Read In Your Own Language

sábado, 12 de novembro de 2011

Efeito 11/11/11 em Manaus

Tá legal...11/11/11 às 11:11 h seria o fim do mundo. Como estou aqui e vocês aí, não aconteceu; portanto, vida que segue, pelo menos até 21/12/12, a próxima data prevista pelos fatalistas.
Mas nesta Manô dos Mil Contrastes, ficou bem pertinho de acontecer.

Mais ou menos 08:50h caiu um temporil-que-putaqueparal. Chuva muito forte, ventos violentos, raios e trovões e, pobre tecnologia, queda dos serviços de energia elétrica e suas consequentes perdas (ainda que em alguns casos apenas parcial) de internet, telefonia fixa e celular, sinais de trânsito, bancos e fornecimento de água.

O vilão da moda no Brasil foi acionado. Um raio teria atingido uma das linhas de transmissão a partir da UHE Balbina, em Presidente Figueiredo, desencadeando um efeito dominó que foi desligando as usinas térmicas uma a uma e levando ao black out. Raios, sempre os raios.
O diretor de operações das empresas distribuidoras da ELETROBRAS (já retomo o tema), Raidyr Oliveira disse que a grande incidência de raios em Manaus foi uma das causas do problema. “Balbina é geração hidráulica, então, é o equilíbrio do sistema. Quando o raio atingiu a linha, o sistema de proteção atuou e isso tirou todo o sistema. A proteção é prá atuar mesmo, para evitar danos maiores e atuou, tirando todo o sistema de Manaus.”
O abastecimento começou imediatamente, mas até agora (08:45h) ainda existem muitas áreas que reclamam da falta de energia.

Lare-lare à parte, comento:

1. Quedas de raio na Amazônia existem desde o Big Bang, portanto é uma falácia que não podem ser previstas. A proteção não é 100% perfeita, mas é possível SIM, se atenuar seus efeitos. Raios catastróficos, aqueles de ótima pontaria que derrubaram o sistema interligado Brasil afora, são raríssimos.

2. A Eletrobras reuniu em uma única empresa os seus sistemas de distribuição falidos, assumidos dos governos estaduais (AC, AM, RO, RR, AL, PI) e ainda estuda a incorporação de mais 4, mantidas "em sigilo comercial", mas que devem fazer parte de algum acordo espúrio de governadores da base alugada. Existe uma única diretoria para coordenar as ações de sistemas tão dispares como os que se cita aqui. É como juntar num mesmo balaio bananas e amoras. Exceto prá salada de frutas, não se prestam a conviver. E mesmo assim teriam prazo de validade. É absolutamente impossível se "tocar" sistemas tão diferentes e com tão distintas necessidades e peculiaridades.

3. Com só têm uma diretoria (5 membros) nem por rodízio é possível que estes diretores estejam pelo menos, uma semana por mês em cada uma delas. Isso SE eles fossem e SE ficassem uma semana inteira fora da sede no Rio de Janeiro, onde existem inúmeras atividades que requerem suas presenças centralizadas.

4. Antes que venham dizer que "isso é do governo FHC", É SIM. As empresas foram absorvidas para serem agrupadas em conjuntos similares e economicamente viáveis para serem privatizadas. Mas os petralhas ganharam a eleição com o 9 dedos e abnegaram o processo, como sempre; ficando esse monstro que aí está e que parece vai aumentar suas melenas de Hidra.

5. Colocar uma diretoria com autonomia em cada uma, seria a solução de estalar de dedos. Ou seja, pelo menos 30 novos cargos diretos (não errei a conta, tem a diretoria central) e dezenas indiretos no colo da corja. De fazer babar até os monges do Tibet. Comenta-se nas cocheiras, que até dona deelma já falou, ainda sinistra das minas e energia, que deveria se dar prosseguimento à "concessão" das operações (privatizar é palavrão, lembrem-se, e portanto, não posso escrever aqui).

6. Especificamente no caso de Manaus. O suprimento é feito pela UHE Balbina, auxiliada por usinas térmicas localizadas dentro ou muito próximas da área urbana, interligadas por um complexo sistema de linhas de sub-transmissão. As potências instaladas estão da ordem de 70 a 120 MW por usina, para uma ponta de carga em torno de 1.200 MW.

7. Na boa engenharia, chama-se de "Barra Infinita" um sistema em que a tensão (voltagem, no popular) e frequência são constantes. Ou seja, perturbações externas (raios, por exemplo) ou internas (desligamentos de unidades) não afetam a estabilidade do sistema ou são por ele absorvidas. tem uma porrada de equações cheia de integrais, derivadas parciais, operadores vetoriais etc, para estudar e explicar isso. Mas, em resumo, perder uma usina qualquer que representa 10% do total do equilíbrio oferta X demanda de energia etá MUUUUUUITO longe de ser barra infinita.

8. Aí entra a Seletividade da Proteção. Os relés atuam e desligam cargas de menor prioridade para preservar a estabilidade do sistema. É complexo, mas temos no Brasil excelentes profissionais na área; bem formados e bem treinados. Porém, mal valorizados, sem estrutura de trabalho e cujos projetos de engenharia são substituidos por contratações que visam apenas taxas de sucesso.

9. Sob o comando central de um Edison Lobão, sob as ordens de José de Ribamar, a solução do problema não está nem perto de acontecer. à holding Eletrobras, deveria caber as diretrizes do planejamento central dos sistemas elétricos, como acontecia nos tempos do GCPS - Grupo Coordenador do Planejamento dos Sistemas, orgão da própria Eletrobras que geria o conjunto dos sistemas sem interferir na autonomia executiva das empresas. Alí se sabia tudo o que as geradoras, transmissoras e distribuidoras "pensavam" de seus sistemas pelos próximos 20 anos, ou mais, dependendo de sua importância no contexto nacional. E funcionava. Garanto; porque durante anos participei do grupo, no nível regional e nacional. Muitas dessas grandes obras "vendidas" pelos petralhas como tendo saído da cartola deles estão no papel desde 1980, quando entrei nessa brincadeira de ser engenheiro.

