos lindos...

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Cordelando 41: Lupi Sai ou Não sai?

Eu não gosto de falar,
Daquele que já versei.
Tanta gente esperando,
Prá no cordel ser o rei.
Mas o Lupi não me deixa,
Seguir a minha intenção.
E com auxilio da deelma,
Vira de novo a canção.

Já há porrada de dias,
Que a confusão começou.
Denunciaram o ministro,
Que os sindicatos criou.
Roubo tem de todo jeito,
Com as ONGs de montão.
Sem falar na caroninha,
Que pegou no avião.

Uma coisa que chocou
Nesse dia mais recente.
Foi o jornal descobrir,
Lupi ser onipresente.
Tinha emprego na corte,
De assessor de deputado.
E no Rio de Janeiro,
Dum vereador safado.

Néga aqui, revolta ali,
Fica puto o grandão.
Teve a história da bala,
E do amor declaração.
Dois empregos diferentes,
Em cidades tão distantes,
Que nem com o aeroplano,
Estaria o meliante.

Num país que fosse sério,
Que se pune o ladrão.
Não se via nem conversa,
Direto pro camburão.
Mas nesse Brasil petralha,
Onde tudo tem jeitão.
A governANTA mandada,
Desrespeita a comissão.

Comissão que, de passagem,
Ela mesma nomeou.
E que em casos passados,
Nunca bandido julgou.
Achando sempre virtudes,
No todo que lá passou,
E que no caso do Lupi,
Nem as frases acatou.

Eita poha, já disseram,
Dessa vez lascou-se tudo.
Se a comissão rejeita,
O que vai ser do bocudo.
Esperança vã e falha,
Passou no peito do povo.
Mas rápida que uma navalha,
A mulher voou de novo.

Foi bater lá em Caracas,
Do Chavico inchadão.
Passando em cima da taba,
Muntada no vassourão.
Fazer o que não se sabe,
Não tem nada a resolver.
Mas precisando de álibi,
Lá mesmo que foi bater.

Imaginem que ainda tem,
Quem defenda o disgramado.
Bota culpa na imprensa,
Perseguindo lado a lado.
Paulinho jura que não sabe,
Nada que a conduta abale.
O presidente tão cego,
Não gosta nem que se fale.

Com tanto sai ou não sai,
Desse ministro safado.
Igual a todos os cinco,
Que já foram espanados.
No meio desse furdunço,
Eu pergunto inocente.
Se a moral da comissão,
Nem ao Sepúlveda pertence?

Cordelando 42: Copa Não Se Faz Com Hospital

Nessa tal de CBF,
Só tem rolo de montão.
Usando jogo de bola,
Enganando Zé Povão.
Prá esconder a roubalheira,
Que fazem lá há 100 ano,
Desde antes de ser penta,
Com Havelange mandando.

Parceirando com petralha,
Vislumbrou-se a armação.
Que fazer copa do mundo,
Rola grana de montão.
Assinando compromisso,
9 dedos no governo,
Copa 2014,
Ia ser um grande enredo.

Mesmo com a empulhação,
Feita pelos governantes.
Muita gente do povão,
Reclamou igual gigante.
Estádio prá todo lado,
Até se time não tem.
Como faz prá encher depois,
Onde não vai dar ninguém?

Obras de mobilidade,
Aquelas do tal legado.
Não se fez nem os projetos,
Ficou tudo encruado.
E os dias se passando,
Aumentando a confusão.
E o povo perguntando?
Vai ser trem ou é buzão?

Tudo quanto é de resenha,
Dos esportes o programa.
Falando que tudo atrasa.
Óroporto, estrada e cama.
Quem vier cá no Brasil,
Prá assistir jogo da copa.
Vergonha nos causará,
O prometido é marmota.

Foram buscar a saída,
Usando nome famoso.
Procuraram numa lista,
Não se achou nenhum charmoso.
Se lembraram do gordinho,
Aquele do coringão,
Que já foi camisa 9,
No time da seleção.

