Read In Your Own Language

sábado, 5 de novembro de 2011

Se Bobear o Bicho Pega: Red Light ON

Pré-Scriptum: Prá quem não identificou toda a bandidagem acima: Çeverino Cavalcante, João Paulo Cunha, Aldo Rebelo, Gushiken, Osmar Serraglio, Maluf, Delúbio, Palocci, 9 dedos, Dirceu, Roberto Jefferson, Marcos Valério.

Sábado não costumo postar matéria pesada. É um dia família, de feira, meio relaxamento, de preparação do lazer plural do domingo, etc. Mas o tema foi tão brutal, que nos permito relatar sobre mais uma manobra contra a penalização dos mensaleiros.
O pior de acompanhar o que se faz de bandalheira neçepaíz é ter que manter a guarda sempre alta e a luz vermelha acesa e piscando. É notório que, mesmo constatado, provado e comprovado o escandaloso crime do mensalão, que desencadeou a safra crescente de serrergonhices no país, posto que, depois que o 9 dedos disse que "não, sabia, não, viu e foi traído" todo mundo danou-se a arregaçar a burrinha pública despudoradamente; a administração petralha e sua base alugada, vem dazendo de tudo prá acobertar e inocentar os 40 ladrões, ops, 40 denunciados de todas as formas. E em todas as instâncias do poder: executivo, legislativo e judicário.
Essa semana foi mais uma tentativa de pernada no congresso. Tramita na câmara uma escrescência de um projeto, imaginem, para conceder anistia aos deputados cassados José Dirceu, Roberto Jefferson e Pedro Correa, por terem participado obviamente do escândalo.
Sem que ninguém saiba de onde, este projeto foi parar na mesa da Comissão de Constituição e Justiça, presidida por ninguém menos que o João Paulo Cunha, aquele réu cuja cunhã foi receber R$ 50.000 na boca do caixa prá pagar a conta da TV a cabo, havendo até sido incluído na pauta de votações da semana que vem.
Usando a linha mestra da defesa do imperador de Caetés, JP alegou que havia colocado o assunto na lista dos que seriam votados por um "equívoco".

“Eu não pautei. Essa pauta deve ser remanescente. Eu não vi esse projeto. Nem sei por que isso foi para a pauta. Alguém deve ter pedido para colocar o outro projeto, do Mulim, e esse veio junto. Eu já mandei retirar. Aquilo que estava lá era só uma sugestão de pauta, não tem nada a ver esse projeto estar lá.” Todas estas foram frases de um cínico tentando explicar como misteriosamente um projeto malandro sai sozinho dos arquivos e se posta por fora como espada sobre a pauta de reuniões da mais importante comissão da casa, ao mesmo tempo em que expulsa o invasor e faz uma cara de paisagem.
O autor da proposta, o ex-deputado Ernandes Amorim, por acaso do mesmo partido de Jefferson, tem como argumento o fato de que apenas os três não poderiam responder em nome de todos os outros supostamente envolvidos no esquema. "Impedir a participação no processo eleitoral de apenas três, entre os mais de cinquenta e cinco denunciados, não se justifica, especialmente tendo em vista que os parlamentares cassados em plenário permanecem ativos na vida política nacional." Ora poha, então põe tudo nacadeia e faz devolver o que receberam.
O fato é que, se a imprensa não estivesse de olho, ia correr por baixo dos panos, como sempre costumam fazer. Portanto, todo mundo ligadinho. Com a corja não se brinca. Nada de relaxar.