O Criado Mudo

O criado-mudo , Por Mário Prata

Tudo começou quando resolvi me mudar do décimo para o quarto andar, aqui mesmo, neste edifício da Alameda Franca. Um carrinho de supermercado seria o suficiente. Queria fazer lá embaixo um lar, já que isso aqui virou um vício.
E, como todo vício, tesão!
Lá no quarto andar, tem quatro apartamentos.
Eu não conhecia ainda os vizinhos quando o fato se deu. Passei o dia levando coisas lá para baixo. Há dois dias faço isso, ajudado pela Cristina.
Uma das últimas viagens e lá ia eu com a Cris ao lado, descendo pelo elevador. Carregávamos o criado-mudo. O criado-mudo tem uma gavetinha.
Quando a porta se abriu, havia duas famílias esperando. Meus vizinhos.
Pai, mãe, crianças e até uma avó. Foi quando eu estendi o braço para me apresentar como o novo vizinho que tudo aconteceu. E foi muito rápido.
Muito. Quando eu tirei a mão do movelzinho para cumprimentar aqueles que agora são meus vizinhos, a gavetinha deslizou. Eu ainda tentei uma gingada com o corpo pra ver se evitava a catástrofe, mas não adiantou. A filha da
puta estava indo para o chão, lisa como quiabo.
Estava indo para o chão com tudo dentro. E não existe nada mais indiscreto que uma gavetinha de criado-mudo de um homem que mora sozinho. Ou mesmo que não more. Ali você vai jogando coisinhas, papéis. Coisas, enfim.
Coisas que só têm um destino na vida: a gavetinha do criado-mudo.
Entre a danada escapar do móvel e esparramar tudo pelo chão, não devem ter sido nem dois segundos. Mas estes dois segundos foram sofridos. Neste pedacinho de tempo tentei, em vão, me lembrar do que era que tinha lá dentro e, consequentemente, toda a vizinhança ia ver. Além da Cristina.
Não deu outra. A gaveta caiu de quina e tudo voou. E voou tudo de cabeça pra cima, tudo querendo se mostrar. Ar livre. Há quanto tempo aquilo tudo não via a luz do dia, já que ficavam debaixo do abajur lilás? E não ficou tudo amontoadinho, não. O material se esparramou legal pelo hall. Diante do que vi no primeiro bater de olhos, a idéia foi pular em cima e cobrir tudo com o corpo até todo mundo sumir dali.
Sim, na gavetinha do criado-mudo a gente joga tudo. Pelos meus cálculos, devia ter coisas ali dos últimos cinco anos. Que, é claro, eu não saberia dizer. Eu não tinha idéia do que é que estava indo para o chão e aos olhos da vizinhança estupefata.
Um pedaço da minha vida estava ali, no chão, sujeito à visitação pública.
Uma vergonha.
E o pior é que não dava para pegar tudo de uma vez. Teve pilha que rolou escada abaixo. Moedinhas rodopiavam sem parar, fazendo aquele barulhinho.
A primeira coisa que a Cristina recolheu foi um par de brincos douradérrimos. Que não eram dela. E eu não ia explicar ali que eu não tinha a menor idéia de quem fossem. Podiam estar ali há cinco, seis anos.
As crianças olharam para três camisinhas e deram-se sorrisos cúmplices.
Não foi bem este o olhar da Cris.
Aquele pequeno despertador quebrou o vidro. Estava parado às 10 e 10 do dia 23, sabe-se lá de que mês ou ano. Três edições da Playboy. Velhas. Uma da Tiazinha. Constrangimento. Pra minha sorte, bem ao lado caiu a História da Filosofia, de I. Khlyabich. E o livro daquela jovem namorada do Sallinger, do Apanhador no Campo de Centeio. Amenizou um pouco. Trata-se de um masturbador de campo de pentelhos. E as camisinhas eram de 98, tava escrito lá. Limpou um pouco a barra. Um pouco. Sim, por outro lado, mostrava que desde 98 que eu... Deixa pra lá.
Tinha o menu da minha aula de culinária de março. Naquele dia aprendi a fazer crepe de pancetta e brie, com a professora Bia Braga, junto com o Frei Betto, aluno também. Tinha procurado tanto o Guia de Acesso Rápido do celular. Tava lá. Agora eu ia aprender a apagar os telefones vencidos da caixa.
Meu Deus, o que é aquilo no pé do garoto? Viagra! E o filho da puta pegou e mostrou para o pai, que me olhou com pena, com dó: tão jovem...
Tive que dar explicações:
- Hehe, é o Jair, que é do 103, psicanalista, amostra grátis, aí. Tem dois...
Já ia dar uma explicação da experiência que tinha tido com o que não estava mais ali, mas achei que os pais não iriam ouvir de bom grado, diante das crianças. Viagra é a maior sujeira, posso te garantir. Acho que não convenci ninguém. Cris, com os alheios brincos na mão, escondeu o Viagra. Vexame total. Mas isso era só o começo da minha vida esparramada no chão de mármore.
- A conta da compra do computador que eu dei para a minha irmã.
- Duas pilhas Duracell que jamais saberemos se estão boas ou já usadas. Esse problema de pilhas soltas me enlouquece.
- Sabe aquelas moedinhas de orelhão que não funcionam mais? Várias.
- Uma foto minha com a atriz Manoella Teixeira, abraçados na porta do Ritz (isso foi há dois anos, fui logo explicando).
- Uma cartela de Lexotan, uma de Frontal e uma de Zoloft. Pronto, os vizinhos não teriam mais dúvidas. Um louco deprimido se aproximava.
- Quatro canetas Bic que eu duvido que ainda funcionem.
- Uma capinha de celular que eu comprei há uns quatro anos e não serviu.
- Uma caneta dessas de marcar texto, aquela amarela, sabe? Seca, é claro.
- Um tubo de Redoxon, vencido há várias gripes.
- Um lápis sem ponta; aliás, dois.
- Um papelzinho com um telefone que jamais saberemos de quem é.
- Outro papelzinho com um telefone (procurei tanto... Agora não vai mais adiantar).
- Um benjamim.
- Um tubo (suspeitíssimo) de Hipoglós.
- Mais uma cartelinha (quase vazia) de Frontal.
- Um disquete de computador sem nada escrito nele. O que pode ter aqui?
- Um par de óculos escuros que nunca foram meus.
- Umas cinco ou seis chaves que nunca saberei que portas abrir.
- Dois tubos de KY, que quem sabe o que é pode imaginar o meu ar de sem jeito. E o cara do 43 levava jeito de saber, pela olhadinha que deu para a esposa, que ficou vermelhinha. Ela devia gostar de KY.
- Um livrinho mandado (e escrito) por um leitor, com o nome Ser Gay é Ser Alegre. Como explicar isso, de joelhos?
- E, para encerrar o meu derrame, um papel em branco com um beijo de batom vermelho, bem no meio. Tentei dizer que era da minha afilhada, Maria Shirts, mas não colou.
Fui recolhendo aquilo tudo, aqueles pedaços da minha vida e colocando de novo dentro da gavetinha. E me levantei.
Entramos em silêncio no apartamento, eu certo de que ia começar uma nova vida ali. Mas logo cheguei à conclusão de que a gente nunca começa nada, a gente continua.
Ajeitei o criado-mudo ao lado da cama. Fiquei olhando para o indiscreto móvel que eu achava mudo.
Mas que, em dez segundos, contara cinco anos da minha vida.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

E a Briga Continua Prá Sair no Cordel....