Homem que fez muito gol,
Ganhou copa, campeão.
Capaz de enganar o povo,
Com a sua falação.
Mas no dia da entrevista,
Com o nome prá se ver,
Saiu-se com um vexame,
Registrado na TV.

Depois daquelas perguntas,
Combinadas de antemão.
Veio lá um jornalista,
Pegando de supetão.
Perguntou pelas tais obras,
Que depois se usaria,
A servir nossas cidades,
Só assim coisa valia.

O buchudo gaguejou,
Uma coisa bem normal.
Não sabia o que dizia,
Só lembrou do hospital.
Dizendo que pr'uma copa,
Aqui se realizar.
Em sala de cirurgia,
Ele não ia pensar.

Só danou-se o mundo inteiro,
Pois então se revelou.
Que o que fica da copa,
Num é prá mim nem pro senhor.
Um monte de elefante,
Concreto prá todo lado.
Que não vai servir prá nada,
Esquecendo o tal legado.

Parecendo brincadeira,
Dita por quem no passado,
Teve lá uma zinguizira,
Mas não ficou machucado.
Socorrido a contento,
Por habilidosa mão.
Mesmo que perdesse o jogo,
Não ficou seqüela não.

Sei que um monte de dinheiro,
Que se conta num relógio.
De trilhão já passou muito,
Só se ouve o falatório.
Não vai servir prá estrada,
Nem prá aeroporto não.
Nem prá trem, buzu, metrô,
Nem sequer prá educação.

Fica muito mais que claro,
O que há tempo se falou.
A tal da copa do mundo,
Muita gente enganou.
Só vai ficar roubalheira,
Obra findada é que não.
Um monte de conta grande,
Prá ser paga na nação.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

A UNE Na Esplanada: Vamos Pedir os Boletins

Li no Estado de São Paulo que a UNE está programando uma coisa bem original: Ocupem a Esplanada. Não é legal? Eu acho. Pratcamente ninguém conseguiriam pensar numa coisa tão sensacional, não fosse os iluminados dirigentes e estudantes profissionais da alugada UNE.

Eles estimam que colocarão em torno de 400 pessoas entre 5 e 12 de dezembro próximo, na Esplanada dos Ministérios em Brasília, mas estrategicamente já dizem que dia final poderá variar um pouco. Aí digo eu: dependendo do estoque de baseados e garrafas de pinga.

Primeiro, acho que a PM/DF, responsável pela segurança da área, deve pedir além das carteiras de identidade das criaturas, uma cópia autenticada dos boletins. Sou caridoso: nota média menor que 5; manda prá casa depois de uma dúzia de bolos.

Arvorando-se das grandes bandeiras da UNE original e autêntica, os sustentados do estado vão apresentar cinco questões ligadas à educação.
Segundo o presidente da UNE, Daniel Iliescu (Petropolitano, 26 anos, estudante de Ciências Sociais, vinculado ao PCdoB), o carro-chefe será o aumento do investimento público em educação para níveis de 10% do PIB. Além disso, os "estudantes" querem vincular 50% do Fundo Social do pré-çau ao investimento em educação e no desenvolvimento científico e tecnológico.
Bota aí na lista os manjados "aumento (SIC)" da qualidade do ensino, a aprovação do Estatuto da Juventude e do Plano Nacional de Educação ainda este ano e a regulamentação da meia-entrada para estudantes em todos os eventos, incluindo a Copa de 2014.
Tudo do lado dos outros. E do lado deles? Média mínimas para aprovação mais elevadas? Tempo máximo para conclusão dos cursos limitado a 150% do prazo mínimo? Impedimento de retorno após jubilamento, independente de novo vestibular? Compromisso público da entidade contra a corrupção e roubalheiras em curso no país? Fim dos eventos financiados pelo governo e suas estatais com farta mordomia? Independência das universidades dos opressores movimentos de submissão da real massa estudantil e dos níveis de administração? Aí não né?

Bom... Fora dos boletins, podemos pedir que a PM cheque quem já está realmente de férias e a fonte de comidas, bebidas e otras cositas mas que serão usados pela estudiantina. A Ver...