As Flores nos Saúdam. É preciso Olhar Prá Elas


Suspensão Magnética: Transporte do Futuro

O uso do princípio das forças de atração e repulsão magnéticas é testado em laboratório há bastante tempo. Existem algumas linhas de TGV operando em caráter experimental, mas ainda se depende do que se denomina super-magneto; muito próximo de se obter em função do rápido desenvolvimento das super-cerâmicas, ou super-condutores; nos quais as perdas eletro-magnéticas são muito próximas de zero. Como fazer? Criogenia...Frio extremo muito próximo do zero absoluto (-273 graus Celsius) quando teoricamente as moléculas estacionariam seu movimento quântico e o gasto de energia para movimento seria nulo. Minha expectativa? Mais uns 30 anos para atingir nível comercial. Mas na velocidade que vai....
video

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Cordelando 34: Aprendendo a Fazer Referendum

Cada coisa que eu vejo,
Nesse mundo de meu Deus.
Pensava que governante,
Cara de pau só os meus.
Pois não é que na Orópa,
Na terra dos pensadores.
Apareceram uns caras,
Na matreirice doutores.

Devendo o nêgo e o cachimbo,
Prá tudo que é banqueiro.
Não tendo nada no bolso,
Qualquer que seja o dinheiro.
Seja Euro seja Dracma,
Dólar, Yuan ou Yen,
Esse povo lá Grécia,
Não vai pagar mais ninguém.

Fizeram mil reuniões,
De tudo quanto foi jeito.
Com e sem o aval dos bancos,
Concordando ou até no peito.
Com a porrada cantando,
Na rua todo povão.
Greve, incêndio e puliça,
Teve muita confusão.
Depois de tudo acertado,

Conta trocada por milho.
Desconto mais que a metade,
Melhor do que pai prá filho.
Os helênicos voltaram,
Prá toda rua correndo
Papandreou teve medo.
E convocou referendum.

Do jeito que coisa tá,
Pegando fogo e fervendo.
A conta lá no final,
Dá mais de 90%.
Prá recusar a ajuda,
Que me parece decente.
Só tem que cortar os gastos.
O que é muito coerente.

Só lembrando que a Grécia,
Que fundou democracia.
De uns tempos para cá,
Virou grande pu**ria.
Já tinha muitos programas,
Chamados de social.
Aposentadoria bem curta,
Que prá eles é normal.

No ano 2004,
Na olimpíada que fez.
Lá se gastou muita grana,
Corrupção teve vez.
Obra superfaturada,
Que nunca mais se usou.
Igualzinho como se faz,
Aqui ao sul do equador.

Sem falar nas mordomias,
Das profissões que "maltratam".
Que se aposentam mais cedo,
Pela maldade que causam.
Coisa igual cabeleireiro,
E de sopro instrumentista.
Quem apresenta TV,
Do senado motorista.

Fora os exemplos que dei,
Tem um monte registrado.
E só procurar no seu Gugol,
Logo será encontrado.
Do mesmo jeito que faz,
Quem toca a coisa aqui.
Não contribui nem um pouco.
E já vai se divertir.

Pior ainda nas casas,
Que se dizem ser do povo.
Todo dia se aprova,
Um benefício mais novo.
A diária não comprova,
Muito menos a despesa.
E as contas de telefone,
Crescem que é uma beleza.

Os Projetos do planalto,
Na hora da discussão.
Vira rolo compressor,
Aprova sem discussão.
A despesa só aumenta,
Sem receita se mostrar.
Se a gente não abre o olho,
Outra Grécia vai formar.

Não adianta ter queixa,
Na corte superior.
Quando tem um julgamento,
A todos causa furor.
Aquele da ficha limpa,
Extradição do Battisti.
Tudo é unanimidade.
Contradição não existe.

Aviso aos brasileiros,
Fique ixperto meu irmão.
O que acontece por lá,
Aqui não tá longe não.
Tem monte de cumpanhêru,
Ganhando sem trabalhar.
Quando a gente se der conta,
Vai sobrar prá nóis pagar.

Cordelando 35: Aumentando o IDH

Divulgaram essa semana,
O índice IDH,
Um número que inventaram,
Pros países comparar.
Seja não só da riqueza,
Que for capaz de gerar,
Mas também prá condição,
Do povo que lá morar.

O número é pequenino,
Só vai de zero até um.
Nesse apertinho danado,
Tem que caber qualquer um.
Depois da virgula 3 dígitos,
Espalhando direitinho.
Vai do primeiro ao do fim,
Sem deixar ninguém sozinho.