E continua a confusão prá sair no cordel do cacique. Sérgio Wally Cabral do RJ e Renato BigHouse do ES convocam marcha e showmício prá defender royalties; PF prendeu o Nem com a proteção de um consul de araque e o Patriota está viajando; Eduardo Campos quer fechar o Centro de Transplante de Medula Óssea do Centro de Hemoteraia de Pernambuco; puliça do Wally faz escolta prá bandido da Rocinha e o secretário de segurança está em Berlim; Celso Amorim volta a falar de compra de caças no meio do tiroteio; enfim; todos querem sair no sucesso das paradas. Desse jeito vou ter que largar da engenharia só prá fazer cordel prá essa corja serrergonha.

Cordelando 36: A Vergonha da USP

Uma coisa surreal,
Aconteceu na semana.
Estudante protestando,
Só pelo mato bacana.
Invadiram a Reitoria,
E fizeram um carnaval.
Riscando em todas paredes,
Que maconha era legal.

Começou no mês de maio,
Este fato inusitado.
Pois mataram um estudante
Lá no carro estacionado.
Completando então o ciclo,
De uma coisa marginal,
Bandido andando no campus,
O maior da capital.

Ali de tudo corria,
Assalto, roubo de carro.
Estupro, Curra e pó,
Além do maldito cigarro.
O Reitor só tinha pulso,
Na guarda universitária,
Pouco mais que vigilante,
Que não continha a gandaia.

Fez acordo com PM,
Que botou ordem na coisa.
Encheu rua de milico,
Tirou todos lá da moita.
Numa dessas vistorias,
Num carrinho bem suspeito,
Pegou lá uns baseados,
E prendeu todos sujeitos.

Acendeu o estopim,
Da turma do baseado.
Se prenderam esses três,
Vai sobrar pro nosso lado.
Cercaram lá os puliça,
Tentando evitar o flagra.
Era tanto do estudante,
Que parecia até praga.

Os PM não correram,
E chamaram o reforço.
Porrada prá todo lado,
Gás de pimenta, um colosso.
Levaram os 3 bandidos,
Pro lugar que não é mágico,
Na cadeia atendidos,
Ficharam eles por tráfico.

Os alunos invadiram,
O prédio da faculdade,
Tinha velho, tinha novo,
Tinha gente de toda idade
Poucos eram estudantes,
Como depois lá se viu,
Eram mesmo baderneiros,
Usuários do barril.

Cada pecinha tão rara,
Que dava nojo se ver,
Barbudinhos e barraqueiras,
Povo que não sabe ler.
Bastava olhar o cartaz,
Que tinha prá todo lado.
Escrito com tanto erro,
Aurélio ficou corado.

Fizeram uma assembléia,
Prá tomar a decisão.
Se saia ou se ficava,
Não teve aperto lá não.
Uma grande maioria,
Sabendo que era errado,
Votou prá irem prá casa,
Deixando aquilo de lado.

A turminha da pesada,
Não topou a decisão,
Invadiram Reitoria,
E causaram confusão.
Quebra-quebra do bem grande,
Porta, portal e portão,
Até câmera quebraram,
Prá não mostrar o bandidão.

Enquanto se discutia,
Se o pessoal sai não sai.
A juíza já dizia,
A PM vai atrás.
Marcando para segunda,
Reintegraçao de posse,
Pertinho da meia-noite,
Seja no limpo ou com tosse.

Seria só uma cena,
Igual tem em todo mundo.
Cerca, empurra e desocupa,
Tira de lá vagabundo.
Mas veio muita defesa,
Prá proteger marginal.
Dizendo que a PM,
Não podia dar com o pau.

Era tudo mauricinho,
Gente de muito dinheiro.
Vestindo roupa de grife,
Pensado estar num puteiro.
O exemplo que ficou,
Marcando alto e bom som,
Foi um tal manifestante,
Com GAP no moleton.

A mocinha escandalosa,
Que filmou a cena toda.
Parecia toda prosa,
Que soltou verbo da boca.
Se fazendo de coitada,
Com a câmera na mão,
Nem reparou que cheirava,
Pimenta em gás de montão.

Quando chegou no distrito,
Eram só 66.
Dos mais de oitenta mil,
Titica vejam vocês.
Preso, medido e fichado,
Inda causaram confusão.
Fazendo abaixo-assinado
Prá sair da punição.

Tentaram mais assembléia,
Pr'uma greve deflagrar.
Só juntaram 700,
Não deu nem prá começar.
O professor de história,
Que era grande defensor,
Não apareceu na luta,
E a coisa esfriou.

O importante desse fato,
Não se deve esquecer.
Estudante mundo todo,
Bota mesmo prá valer.
Sempre pelas boas causas,
No ensino melhoria.
Pela redução de preço,
Acabar com a carestia.

O fim da corrupção,
Vergonha em todo país.
Liberdade de expressão,
Dizer aquilo que quis.
Mas nunca por safadeza,
Nem por contra a repressão,
De liberar qualquer crime,
Em todo lugar da Nação.

Vejam que nem quis falar,
Do estudante a União.
Essa sumida há bom tempo,
Levada foi de roldão.
Pela grana que correu,
Deixando tudo impune,
Comprada pelo governo,
Pobre coitada da UNE.

Cordelando 37: Declaração do Lupi


Não sendo a bola da vez,
O ministro do trabalho.
Resolveu passar na frente,
Da fila lá do borralho.
O Haddad ele saltou,
Mesmo com a confusão.
Que deu no tal de ENEM,
Não é novidade não.

A revistinha danada,
A comandante do PIG.
Revelou que no Trabalho,
Tava o maior zig-zig.
Do mesmo jeito que foi,
No MINTRANS e no esporte.
Rolo com ONG demais,
Corrupção muito forte.

De resto, a mesma coisa,
"Não sei, não vi, não fui eu.
Já puni peixe pequeno,
Um coitado se fu***.
Deixe eu cá no meu cargo,
Lugar do meu PDT.
O feudo que construímos,
Vendo o dinheiro correr.

A governANTA, coitada,
Nem deu tempo respirar.
Mal botou um ômi prá fora,
Surge outro no lugar.
Chamo o gordinho Lupi,
E lhe deu a instrução.
Prá peitar toda imprensa.
Não deixar barato não.

O ministro jornaleiro,
Não entendeu o recado.
Encontrando jornalista,
Atirou prá todo lado.
Quando falou que a dentuça,
Tocar o barco mandou,
Esqueceu de quem mandava,
E a ameaça lhe mandou.

Dona deelma me conhece,
Sabe muito bem quem sou.
Não vai me botar prá fora,
O seu Lupi já largou.
Pois eu sou um homem grande,
Não caibo dentro de mala.
Para me tirar do meu cargo,
Não é fácil, só na bala.

A gorducha pegou santo,
E lhe mandou o recado,
Ou lhe pedia desculpa,
Ou ia passar o arado.
Não interessava mais,
Se o partido ia pular.
Da tal da base alugada,
Lupi não ia ficar.