Não Falta Mais Nada: Querem Acabar Com os Queijos Regionais


Realizou-se entre 23 e 25 pp, em Fortaleza/CE; o I Simpósio de Queijos Artesanais do Brasil, um evento promovido pela EMBRAPA Agroindústria Tropical e Universidade Federal do Ceará, com a pouquíssima divulgação habitual da imprensa nacional.

Na pauta, a discussão das pequenas, e geralmente artesanais e familiares agroindústrias de produção de alguns dos melhores queijos do mundo, de ponta a ponta destas plagas tupiniquins, como os queijos serranos do RS e SC; queijo do Salitre, Canastra, Serro e Araxá/MG, queijos de coalho e de manteiga do Nordeste; queijo de búfala da Ilha de Marajó e outras especiarias regionais.

Registro uma curiosidade: nos intervalos, costumeiramente chamados de coffee break, neste evento foram denominados cheese break, e se permitia aos participantes degustar um sem número de tipos dos mais badalados queijos brasileiros, puros ou temperados.

O grande apogeu foi a Elaboração e Apresentação da proposta chamada de Carta de Fortaleza; uma cobrança de definição das Políticas Públicas para proteção de queijos artesanais; além do papel das instituições brasileiras de pesquisa, ensino e extensão na produção de queijos artesanais do Brasil e sobre o registro de alimentos tradicionais como patrimônio cultural imaterial em seus limites e possibilidades
Paralelamente, houve a Feira de produtos, equipamentos, tecnologia de fabricação e Exposição dos queijos artesanais do Brasil
Por que ponho este tema aqui? Porque acho que os queijos artesanais brasileiros, preparados com leite cru (não pasteurizado), estão correndo o risco de extinção.
E essa é também a opinião de produtores, acadêmicos e associações sem fins lucrativos, que estiveram reunidos em Fortaleza, no Simpósio.
"É mais que um alimento, é uma expressão profunda da nossa forma de vida", disse Kátia Karan, do movimento a favor da pequena produção, não importando se o queijo é feito no Rio Grande do Sul, nas serras de Minas Gerais, no agreste nordestino ou nas terras alagadas da ilha de Marajó. Cada um deles leva consigo as características do clima, pastagem, tradições e até do tipo de bactéria desenvolvida em cada região, seguindo muitas vezes centenárias receitas familiares.
Acontece que a rigorosa legislação federal e seus entraves burocráticos, impede, por exemplo, que esses produtos de leite cru circulem no país, ou qe sejam submetidos aos extremos de cumprimento de uma série de exigências tão extravagantes que inviabiliza o consumo dessas delícias longe das cidades onde são produzidos.
Com regra geral, sabe-se que legislação federal é arcaica (1952), baseada no "higienismo" da produção industrial e nas normas internacionais de trânsito de alimentos, que impõe "padrões inatingíveis para os pequenos produtores em nome da saúde".
Tudo parte do princípio de que o leite precisa ser pasteurizado e detona de uma vez a cultura de queijos produzidos há centenas de anos por causa de um conceito estreito de saúde, nas palavras até de Helvécio Ratton, diretor do documentário "O Mineiro e o Queijo".
Basta andar por essas cidades e vilas, fazendas e sítios e saber que em todas elas se tem figuras familiares de mais de 100 anos. E todos comem queijo "no balde".
Encontrar até que se encontra, mas é coisa do "mercado informal" desses queijos, seja nas próprias cidades, seja entre Estados. Embora não se enquadrem nos rigores da lei, isso não quer dizer que eles tenham problemas. Ilegal é narcotráfico.
Para o Ministério da Agricultura, o Estado "nunca esteve contra os pequenos produtores. A gente não quer proibir, mas a questão é que precisamos regulamentar esse setor", diz Clério Alves da Silva, chefe do serviço de inspeção de produtos de origem animal em Minas.
As palestras e documentos relativos ao evento, então no link a seguir, incluindo a Carta de Fortaleza

Cuidados na produção e transporte sim, proibição, NUNCA...Por que não posso receber aqui em cima um queijinho mandado por meus amigos do Rio Grande ou das Minas; e mandar prá eles um frescal de búfala aqui do Careiro?