O melhor é Noruega,
Zero Nove Quatro Três.
Noutra ponta fica o Congo,
Com Zero Dois Oito Seis.
No meião fica o Brasil,
Com Zero Sete Dezoito,
Posição 84,
Não nos honra nem um pouco.

Tá certo que não se pode,
Querer comparar com o Brasil,
Uma terra que tão grande,
Pouco igual já se viu.
População bem crescente,
Que pouco pode estudar,
Mas com certeza podia,
Um pouquinho melhorar.

Basta ver que bem melhor,
Que o Brasil nessa tabela.
Tem Chile, Cuba e Barbados,
Panamá, Líbia e não encerra.
E o lugar que ficamos,
Desde lá 2010.
Só subimos um pontinho,
Quase nada, dezmeréis.

Comparando tudo mede,
Prá caber nessa continha.
Quanto vive, quanto estuda,
Quanto é sua rendinha.
Se tem casa e hospital,
Prá atender todo mundo.
Se tem estrada adequada,
Se tem dinheiro no fundo.

Quando vê que se compara,
Tudo quanto se falou.
Desde de 2003,
Tempo que o PT mandou.
Quando falam as mentiras,
Que se diz que ele fez.
E não passam de falácia,
Que não enganam vocês.

Hospital é uma vergonha,
Maca pelo corredor.
Nunca que vai ser igual,
Àquele que inaugurou.
Que ele disse dar vontade,
De até ficar doente,
Prá usar do seu serviço,
Que é prá bicho não prá gente.

Dos estudos nem se fala,
Até parece uma gincana.
Todo dia sai cartilha,
Que só bobinhos engana.
Livro que ensina errado,
A fazer conta e a ler,
Destoando da moral,
Que o avô ensinou a você.

Na hora que sai o número,
Que faz avaliação.
Não se acha a governANTA,
Que amuntou num avião.
Se mandando prá Orópa,
Deixando só por aqui,
Aquele dos 9 dedos,
Que a ensinou a mentir.

Que falava que o SUS,
Já beirava perfeição.
Falando até pro Obama,
Que copiasse o jeitão.
Que assim ia ganhar,
A sua reeleição.
Mas na hora do aperto,
Prá lá ele não foi não.

Preferiu pegar um carro,
De Insulfilme todo escuro.
Entra e sai pela garagem,
Escondendo atrás do muro.
E não foi prá lá prá UPA,
Que indicou prá vocês.
Preferiu cair nos leitos,
Lá do Sírio-Libanês.

Teve gente que me disse,
Bata nele seu cacique.
Isso eu não vou fazer,
Porque eu acho que é sandice.
Pois da doença dos outros,
Não quero fazer mangação.
Embora lá bem no fundo,
Eu ache que enganação.

Vão fazer uma pesquisa,
Das famosas do IBOPE.
E a fama da figura,
Que nunca baixa só sobe.
Conduzirá o milagre,
Prá nação agradecida.
Toda a tal corrupção,
Prá sempre será esquecida.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Hoje Só Dá Poder Judiciário

Num país em que o Poder Legislativo está mais preocupado em legislar em causa própria com sessões de homenagem e bajulações, aprovação de leis polêmicas e cheias de brechas jurídicas, emendas a orçamentos, taxas de sucesso para aprovação dessas emendas, implantação de novos e maiores benefícios e por aí vai, o POder Judiciário vira e mexe é chamado a tomar decisões pelo congresso nacional.

Hoje vai ser uma data daquelas, pois o STF terá uma pauta cheia de coisas polêmicas prá hoje.