Nada ficou diferente,
No processo que correu.
Lupi foi lá no congresso,
E o lero-lero correu.
Negou, ficou até puto.
Causando até alvoroço.
Pois teve até deputado,
Se pegando no pescoço.

Mas recebendo o recado,
Da Barbie do Paraguai.
O grandão tomou seu tento,
Aumentando o cai-não-cai.
Num repente derradeiro,
Prá não deixar o engano,
Largou lá do parlatório,
Dona deelma Eu Te Amo.

Vendo toda comoção,
De um homem tão sedutor.
Subiu toda a emoção,
Esqueceu grampeador.
Numa frase envolvente,
De fazer corar dotô,
Saiu-se ela com essa:
"O passado já passou.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Perfil dos Neo-Revolucionários



Dia de Orgasmo no Rio de Janeiro

Hoje é dia de orgasmo na banda podre da política do Rio de Janeiro. O sempre ausente Sérgio Wally Cabral aparecerá em grande estilo, como é de seu hábito, colhendo os louros de uma falsa votória e fazendo o que sabe melhor: marketing eleitoreiro.

Uma pequena diferença se verificará: o tradicional puxa-saquismo e louvação a falsos profetas em parte será travestido de ares de protesto.

Ano passado, navegava em mares de almirante, reeleito com extrema facilidade em primeiro turno, coordenando a concessão de uma esmagadora votação para a então bichinha palanqueira no seus domínios, com propalado e ostensivo prestigio com o 9 dedos e com sua indicada e se dando ao luxo de poder largar a cadeira, sumir nas Orópa e estar sempre ausente de todas a s confusões e problemas que se manifestaram no seu pedaço, como as grandes tragédia naturais nas regiões dos lagos e serrana; ou no acidente aéreo em que estava de carona em aeronaves de empreiteiros recém-enriquecidos por dispensa de licitação de sua administração; só vindo a aparecer nos famosos e infrutíferos sobrevoos sobre as áreas devastadas e promessas de implantação de códigos de ética e honra que não tem a menor idéia do que se trata.

O suposto prestígio babou literalmente quando o congresso ignorou solenemente as determinações ditatoriais do EX em "repartir" os royalties do suposto e futurista pré-sal mantendo a partição que privilegiava os estados produtores, mesmo com veto e tudo; e deixou Wally com o pincel na mão, posto que nem o berreiro à procura de uma causa #IdeliForever conseguiu impedir a decisão adotada pelos parlamentares dos demais estados.

Numa sinuca de bico, vai conviver com escorpiões prontos a ferrá-lo nas próximas eleições (O cara-pintada-de-vermelho-vergonha Lindberg, o santo bispo Crivella e até o baby tronador Garotinho) num palanque bizonho para defender a devolução dos bilhões anuais a serem perdidos pelo Rio de Janeiro no butim do petróleo.

Além do tradicional transporte de grátis (dessa vez será em buzão free ou fretado, barca, metrô, van, moto, bicicReta e tudo que carregar mais que um passageiro) e do sanduba de mortaNdela com tubaína, vai ter feriado meia boca com ponto facultativo, no estado e nos municípios, incentivo à presença na iniciativa privada financista de campanha.

Pretende 100 mil no evento. Tem que rezar prá não fazer sol, senão a concorrência com as praias vai melar a tal marcha e palanque, mesmo com um showmício programado. Resta esperar prá ver.

Por outro lado, a prisão do traficante Nem da Rocinha vai render um falatório daqueles bem tramados de UPP's, segurança permanente, Rio seguro, blá, blá, blá; deixando de lado que sua puliça estava escoltando a bandidagem prá fora dos morros, alertados que foram pelos decantados avisos de datas e horas da ocupação, como foi feito nas outras "comunidades pacificadas" e que estão às voltas com tiroteios quase que diários, deixcando a população em polvorosa.

À população do Rio de Janeiro: que fique bem claro que adoro essa cidade e nada tenho contra seu carinhoso e receptivo povo, mas não posso aceitar que canalhas como os que o administram enganem os menos afeitos à busca de informação, como se faz no âmbito nacional.

Einstein Ou Marilyn?

Sensacional. A curta distância é o grande Albert Einstein. Afaste-se uns 3 metros e verá a glamourosa Marilyn Monroe.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Minha Casa, Minha Tumba

Título do Post by @fitzca



À imagem e semelhança de tudo que se fez nos 8 anos de (des)governo do 9 dedos, em especial durante a campanha ano passado, mais um programa fantasmagórico e populista foi lançado ontem pela governANTA: o Minha Casa, Minha Tumba.
Oficialmente, o nome é Melhor em Casa, e seu objetivo declarado é ampliar o atendimento domiciliar do SUS, dizendo que, até 2014, o programa terá 1.000 (vou escrever...mil) equipes de atenção domiciliar e 400 (de novo, quatrocentas) de apoio atuando em todo o país, num investimento de R$ 1 bilhão, para custeio e manutenção dos serviços, assim como na compra de equipamentos e remédios.
É preciso registrar prá depois poder demonstrar a farsa: cada equipe multidisciplinar será formada por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeutas que poderão atender 60 pacientes por mês, entre pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica.
Como palavrório pequeno não existe, o programa prevê a isenção da tarifa de luz para pacientes que precisarem de equipamentos elétricos, desde que (olha o golpe) a família esteja inscrita no Cadastro Único (CU ?) do governo federal para programas sociais, enquanto durar o tratamento.
Assim como o bolsa família, sem controle e sem fiscalização, quem vai se lembrar que existem essas casas sem conta, ou melhor, com contas pagas por nossos impostos?
Na mesma balada, ainda se mostrou convênios com os 40 maiores prontos-socorros brasileiros. para aumentar o número de leitos para emergências. Cada um desses hospitais receberá, anualmente, R$ 3,6 milhões do Ministério da Saúde para custear a ampliação e qualificação da assistência de emergência. Também poderão receber individualmente até R$ 3 milhões para aquisição de equipamentos e realização de obras e reformas na área física do pronto-socorro.
Bom, considerando os programas anteriores, incluindo aqueles de fins explicitamente eleitoreiros, do PAC 1, 2 3, 4....; Minha Casa, Minha Vida; bolsas e mais bolsas, sei lá, dinheiro jogado a rodo nas urnas, ano que vem o impostômetro vai bater em 2 trilhões. É só esperar.
Falácia, enrolação, mais uma safra de mentira. Pena que a propaganda massiva institucionalizada desde Franklin Göebels Martins, a oposição incompetente e a imprensa genuflexa vai deixar que isso seja levado aos quatro cantos desse país como a versão mundana e profana do milagre de Lázaro.