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Homenagem Expontânea

Com Informação do jornal A Crítica
No próximo dia 07/12 a Assembéia Legislativa do Amazonas concederá à primeira-dama do Estado, Nejmi Aziz, o título de Cidadã do Amazonas, conforme projeto de lei do próprio presidente da casa, deputado Ricardo Nicolau, aprovado por unanimidade na sessão de ontem.
Tá certo que dona Nejmi vem desenvolvendo há muitos anos muitos serviços de natureza social à comunidade amazonense, mesmo quando o governador Omar Aziz exercia o cargo de vice e outras funções públicas; e mais recentemente à frente do Fundo de Promoção Social do Amazonas; mas a lembrança desta homenagem só agora para ela, que é natural de Foz do Iguaçu/PR, à beira de uma eleição municipal onde se cogita até sua candidatura, parece ser uma coisa meio que esquisita.
De qualquer forma, parabéns à nossa primeira arroba, assim conhecida carinhosamente por sua atividade eletrônica.

Petrobras Não Atinge As Metas

Com informações do Estado de São Paulo
Como se fosse alguma novidade, o Estadão publica que a Petrobrás não vai atingir suas metas de produção pelo segundo ano consecutivo. A referência seria produzir 2,1 milhões de barris de petróleo por dia em território nacional, mas vai ter que adiar esse objetivo para depois de 2012 pois a outrora poderosa estatal enfrenta dificuldades com a demora na entrega de equipamentos utilizados nas atividades de exploração e produção, apesar de ter investido mais de R$ 50 bilhões entre janeiro e setembro, a Petrobrás irá produzir o mesmo volume de 2010, não conseguindo atingir nem de perto os R$ quase 85 bilhões previstos.

Sem falar nas paradas não programadas da produção, causadas por inspeções inesperadas da ANP, e ocorrências de incidentes nas unidades.
Os analistas de mercado, e consequentes fontes de informações para os acionistas, o que leva a perdas enormes do valor de mercado da empresa por conta da queda brutal no valor de suas ações nas bolsas de valores do mundo inteiro. "Não é novidade que a companhia divulgue uma meta e não a alcance", diz o analista da SLW Corretora, Erick Scott. "A situação passou a ser recorrente", diz o analista do Banco Geração Futuro, Lucas Brendler.
Em termos futuros, a amostragem do desempenho atual da empresa sinaliza que a meta de produzir quase 5 milhões de barris por dia em 2020, não será alcançada. Do jeito que está, meu sentimento é que não se atinja nem entre 30% e 40% dessa meta."
Sem falar na péssima administração do dia-a-dia da empresa, vergonhosamente aparelhada com sindicalistas de todas as vertentes e que não se entendem, em seus mais diversos níveis hierárquicos e estruturais; relegando a segundo plano as recomendações das cabeças pensantes dos engenheiros do grupo Petrobras.

Há ainda o saque contínuo aos cofres da empresa para promoção de festas de forró e eventos festivos sertanejos no Brasil inteiro, produção de filmes de quinta categoria e shows dos apaninguados do ministério da cultura; entre outros assaltos semelhantes. John Davidson Rockefeller, bilionário do setor do petróleo e fundador da Standard Oil, mãe das hoje conhecidas Sete Irmãs, criadas a partir de seu fracionamento, cunhou a mais famosa das frase sobre este ramo empresarial, ao dizer que o melhor negócio do mundo era uma empresa de petróleo bem administrada, e o segundo melhor uma empresa de petróleo mal administrada.