Primeiro a decisão protelada do final de outubro quanto às atribuições do Conselho Nacional de Justiça; aquela provocada pela Associação dos Magistrados do Brasil e que questiona a autonomia do CNJ quanto a investigar, julgar e punir bandidos encondidos atrás da toga, nas palavras da Dra. Eliana Calmon, e que endossamos por completo. A AMB alega que essa função é dos próprios tribunais estaduais e feita pelas Corregedorias. Só rindo né? Lobo tomando conta de galinheiro.
Depois tem a ação de inconstitucionalidade quanto à MP aprovada pelo congresso e que confere à governANTA o poder de definir o valor do salário mínimo por decreto até 2014, sem a devida discussão pelo congresso, definida numa daquelas sessões conduzidas pelo (des)governo tipo rolo compressor bem típica do governo ditatorial do PT e da corja alugada (ver post abaixo).

Por último, haverá a decisão sobre a legalidade das famosas marchas da maconha, numa posição final se elas são apologia ao crime ou oportunidade de livre manifestação da expressão. Polêmica bagarai também.

Fugindo do STF para o TJ/SP, mas não menos importante, estará a decisão da ação de reintegração de posse das instalações da USP pelos baderneiros travestidos de alunos, que, mesmo perdendo a votação numa assembléia democrática, acharam por bem transferir seu acampamento de mauricinhos revoltados do Instituto de Ciências Humanas para a própria Reitoria. Uma meia dúzia de rebeldes sem causa (ou melhor, com causa própria - maconha e demais drogas em circulação livre no campus) e que quer representar milhares de estudantes, prejudicados pela ação dos marginais.

Observemos...

Atualização às 19:45 - O TJ/SP cumpriu seu papel. Concedeu 24 horas para a desocupação pacífica e negociada entre as partes civilizadamente, porém autorizando o uso da força policial repressiva se tal fato não ocorrer. Já o STF rechado de inçelenças nomeados pelos petralhas "achou" por 8 votos(Carmem Lúcia, Fux, Toffoli, Lewandovsky, Barbosa, Gilmar, Celso, Pelluso) a 2 (Carlos Britto, Marco Aurélio) que SM vai ser reajustado por decreto pois "a presidência não irá deliberar pelo valor e sim impor por ato "meramente declaratório". Até este horário não havia decisão sobre a marcha da maconha nem sobre o CNJ.

A Mania Ditatorial Está No Sangue da Corja



A obsessão da corja vermelha pelo controle da imprensa, e por conseguinte da informação, no caminho para a ditadura-popular-democrático-bolivariana é imortal. Aflora a toda e qualquer oportunidade de controlar a imprensa.

Na semana passada, foi criada em Bariloche/Argentina, durante a realização do III Congresso Mundial de Agências de Notícias, com a presença da então candidata Cristina Kirchner, a ULAN - União Latino-Americana de Agências de Notícias, um sonho acalentado pelos bolivarianos socialistas de meia pataca de plantão, que pretendem "organizar" e controlar a mídia dos países signatários, pretensamente comprometidos com o Socialismo do Século XXI pregado pelo louco moribundo Hugo Chávez, cuja pretenção eterna é acabar à mídia independente e "conduzida peluzianques".

Assinaram o acordo a Agencia Boliviana de Información (ABI), a Agencia Guatemalteca de Noticias (AGN), Andes de Ecuador, Agencia Venezolana de Noticias (AVN), Información Pública Paraguay (IPP), Prensa Latina (CUBA), Télam de Argentina.
No caso dos vermelhinhos locais, assinaram a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que administra a TV Brasil, a Agência Brasil e oito emissoras públicas (Rádio Nacional AM Brasília, Rádio Nacional FM Brasília, Rádio Nacional AM Rio de Janeiro, Rádio MEC AM Rio de Janeiro, Radio MEC AM Brasília, Rádio MEC FM Rio de Janeiro, Rádio Nacional do Alto Solimões AM e FM, Rádio Nacional da Amazônia – OC, e Radioagência Nacional.
Numa segunda etapa, os "acordantes" irão designar uma comissão para determinar as diretrizes gerais da ULAN; cabendo à EBC a indicação de um representante para integrar a Comissão Executiva da nova entidade. Tudo que eles gostam: controle de mídia e poder.
Lá no fundo, a maior beneficiada é Cuba cujo grande sonho sempre foi fazer nascer a União Latino-Americana de Notícias - ULAN, a super-agência de notícias latinas para fazer frente às grandes redes americanas. Isto até já se iniciou com a assinatura da tal carta de compromisso por representantes da Bolívia (ABI), Brasil (EBC), Cuba (Prensa Latina), Equador (ANDES), Guatemala (AGN), México (Notimex), Paraguai (IPP), Venezuela (AVN) e Argentina (Télam).