Se o que a dentuça falou do new-SUS for metade verdade, vão falir todos os planos de saúde privados, como bem disse meu amigo @BlogOlhoNaMira

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Governo de Pernambuco Fecha CTMO

Com Informações da Folha de Pernambuco

Lembram do Dudu Campos, governador de Pernambuco? Aquele que largou suas obrigações prá ficar 15 dias em Brasília fazendo campanha prá arrumar uma boquinha prá mamãe Ana Arraes no TCU?
Pois é...Entre indas e vindas na corte, çua inçelença nem soube que a partir de dezembro, o Centro de Transplantes de Medula Óssea da Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco (CTMO/HEMOPE) vai parar de funcionar.

Com em casa de quenga qualquer um manda e desmanda, o secretário estadual de Saúde, Antônio Carlos Figueira ( que foi meu colega de rua e que chamávamos de Totinha. O pai dele também foi secretário de saúde quando eu era menino) determinou esse absurdo, deixando funcionários e pacientes do centro desesperados e estupefados.

É bom destacar que meu querido Pernambuco conta tão somente com nove leitos para essa prática de transplantes, sendo que apenas três desses inseridos no Serviço Público de Saúde, justamente no CTMO.

Não sei se este silvícola está louco, mas a justificativa da SESAU/PE se baseia em que "a medida visa ampliar o número de leitos.
No último dia 31 de outubro, funcionários e pacientes do Hemope fizeram um abaixo-assinado para tentar impedir o fechamento do Centro. Diz o texto: “Na contramão do interesse do Ministério da Saúde, que está disponibilizando recursos para a ampliação dos leitos, foi determinado o fechamento do CTMO/Hemope, sem considerar o deficit de leitos para transplante de medula óssea no Brasil, e, principalmente, no Norte e Nordeste”, informa o documento. “Viemos por meio desta, revelar esse absurdo, e convocar os órgãos de classe, os pacientes e a população em geral para impedir que isso aconteça”, completa o informativo.
A Folha Pe publica o depoimento da médica Érika Coelho, que é especialista em transplantes pelo CTMO/Hemope. Ela é contra a atitude da SES, e defende que haja um investimento de infraestrutura no próprio Hemope. “Não vai adiantar nada, não há justificativa para fechar o setor. Acho que o mais sensato seria ampliar e criar novos leitos aqui. Além disso, não recebemos nenhuma diretriz quanto ao futuro dos pacientes, e isso nos preocupa muito”, afirmou.
Atualmente, 93 pessoas estão na fila do Hemope, já com doadores esperando para a realização dos transplantes. A secretária geral Ana Paula Sóter, garante que a medida não vai atrapalhar o andamento da fila de espera. Segundo ela, o Governo do Estado gasta, em média, R$ 5 milhões anuais para manter o CTMO, e não faria sentido continuar pagando por um serviço que não vinha funcionando. “Esse serviço não era para ser feito pelo Hemope, pois não faz parte das atividades dos hemocentros. Como não estávamos atendendo a necessidade da população achamos que alguma coisa teria que ser feita”. Em dez anos, foram feitos 71 transplantes, o que dá uma média de RS 700 mil para cada caso.
Ana Paula confirmou que os pacientes serão redirecionados para outras clínicas credenciadas pelo Ministério da Saúde (HEIN???), para realizarem os transplantes. A secretária também fez questão de tranquilizar os pacientes que já estão em tratamento. “As pessoas que já fizeram os transplantes vão continuar sendo atendidas pela equipe do Hemope”, garantiu.
O presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco, Silvio Rodrigues, também se posicionou sobre o caso. “Defendemos que esse serviço não se acabe. O que aconteceu com o Governo foi falta de preocupação e investimento para as coisas andarem. Somos contra qualquer tipo de fechamento, esse serviço tem que ser regulado pelo poder público”, defendeu.

Com a palavra Dudu Campos...

Carta do Gen. Torres de Melo a Roberto Irineu


Li no Blog do Dr. House Anti-Socialista esta carta do General Torres de Melo, que foi comandante da 12a RM aqui em Manaus. Tem bolas e as honra.



AO PRESIDENTE DAS ORGANIZAÇÕES GLOBO DR. ROBERTO IRINEU MARINHO

Quem lhe escreve esta carta conheceu seu pai. Jantou na casa dele; estivemos juntos, em conversa, na Vila Militar, em Deodoro; naquela época, comandava este a Brigada Escola e foi subordinado do grande e ínclito chefe, general Euclydes Figueiredo. Ampliou seus conhecimentos, na própria sede das Organizações O GLOBO (jornal), quando tirou o Curso de Comunicação Social, no Forte do Leme.

Hoje, sou um general de divisão reformado e com 87 anos, lúcido e que ainda luta por um BRASIL digno e honesto e não aceita assistir ao País ser roubado por uma quadrilha que se apossou do PODER, não para resolver os problemas do povo, mas, para tirar proveito e locupletar-se com o dinheiro público. De logo, cito a escritora DUONG THU HUONG que, no livro maravilhoso - NO ZÊNITE - bem diz da canalhice esquerdista em todo o mundo. Diz ela: “a coisa mais importante e mais decisiva nessa mudança (VIETNÃ) é que na mata todos tinham se engajado por uma causa, dispostos a sacrificar a vida. Hoje, vivendo confortavelmente em palácios, cercados por exércitos de empregados e guarda-costas, vocês perderam a grandeza de alma de homens honestos. A riqueza e a glória transformaram o homem em animal doméstico”.

Compare com o nosso esquerdismo, vivendo nos Morumbi da vida e tomando whisky de 15 anos e com mulheres novas, cheirosas e bonitas. Faça, pelo menos, este favor.

Encontro-me chocado. Ontem, dia 27 de outubro de 2011, estava assistindo ao JORNAL NACIONAL, quando é jogada ao ar a notícia, que o Senado acabava de aprovar - A COMISSÃO DA VERDADE. Até aí, nada de mais. O grave veio depois. Na continuação da notícia é explorado o julgamento de oficiais do Exército Argentino e problema com o Exército Uruguaio, tentando, subliminarmente, fazer com que o povo brasileiro pense que o nosso Exército, também, é composto de facínoras e assassinos. Quanta ignomínia lançada, maldosamente, ao ar, com o fim exclusivo de tornar, ainda mais turvo o pensamento, principalmente, dos nossos compatriotas, menos esclarecidos! ! ! Não é a GLOBO DE ROBERTO MARINHO.

Quando dialogava com seu pai, ouvia sempre preocupações com o destino do nosso País. Ele não era homem de mentir, assim penso. Via cores negras para o nosso futuro. Sabia da infiltração, nos meios de comunicação de gente da esquerda, e, neste fatídico dia 27, tudo e tudo foi confirmado.

O senhor deve saber mais do que este - estamos à beira de um colapso moral. Bandidos de ontem estão tomando conta do governo. Estes escândalos semanais não são nada mais do que a destruição da sociedade brasileira, para que eles (comunistas) possam tomar o PODER.