Parece que, infelizmente o maior orgulho do povo brasileiro, as empresas que compõem o Grupo Petrobras, foram literalmente destruídas
#OREMOS

Pano Preto na Janela em Recife

Bom dia amigos:
Solicitamos o apoio de todos à sociedade recifense que irá colocar um pano preto na sua varanda, na janela de sua casa, na antena de seu carro, no braço, etc; em protesto contra o fechamento do Centro de Transplante de Medula Óssea do Centro de Hemoterapia - CTMO/HEMOPE hoje, dia 30, o que é a morte deste serviço público no estado.
O movimento não pára. Dia 12/12 ocorrerá a visita de representantes do Conselho Federal de Saúde, vindo de Brasília, onde existem 3 ações judiciais em andamento, e eles precisam do apoio da sociedade, e de você apresentando ao governo federal e estadual o seu protesto silencioso e solidário.
Vamos fazer política social em bem dos pacientes com leucemia e outras doenças onco-hematológicas.
Quem tem contato com a mídia aumente o alcance deste protesto.

Atualização em 30/11 às 18:18 - a campanha continua amanhã amigos; em frente do HEMOPE na Rua Joaquim Nabuco em Recife. Vamos lá assinar e colocar a sua fita no carro.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Haitianos em Manaus

Haiti, aquele país paupérrimo e tão sofrido, vítima de um devastador terremoto que soterrou o pouco que existia depois de sucessivos governos corruptos e ditatoriais, vem observando seu povo ser achacado pelos coiotes que os enganam e roubam com a promessa de dias melhores no Brasil. Através do Peru, Equador e Bolívia, chegam depois de torturantes viajens de barcos hiper-lotados, caminhões tipo pau-de-arara, botes e duras caminhadas; e ainda pagam coisa de 3.000 dólares por isso.

Especificamente em Manaus, estima-se que existam algo perto de 3.000 cidadãos haitianos "vivendo" em regime de refugiados. Coisa semelhante parece existir no estado vizinho do Acre.

Despreparados profissional e emocionalmente, os haitianos sobrevivem de ações da igreja católica que tenta aos trancos e barrancos dar a estas criaturas um mínimo de qualificação para que possam tentar algum trabalho na construção civil ou outras atividades menos nobres em que possam assimilar alguma forma de ganharem seu sustento. Um risco enorme de trabalhos escravos. De cara já enfrentam problemas em compatibilizar o francês colonial e o criolo, as suas línguas natais, com o português. Fora da ação da igreja, desconheço outras desenvolvidas pelo governo federal. O pobres coitados estão quase à mingua e a situação é dificílima. A encrenca exige imediatamente a interferência dos ministérios da Justiça, Ação Social e das Relações Exteriores, afinal o Brasil mantem forças de Paz por lá e a ação dos coiotes tem que ser combatida. É tráfico humano meeesmo, com famílias inteiras sendo despejadas como animais, incluindo crianças.
Pelo aparato legal em vigor, os haitianos, por serem ilegais, deveriam ser deportados. Mas há que se virar as costas a quem foge da fome e das doenças que impregnam o Haiti? A Polícia Federal vem concedendo vistos de permanência aos haitianos.

Por mais forte que seja o Brasil perante o sofrido Haiti, a absorção de grandes contingentes de mão de obra desqualificada poderá gerar um sentimento de revolta nos brasileiros preteridos em empregos face aos imigrantes. Isso é um perigo enorme e latente.

Urge que as autoridades brasileiras tomem uma posição mais firme quanto ao tema.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Brasil Explicado Em Galinhas


Pegaram o cara em flagrante roubando galinhas de um galinheiro e o levaram para a delegacia.