Depois ficam posando de democratas. Ô raça ruim...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Primeiro Aniversário: O Cordel 33


O Primeiro Aniversário


No dia 2 de Novembro,
Do ano que se passou.
Retomei esse projeto,
Que outro ano começou.
Ficou encostado num canto,
Parecia até esquecido.
Até tinha outro nome,
Juntando os Meus Amigos.

Na hora do recomeço,
O nome eu quis mudar,
Aproveitando o cacique,
Que já estava no ar.
Conversando e escrevendo,
Nas tais redes sociais.
Cada dia acrescentando,
Seus amigos tão legais.

O que aqui eu escrevo,
Mostro a minha opinião.
E até se eu copio,
Cito a fonte do irmão.
Prá não ficar mal falado,
E passar por embusteiro.
Igual àquele do blog,
Que cresceu fazendo feio.

Meus amigos visitantes,
Que frequentam esta taba
Tem tanta gente legal,
Se for contar não se acaba.
Gente de todo planeta,
Todo canto do Brasil.
Alegria que me dá,
Desse povo varonil.

Diferente do que faço,
Sextas feiras com cordel.
Quando desço a borduna,
Nos safados sob o céu.
Hoje só é alegria,
Festa e comemoração.
Agradeço a todo mundo,
E guardo no coração.

Primeiro Aniversário da Tribo

A Tribo hoje completa seu primeiro aninho. Embora tenha sido registrada no blogger em 25/10/2009, ainda como "Juntando Meus Amigos"; ficou mais de um ano desprezada até sua ressurreição em 02/11/2010, quando retomei o projeto, até citado na ocasião como bem nascido, mas mal criado.

De lá prá cá, muita água passou na roda do moinho. A história de nosso tempo foi sendo registrada aqui, com a inestimável companhia de muitos amigos. Até uma veia poética se desvendou neste cacique. De tanto comentar sobre poemas com minhas queridas @sonia_lv e @moimemei, elas me convenceram a fazer uma poesia, que ao fim se materializou num cordel, que mais tarde passou a ser o tema central de nossas sextas feiras, numa crítica ácida mas bem humorada do que acontece nas semanas brasileiras. Tem até ficado bom e diverte demais quando estou fazendo.

Agradeço muitíssimo pelo apoio de meus leitores, pelas visitas (que já passam de 35 mil) e pelos comentários (os aplausos para quem escreve). Vamos em frente.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Marta: A Pá de Cal

De uma praga Sampa está livre. Dona deelma pediu a martóxica, antes de viajar prá Cannes, que desista de disputar a Prefeitura de São Paulo. Prá tirar as broncas e se fazer de meditadora, o tamborim quatrocentão só irá divulgar essa boa notícia ao sistema solar na sexta-feira.
A governanta teria dito isso em voz ecoada com o 9 dedos, o que detona de vez uma invencionice dela, já que ambos estariam apoioando a anta do Maldadd, facilmente torpedeável.
A dentuça ainda teria dito que "Marta havia sido a melhor prefeita que São Paulo teve, mas, mesmo assim, não deveria se candidatar de novo porque agora sua presença no Senado é mais importante, pois como vice-presidente do Senado ela é essencial para ajudar nas votações que interessam ao governo".
Prá quem já viu a esticadinha vociferando e toreando os senadores sentadinha na cadeira do Riba, pode até achar que essa seja a única verdade, mas o que se quer é tirar essa idéia nefasta da cabeça dela. Ninguém nas hordes petralhas suporte a Marta, tanto que ela fica isolada em todas as reuniões e eventos, embora tenha apoio dos militantes de base.
O enfeitadão do Eduardo Suplicy abestado como sempre, inventou de montar um "call center" para tentar vender voz e beleza sonora com twitter e telefonemas pessoais em busca de apoio.
Como todo corno que se preza, o superhomem tupiniquim disse que não foi informado do pedido de deelma para Marta.
Eu aconselho que eles voltem e se consolem mutuamente. Ia ser tão bom para a cebecinha dos filhotes roqueiros....