A família brasileira está destruída. Não somos mais brasileiros do querido Brasil e sim um amontoado de brancos, negros, índios, dos sem terras e com terra, dos sem tetos e com tetos, dos bolsa- famílias e sem bolsa-famílias, etc. As Universidades não estão a formar o cidadão. A mulher “subiu”; mas, n’algumas vezes, para que isto acontecesse, ela “desceu”, rolando pelas escadarias de uma sociedade em decomposição.

O senhor deve conhecer quem é a camarilha que toma conta do governo atual. Deve saber o senhor, e muito bem, da declaração do seqüestrador PAULO DE TARSO VENCESLAU, quem mudou de cara, quem está envolvido com dinheiro (dólar) na cueca, quem matou em Santo André, quem fatiou com maldade brutal, um pobre miserável na guerrilha do Araguaia, chamado João Pereira, quem esmagou a coronhada a cabeça do Tenente da Polícia Militar Mendes Junior, quem explodiu uma bomba no QG do II. Ex. etc. Para nossa infelicidade, se o senhor não tiver conhecimento de nada disso, estamos mesmo, perdidos, e a TV do senhor irá defender ladrões da coisa pública.

No dia 28, no Bom Dia Brasil, veio o atual senador Aloysio Nunes Ferreira pregar mentira, quando, deveria encontrar-se preso, por ser assaltante do trem pagador. Se ele fosse um pé-de-chinelo da vida estaria preso, mas, como é comunista e ladrão, e o nosso povo, em sua maioria, ainda não sabe eleger seus legisladores, acaba chegando a senador da república. Pobre Senado. Onde ele gastou o dinheiro roubado? Deve ter sido nos cabarés de PARIS para onde fugiu. Agora, vem dar uma de democrata, quando era motorista do senhor Carlos Marighella, autor da CARTILHA DO GUERRILHEIRO URBANO. Não leu? Só um pouco: “Este é o núcleo doutrinado e disciplinado com uma estratégia de longo alcance e uma visão tática consistente com a aplicação da teoria Marxista, dos desenvolvimentos do Leninismo e Castro—Guevaristas, aplicados às condições específicas da situação revolucionária. Este é o núcleo que dirigirá a rebelião à fase da guerra de guerrilha.” Este é um dos democratas da guerrilha que lutou contra a sociedade brasileira.

Nas nossas conversas, o seu pai batia palmas por ter a sociedade brasileira e as Forças Armadas evitado uma desgraça, em 1964. Temos certeza de que o senhor sabe disso. Longe, muito longe, a idéia de acreditarmos que a TV GLOBO tenha se vendido por dinheiro. Seria a destruição de toda uma história construída pelo seu progenitor. É o que afirmam e, se é verdade, fechemos as portas e fujamos para outra parte do mundo, onde a vida humana tem valor.

A Argentina já tem sua Imprensa livre comprometida. Na Venezuela já não existe e, se a nossa já se vendeu, como falam - e este não acredita - pois, amamos a LIBERDADE E POR ELA LUTAMOS JUNTO COM ROBERTO ” e os que mudam de caras, “democratas”, mas choram, quando abraçam FIDEL.

A América Latina será um continente a sofrer a desgraça de um sistema, onde o coletivo será tudo e a pessoa humana, nada. Já estamos dando guarida a bandidos condenados, no exterior, praticamos crime hediondo quando não respeitamos os DIREITOS HUMANOS, como no caso dos dois atletas cubanos e assistimos a nossa TV GLOBO dando guarida a notícias que subliminarmente destroem o que de mais sagrado temos, no nosso País, ainda, as Forças Armadas.

Heitor de Paola, que em 1964 era comunista e que depois viu a desgraça onde vivia e esteve preso, no 23º BC, em Fortaleza, no seu livro – O EIXO DO MAL LATINO-AMERICANO - mostra com clareza que a esquerda luta pelo enfraquecimento da IGREJA CATÓLICA, enfraquecimento dos partidos da Elite, sucateamento das Forças Armadas. Tenho certeza de que o senhor sabe muito bem disso e na próxima eleição, tudo será feito para a conquista das principais capitais e cidades brasileiras. Dinheiros público e particular não faltarão, pois eles sabem usar a máxima: “O FIM JUSTIFICA OS MEIOS”. E o que dizer do APARELHAMENTO DO ESTADO em benefício do PARTIDO E DA IDEOLOGIA?

Ainda, aproveitando Heitor de Paola, transcrevo de seu livro o que falam ou falaram alguns comunistas:

a. “primeiro tomaremos o Leste da Europa, depois as massas da Ásia. Então, cercaremos a América, última fortaleza do capitalismo. Nem precisamos atacar. Ela cairá no nosso colo, como uma fruta podre”. LENIN

b. “Eu disse a Fidel, assumo o compromisso de continuar na luta, tua batalha interminável, e tu não irás agora. Não! Eu sei! Homens como Fidel terminam sacrificando sua vida, como Cristo”. Hugo Chaves

c.”Primeiro temos que dar a impressão de que somos democratas. No início temos que aceitar certas coisas. Mas isto não durará muito tempo”. Marco Aurélio Garcia

Eles lutam por aquilo que acreditam. O que me revolta e o que me preocupa, é que, os democratas não querem acreditar na desgraça que está chegando, nem lutam pela democracia. Eu já não estarei entre os vivos para assistir a degola que fizeram em todas as partes do mundo. Será que o senhor não sente que a TV GLOBO não vai ser autorizada a funcionar quando eles dominarem o PODER? Os senhores são burguesia, capitalismo, exploradores do povo e fazem parte da “ELITE” que explorou o índio, o preto, o operário e que agora, eles, salvadores da Pátria, estão roubando, não para eles, mas para o PARTIDO que dará a todos a felicidade que merecem.

Estamos terminando. NÃO VOU COLOCAR NA INTERNET. Irei apenas enviar para os meus superiores.

Caso, o senhor algum dia responda esta carta, o que esperamos, pelo menos explique-me o que de MAL O EXÉRCITO BRASILEIRO FEZ AO BRASIL? SALVAR A NAÇÃO DA DITADURA DO PROLETARIADO FOI O NOSSO ERRO?

Com os meus respeitos

GEN. DE DIV. REF. FRANCISCO BATISTA TORRES DE MELO
COORDENADOR DO GRUPO GUARARAPES

PS: Com muito orgulho o GRUPO GUARARAPES aprovou o documento, na Sessão de 1 de novembro de 2011.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

PLC 122: Ser Gay Agora Vai ser Obrigatório e Constitucional

Escrevi AQUI que a OAB e martóxica estavam preparando o golpe final para, disfarçado de criar o crime de homofobismo, implantar modificações de cunho punitivo exagerados na constituição federal, de modo a literalmente dizimar o pilar master da sociedade, ou seja, a FAMÍLIA.