D - Delegado
L - Ladrão
D - Que vida mansa, heim, vagabundo? Roubando galinha para ter o que comer sem precisar trabalhar. Vai para a cadeia!
L - Não era para mim não. Era para vender.
D - Pior, venda de artigo roubado. Concorrência desleal com o comércio estabelecido. Sem-vergonha!
L - Mas eu vendia mais caro.
D - Mais caro?
L - Espalhei o boato que as galinhas do galinheiro eram bichadas e as minhas galinhas não. E que as do galinheiro botavam ovos brancos enquanto as minhas botavam ovos marrons.
D - Mas eram as mesmas galinhas, safado.
L - Os ovos das minhas eu pintava.
D - Que grande pilantra... [mas já havia um certo respeito no tom do delegado...] Ainda bem que tu vai preso. Se o dono do galinheiro te pega...
L - Já me pegou. Fiz um acerto com ele. Me comprometi a não espalhar mais boato sobre as galinhas dele, e ele se comprometeu a aumentar os preços dos produtos dele para ficarem iguais aos meus. Convidamos outros donos de galinheiros a entrar no nosso esquema. Formamos um oligopólio. Ou, no caso, um ovigopólio..
D - E o que você faz com o lucro do seu negócio?
L - Especulo com dólar. Invisto alguma coisa no tráfico de drogas. Comprei alguns deputados. Dois ou três ministros. Consegui exclusividade no suprimento de galinhas e ovos para programas de alimentação do governo e superfaturo os preços.
O delegado mandou pedir um cafezinho para o preso e perguntou se a cadeira estava confortável, se ele não queria uma almofada. Depois perguntou:
D - Doutor, não me leve a mal, mas com tudo isso, o senhor não está milionário?
L - Trilionário. Sem contar o que eu sonego de Imposto de Renda e o que tenho depositado ilegalmente no exterior.
D - E, com tudo isso, o senhor continua roubando galinhas?
L - Às vezes. Sabe como é.
D - Não sei não, excelência. Me explique.
L - É que, em todas essas minhas atividades, eu sinto falta de uma coisa. O risco, entende? Daquela sensação de perigo, de estar fazendo uma coisa proibida, da iminência do castigo. Só roubando galinhas eu me sinto realmente um ladrão, e isso é excitante. Como agora fui preso, finalmente vou para a cadeia. É uma experiência nova.
D - O que é isso, excelência? O senhor não vai ser preso não.
L - Mas fui pego em flagrante pulando a cerca do galinheiro!
D - Sim. Mas primário, e com esses antecedentes...

Luis Fernando Veríssimo.

Cordelista Visitante 4: Não Fornicar a Mulher do Próximo

“Hoje acordei invocado.”
Diria um ex Manda Chuva
Fazer cordel programado
É o cão chupando uva
“Palhaço” metido à poeta
Tem essa contradição
Na alegria “pega leve”
Na desgraça “pesa a mão”.

Mas já que estou “no duro”,
Prometo ser justo e perfeito
Não ficar em cima do muro
Nem cantar no tucano jeito
Que protesta como gazela
E à segura distância, o Leão
Sonhando que aqui é Inglaterra
E brasileiro é anglo-saxão

Nem sequer versar no anverso
Como o Partido Petista
Que mesmo nascido em S.Paulo
Garra falar mal do paulista
Dividindo branco do negro
Dividindo o Sul do Norte
Dividindo conosco o azar
E guardando prá si a sorte

Outros que não dou valia
São os comunas do B
Que na dieta de Governo
Só fizeram emagrecer
Mas agora à mesa farta
Não posam mais de bons moços
Refestelam-se no banquete
E locupletam seus bolsos

Partido é o que não falta
Dizendo representar
As necessidades do povo
Na hora da gente votar
Mas que lá em cima depois
Que a urna se apurou
Passa o apuro prá gente
Esquecendo quem neles votou

Prá nenhum dou atestado
De boa fé e conduta
Hoje se tem mais garantia
Na honestidade da p*ta
Que entrega o que vende
E deixa testar seu valor
Tem bem merecida paga
Ainda que por falso amor

Já um eleito deputado
Em Brasília está por promessas
E quando se vê empossado
Se esquece da “goma” depressa
Aquela de “enrola povo”
Paga com total confiança
Mas o produto que entrega
É f*der nossa esperança

Que quero dizer com isso?
É que na nossa eleição
Se apresenta um catálogo
Prá venda na televisão
Escolhe-se por belo ou feio
Por lembrado ou esquecido
E dá-lhe muito fotoshop
Prá vender produto vencido

É fácil de se prever
Como funciona o eleitor
Que na hora de votar
Pensa igual consumidor
Compra, crendo em milagre
Usando, tem raiva profunda
Sem ter com quem reclamar
Enfia tudo na bunda

Pensar que um dia Brasilia
Seria a Capital da Esperança
Eu era um ingênuo menino
Acreditava como criança
Depois de 50 anos
A gente enfim descobriu
Inatingíveis àquela distância
Bom é quando estavam no Rio.