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

domingo, 30 de outubro de 2011

Raios: Um Perigo Danado

Todos os grandes corpos ao se mexer adquirem eletricidade estática. Aquela gerada pelo atrito com o ar. Lembram daquela experiência lá do ginásio (vixe, isso é antigo...), de passar o pente no cabelo? Pois é. Depois publicarei mais alguma coisa sobre o tema.

Para evitar acidentes com aviões, no instante em que param, corre uma criatura e faz um aterramento rígido da aeronave com o solo, para a descarga elétrica controlada.

Não obstante, o avião passa a fazer parte de um imenso pára-raios. Veja o efeito. O raio cai no ponto mais alto (a cauda) e "sai" pelo aterramento do trem de pouso dianteiro.

O carreirão dos pobres homens de pista é hilário, mas deve ter dado uma faisca e um "BZBZBZBZ" bem grande. Coitados.


video

Ilhas Diomedes - Estreito de Bering

Lá em cima do globo da terra, pertinho do topo do mundo, a América e a Ásia quase se encontram. Prá ser mais preciso, ficam a pouco mais de 4 km uma da outra, bem no estreito de Bering. Porém, a proximidade não se dá pelas porções continentais e sim por duas pequenas e isoladas ilhas chamadas, Ilhas Diomedes. Um lado é Estados Unidos (a pequena Diomede) o outro é Rússia (a grande Diomede). A maior parte do ano fica tudo congelado e é possível se atravessar a pé (se não congelar antes).


Na imagem acima se vê as ilhas Diomedes no horizonte. Dois continentes, dois países, duas culturas, dois regimes. Bem pertinho, pouco maior que a ponte da minha taba. Mas qualquer percurso entre eles terá uma diferença de 24 horas...A linha de tempo global passa exatamente entre elas. Durante a Guerra Fria, um período para ser esquecido, os loucos nativos que habitavam as ilhas não podiam circular entre as ilhas, nem trocar qualquer tipo de informação, na área que ficou conhecida como "Cortina de Gelo". Após o final da 2a Guerra, todos os nativos da ilha russa de Grande Diomedes foram transferidos para o continente, e a população do arquipélago contempla apenas um pequeno povoado apenas na ilha norte americana, que hoje possui cerca de 170 habitantes, num dos locais mais isolados do planeta.
Em 1987, um evento emblemático levou as pequenas ilhas às manchetes do mundo inteiro. A nadadora americana Lynne Cox atravessou os pouco mais de 3.700 metros que separam as ilhas irmãs, num gesto de aproximação entre as super potências que se esforçavam para estreitar os laços a tanto tempo separados.
Hoje, em tempos de paz, há vários projetos para integração entre os continentes, seja por questões românticas, sejam comerciais; com obras de túneis e pontes na região, perenizando o acesso da época de inverno.
Humberto Eco, em seu romance "A Ilha do dia anterior" explora muito bem as idiossincrasias de viver em Diomede... "Meia-noite de sexta-feira, aqui no navio, é meia-noite de quinta-feira na ilha. Se da América para a Ásia viajas, perdes um dia; se, no sentido contrário viajas, ganhas um dia: eis o motivo por que o [navio] Daphne percorreu o caminho da Ásia, e vós, estúpidos, o caminho da América. Tu és agora um dia mais velho do que eu! Não é engraçado?"