É claro que a senadora vice-presidente nunca foi exemplo de modelo de virtudes para as novas gerações e a sociedade em geral, pelas suas extravangâncias contadas em prosa e verso pela mídia, particularmente, nas colunas sociais, incluindo-se aqui as promiscuidades relatadas em vários veículos de fofocas sociais, mas a afronta à instituição da família, a população heterossexual e os valores judáico-cristãos da sociedade brasileira na forma atual é um absurdo e um atrevimento muito grande, até para nossa Dona Flor.

O braço da OAB nesta cruzada pagã será a Comissão de Diversidade Sexual que levará à versão cheia de Data Vênias as idéias das deturpações mentais-patológico-sexuais da senadora, na forma da esdrúxula PEC que violenta costumes, tradições e princípios sócio-psicológico-educacionais que embasam a formação moral e espiritual da sociedade, da mesma forma que estimula o rentável crime organizado de prostituição da juventude.
O texto arrepia professores, psicólogos, psiquiatras, religiosos, promotores públicos, juristas e magistrados, sobretudo pelo desrespeito às famílias que formam a Nação brasileira.
Quanto aos parlamentares, a sociedade já pode estimar qual será a reação, pois a opinião pública dá sinais de repúdio aos seus representantes pelos desvios de comportamento e interesses escusos que infestam as relações com os governantes.
Na publicação anterior, apenas citei os principais e vexatórios pontos do projeto, agora dá prá ler trechos do texto final de modificação da CF. De levantar calçada até em Sodoma e Gomorra
Em sua nefasta estratégia, a senadora acredita que é importante aprovar primeiro o PLC 122/2006, pois sua tramitação está mais avançada, tendo já sido aprovado sorrateiramente na Câmara dos Deputados e restando apenas a votação no Senado. O segundo passo, na avaliação de Marta, é apresentar a PEC, que é uma matéria mais ampla e complexa. “A PEC é bem mais difícil de aprovar. Então, vamos começar com a homofobia e avaliar o momento adequado para fazer uma PEC com essa amplitude, que é realmente o sonho que nós gostaríamos para todo o País”, explicou a senadora à agência do Senado.
O Estatuto da Diversidade Sexual conta com 109 artigos, que alteram 132 dispositivos legais. O Estatuto criminaliza a homofobia, reconhece o direito à livre orientação sexual e iguala os direitos fundamentais entre heterossexuais e LGBTs.
Eis algumas dos “avanços” que o Estatuto da Diversidade Sexual propõe:
Legitimação da PEDOFILIA e outras anormalidades sexuais:
Título III, Art. 5º § 1º– É indevida a ingerência estatal, familiar ou social para coibir alguém de viver a plenitude de suas relações afetivas e sexuais.
Sob essa lei, a família nada poderá fazer para inibir um avanço na idade sexual nos filhos. A sociedade nada poderá fazer. E autoridades governamentais que ainda restarem com um mínimo de bom senso estarão igualmente impedidas de “interferir”.
Retirar o termo PAI E MÃE dos documentos:
Título VI, Art. 32 – Nos registros de nascimento e em todos os demais documentos identificatórios, tais como carteira de identidade, título de eleitor, passaporte, carteira de habilitação, não haverá menção às expressões “pai” e “mãe”, que devem ser substituídas por “filiação”.
Essa lei visa beneficiar diretamente os ajuntamentos homossexuais desfigurados tratados como família. Para que as crianças se acostumem com “papai e papai” ou “mamãe e mamãe”, é preciso eliminar da mente delas o normal: “papai e mamãe”.
Começar aos 14 anos os preparativos para a cirurgia de mudança de sexo aos 18 anos (pode começar com hormônios sexuais para preparar o corpo):
Título VII, Art. 37 – Havendo indicação terapêutica por equipe médica e multidisciplinar de hormonoterapia e de procedimentos complementares não-cirúrgicos, a adequação à identidade de gênero poderá iniciar-se a partir dos 14 anos de idade.
Título VII, Art. 38 - As cirurgias de redesignação sexual podem ser realizadas somente a partir dos 18 anos de idade.
Cirurgias de mudança de sexo nos hospitais particulares e no SUS:
Título VII, Art. 35 – É assegurado acesso aos procedimentos médicos, cirúrgicos e psicológicos destinados à adequação do sexo morfológico à identidade de gênero.
Parágrafo único– É garantida a realização dos procedimentos de hormonoterapia e transgenitalização particular ou pelo Sistema Único de Saúde – SUS.
Uso de banheiros e vestiários de acordo com a sua opção sexual do dia:
Título VII, Art. 45 – Em todos os espaços públicos e abertos ao público é assegurado o uso das dependências e instalações correspondentes à identidade de gênero.
Não é permitido deixar de ser homossexual com ajuda de profissionais nem por vontade própria:
Título VII, Art. 53 – É proibido o oferecimento de tratamento de reversão da orientação sexual ou identidade de gênero, bem como fazer promessas de cura.
O Kit Gay será desnecessário, pois será dever do professor sempre abordar a diversidade sexual e consequentemente estimular a prática:
Título X, Art. 60 – Os profissionais da educação têm o dever de abordar as questões de gênero e sexualidade sob a ótica da diversidade sexual, visando superar toda forma de discriminação, fazendo uso de material didático e metodologias que proponham a eliminação da homofobia e do preconceito.
Contos infantis que apresentem casais heterossexuais devem ser banidos se também não apresentarem duplas homossexuais travestidas de “casais:
Título X, Art. 61 – Os estabelecimentos de ensino devem adotar materiais didáticos que não reforcem a discriminação com base na orientação sexual ou identidade de gênero.
As escolas não podem incentivar a comemoração do Dia dos Pais e das Mães:
Título X, Art. 62 – Ao programarem atividades escolares referentes a datas comemorativas, as escolas devem atentar à multiplicidade de formações familiares, de modo a evitar qualquer constrangimento dos alunos filhos de famílias homoafetivas.
Cotas nos concursos públicos para homossexuais assim como já existem para negros, índios, deficientes, etc.
Título XI, Art. 73 – A administração pública assegurará igualdade de oportunidades no mercado de trabalho a travestis e transexuais, transgêneros e intersexuais, atentando ao princípio da proporcionalidade.
Parágrafo único – Serão criados mecanismos de incentivo a à adoção de medidas similares nas empresas e organizações privadas.
Casos de pedofilia homossexual irão correr em segredo de justiça:
Título XIII, Art. 80 – As demandas que tenham por objeto os direitos decorrentes da orientação sexual ou identidade de gênero devem tramitar em segredo de justiça.
Censura a piadas sobre gays:
Título XIV, Art. 93 Os meios de comunicação não podem fazer qualquer referência de caráter preconceituoso ou discriminatório em face da orientação sexual ou identidade de gênero.
O Estatuto defende ainda que o Estado é obrigado a investir dinheiro público para homossexuais que querem caros procedimentos de reprodução assistida por meio do SUS e também a criar delegacias especializadas para o atendimento de denúncias por preconceito sexual contra homossexuais, atendimento privado para exames durante o alistamento militar e visita íntima em presídios para homossexuais e lésbicas.