Agora entendi Niemeyer
E sua visão comunista
Em ninho de burocrata
É deles a grande conquista
Uma paulada em dois coelhos
Construíram sua Democracia
Bem longe da raia miúda
Bem longe da burguesia

É assim que o diabo gosta
E até eu, menos esperto
Todo o malfeito é bom
Todo o malfeito é certo
Já dizia Deus na Pedra
“Não cobice a mulher alheia”
Mas se o próximo tá distante
Só não fornique mulher feia

ALÔ! ALÔ! CRIANÇADA!
O ESPETÁCULO SE ACABOU:
Hoje teve “CORDELADA”?
- Teve SIM sinhô!
Hoje teve “GO BOIADA”
-Teve NÃO sinhô!
E o ELEITOR o que é?
- O BOM E VELHO MANÉ.

domingo, 27 de novembro de 2011

Fotos da Carreata Na Chegada: Time da Poha

Espetáculo da maior torcida do Norte-Nordeste-Centro Oeste




A Volta De Onde Nunca Deveria Ter Saído



Ser torcedor do SPORT Recife é traduzir paixão e alegria; mas também sofrimento e apreensão. Tudo sempre chega com muita agonia. Mas acontece. Uma hora acontece.
Depois de uma grande safra de alegrias, sequência de títulos e realizações, um pacote de constrangimentos: uma desclassificação traumática na Libertadores, o rebaixamento prá série B, a perda do hexa-campeonato, uma saída prematura da Copa Brasil, um desempenho sofrível no campeonato brasileiro e, aos trancos e barrancos, chega-se na última rodada dependendo apenas do resultado próprio. Era só ganhar do Vila Nova, já rebaixado, jogando com um time misto, embora em Goiania, mas era uma missão "tranquila".

A torcida invade a capital de Goiás. Quase 6.000 enlouquecidos apaixonados.

Mas nada com o SPORT deixa de causar palpitações. O jovens jogadores do Vila resolveram engrossar o caldo. Faz parte do show. O nosso time vai prá cima e ameaça, bolas na trave, grandes defesas do goleiro e a sensação de que tudo se resolverá já, já.

De repente cai o céu no sequíssimo centro-oeste do Brasil. O campo alaga, acaba o futebol e começa um desespero. Os adversários em outros jogos começam a fazer gols. O tempo vai passando e nada...

Quase os 30 minutos do segundo tempo, aquele mesmo goleiro que estava fechando o gol, leva um frangaço e voltamos a ocupar a quarta vaga. Agonia por 15 minutos, embora sem nenhuma ameaça, e chega-se a pelo menos um dos objetivos do ano: voltar à Série A do campeonato brasileiro. A torcida invade o gramado com o consentimento do policiamento e a festa começa por lá mesmo.

Se na ida 2.000 loucos torcedores foram ao aeroporto dos Guararapes, imagine o que acontecerá hoje à tarde no retorno. A INFRAERO e a PM/PE já montaram um esquema especial. Mas a loucura vai ser grande.Comedida, mas apaixonadamente, este cacique está muito feliz. Até colocou sua bandeira na varanda.
Cantemos uma canção por esta centenária paixão: SPORT - Uma razão Para Viver













Balística: O Efeito dos Projéteis

O filme a seguir apresenta disparos feitos contra um mesmo alvo com armas de calibres diferentes. Não quero fazer enaltação a armas nem apologia a nada, mas apenas mostrar a dificuldade para os policiais e forças de segurança enfrentarem a bandidagem. Dá prá imaginar o que aconteceu com aquele cinegrafista da BAND.

video

Kama Sutra Para os Nerds

Sem Palavras...