Fato é que, aos cidadão do bem, a luta está deflagrada. Um absurdo desse não merece nem ser discutido, quanto mais circular nas casas legislativas desta nação.

O Retorno das Fibras da Amazônia: JUTA

Com Informações do Portal Amazônia



Prá quem não conhece, a juta (Corchorus Capsularis) é uma planta herbácea da família das Tiliáceas, originária da Índia e largamente cultivada, para a obtenção de fibras têxteis com as quais se fabrica o tecido do mesmo nome; cultivada em áreas alagadiças abundantes na região nas chamadas terras de várzea.
A fibra, com cerca de 3,20 m, é extraída antes ou depois da floração e, no processo industrial, as hastes são cortadas, novamente amolecidas em água parada e, ao fim de um período de 12 a 25 dias, a casca se solta das hastes sem que se rompam as fibras. Daí são postas a secar em varais, batidas para desfiar e amarradas em fardos.
Desde 1929 com chegada dos colonos japoneses, acostumados à lavoura de arroz, foram feitas as primeiras tentativas de produção da juta na Amazônia, com as mudas importadas. Reputa-se ao colono Ryoto Oyama a produção de uma variedade de juta adaptada às condições da região amazônica. Tal fato foi registrado em solenidade verificada na Assembléia Legislativa em outubro pp, quando foram rendidas homenagens aos imigrantes japoneses, que ainda mantêm uma enorme colônia nas vizinhanças de Manaus.
A juta é usada na produção de telas, cordas, oleados, lonas, sacos, forração de tapetes e, em combinação com outros têxteis, na confecção de veludo, assim como em cortinas, entretelas, solas de alpercatas, reforços de capas de livros etc.
As indústrias de guerra utilizam a nitro-juta, explosivo de grande poder destruidor.


No auge da produção de juta no Amazonas, o Estado chegou a produzir 90 mil toneladas ao ano. Hoje, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os produtores amazonenses do produto colheram apenas 907 toneladas da fibra em 2010.
Com o advento das fibras sintéticas de plásticos, com maior facilidade e menor custo de produção, as fibras amazônicas (a juta e a malva) foram relegadas a funções menores e a indústria regional praticamente acabou ou foi muito limitada. Em épocas de retomada do naturalismo, necessidade de conservação de energia e redução de resíduos e poluição industrial, as fibras naturais voltaram à cena e ao mercado internacional de forma competitiva.
O Polo Industrial de Manaus - PIM, conhecido por fabricar produtos tecnológicos de ponta, vai retomando uma das culturas mais tradicionais da região: o beneficiamento da juta. Investimentos vultosos são feitos neste sentido.
Estima-se que haja cerca de 745 hectares de área para a cultura no em torno de Manaus e o IBGE indentifica uma expectativa de que cada hectare de área plantada produza apenas 1.286 quilos de juta, podendo aumentar consideravelmente, principalmente pelo desenvolvimento de novas espécies pela EMBRAPA, retornando o produto à linha de frente da agricultura brasileira, com um potencial gigantesco de exportação.
Uma nova fábrica para beneficiamento da fibra vai ser inaugurada no próximo dia 9, gerando cerca de 600 empregos diretos e fomentando a cadeia produtiva do segmento.

Cuidados devem ser adotados pois, como toda indústria textil, o cultivo e industrialização da Juta e Malva têm um certo potencial poluente, mas é um importante item na produção de bens de menor agressão ao ambiente que derivados de petróleo, como os famigerados saquinhos plásticos, e aqui me refiro a eles desde os de supermercados e feira quanto às embalagens industriais de 50/60 quilos.

Ah...E haverão de volta os queridos panos de chão românticos, alvinhos e eficientes para nossas casas.

domingo, 6 de novembro de 2011

Ditadura Bem Encaminhada

O Supremo Tribunal Federal vem dando mostras de que está em uma grande sintonia com a administração dos petralhas, mormente pela composição da corte, quase na totalidade indicada pelos vermelhos.
Já se referendou a decisão do 9 dedos em acoitar o Battisti, já se postergou e quiça esqueçam o ficha limpa, até teve o glorioso Fux dizendo que decisão de alta corte é emocional e que depois se acha base legal para calcá-la, e por aí vai. Sem esquecer o adoecido Barbosão sentado em cima do processo do mensalão desde 1500.
Numa demonstração de que a corte não abre mão de sua "independência" em relação à fiscalização e à opinião pública, o STF resolveu manter em sigilo a identidade de 152 autoridades suspeitas de cometer crimes e cujos processos correm na casa. A decisão ocorreu desde o ano passado num berrante regime de exceção, inspirado nos processos que correm em segredo de justiça e que visava proteger as investigações, e acabou tornando-se regra; passando a blindar deputados, senadores e ministros de Estado. O Estado de São Paulo, fonte destas informações, publica que em aproximadamente 200 inquéritos os nomes dos investigados são ocultados sendo disponibilizadas apenas suas iniciais são expressas, tornando quase praticamente impossível descobrir quem está sendo alvo de investigação.
Por exemplo, o inquérito contra a deputada Jaqueline Roriz (inocente aos olhos da câmara federal), aparece no site do Supremo apenas com as iniciais da parlamentar: JMR (Jaqueline Maria Roriz). Outros 6 inquéritos trazem as iniciais L.L.F.F. que não é ninguém menos que o senador Lindbergh Farias.
Trabalhando como investigadores de programas tipo CSI pode-se, com alguma dificuldade, cruzar as iniciais com todos os nomes de deputados e senadores eleitos e ou ministros. Por esse procedimento é possível dedizir que L.H.S. é o senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC). Mas na maioria das vezes essa pesquisa não é suficiente para saber quem está sob investigação no Supremo.
Que tomou essa decisão? Ninguém menos que o número 1, o presidente do tribunal ministro Cezar Peluso amparado no regimento interno do STF. Não se aplica aos demais tribunais.
Pela regra, o ministro que for sorteado para relatar a investigação analisa se o processo deve ou não correr em segredo de Justiça. Se concluir que não há motivos para o sigilo, as iniciais serão tiradas e o nome completo será publicado no site.
Executivo aparelhado, legislativo alugado e judiciário nomeado formam o tripé perfeito para a ditadura popular tão pretendida e demonstrada por vários caminhos pelos petralhas há mais de 30 anos, coisa que nem o declarado ditador Chavico ou os loucos Evo e Rafael e suas constituições modificadas aos seus moldes conseguiram

Surgimento de Marcas Famosas

Muitas marcas famosas têm uma historia interessante. Apresentamos a seguir algumas delas.


video