Read In Your Own Language

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Cordelando 22 - Deelma Dinamite: Sucesso Nos Isteites

O termo já se conhece,
Era do bom jogador.
Jogava no cruz de malta,
E muitas vezes ganhou.
No jogo de futebol,
E hoje a imprensa insiste,
Em chamar o tal fulano,
De Roberto Dinamite.



Pois não é que nos Isteites,
Uma revista famosa.
Copiou o apelido,
E aplicou na tinhosa.
Pensando em agradar,
Nossa imensa nação,
Lá chamou de dinamite,
A presidentA canhão.


Falava a tal Newsweek,
Usando nossa governANTA.
De que agora as muié,
É quem manda nessas banda.
Tem umas que são ministras,
Que decidem de montão.
Presidente de empresa,
Motora de caminhão.
E agora vai ter uma,
No TC da União.


O mundo vai ser da mulher,
Começando no Brasil.
Nem piscou quando falou,
A governanta senil.
Vai ter uma lá na ONU,
Pensa Luiz Patriota.
Já que o barbudo não foi,
Que seja essa idiota.


Eu não sei quem é que escreve,
Falação de presidente.
Mas uma coisa é certa,
Deve ser algum demente.
Pois tanto ouvi no passado,
Como agora a ungida.
Um monte de devaneio,
Que na língua dá ferida.


Dessa vez a governanta,
Falou sem merecimento.
Que no mundo a mulher.
Merece EMPODERAMENTO.


Mas nem tudo foram flores,
Nos discursos que falou.
Disse que respeitaria,
O invento do inventor.
Mas na hora da doença,
Cometeu um sacrilégio.
Avisando que quebrava,
A patente do remédio.


Por ser a primeira mulher,
Que essa assembléia abriu.
Por certo foi um orgulho,
Prás mulheres do Brasil,
Pois começando lá atrás,
Quando o Aranha mandava.
Sempre foi um brasileiro,
Que por primeiro falava.
Mantendo a tradição,
Que a todo mundo calava.


Reconheceu com humildade,
E isso não é minha intriga.
Que com tamanha responsa.
Dava um fio na barriga.
Mas isso não lhe censuro,
E nem mango dela não.
Sei bem o que é nervosismo,
De falar prá multidão.


Mas teve um tema danado,
Que causou apreensão.
Liberdade de Imprensa,
E acesso à informação.
Prometeu pro nêgo Obama,
Que aqui nesse rincão.
Não tinha nenhum documento,
Escondido nos grotão.


Esquecendo que o Collor,
E o bigodudo Imortal.
Quando falam de segredo,
Fazem aquele carnaval.
Pois tem uma porrada de tempo,
Que circula no senado.
A medida que permite,
Acesso de todo lado.
Pros documentos antigos,
Que ainda estão entocado.


Outra coisa melindrosa,
Um tema que sempre dança.
Foi a vaga no famoso,
Conselho de segurança.
Falando com veia grossa,
Estufada no pescoço.
Deelma disse tá na hora,
De angu que tem caroço.


Tem que ter um emergente,
Pois outro mundo surgiu.
E no meio desse povo,
O melhor é o Brasil.
A confusão que se vê,
Com a crise em todo canto.
É porque tem muito mundo,
Prá pouca gente mandando.


Outra coisa que causou,
A tremenda comoção
Foi quando a dona explosiva,
Falou de corrupção.
Quem ouviu o que ela disse,
Com tanta convicção,
Vai dizer prá todo mundo,
Que aqui não tem ladrão.


Falou de combate a fraude,
De desvio de dinheiro.
De controle de gastança,
Exemplo pro mundo inteiro.
Mas se sabe que a fala,
Que tanto aplauso levou.
Já não passa de falácia,
Que só o povo enganou.


Se não fosse a diferença,
Entre o que fala e o que há.
A belezura que disse,
E o que se vê lado de cá.
Seria uma grandeza,
Prá essa terra varonil,
E de novo grande orgulho,
Pro nosso querido Brasil.

7 comentários:

marciagrega disse...

Olá!!!!!


KKKKKKKKK adorei!
"Já que o barbudo não foi,
Que seja essa idiota."
Muito boaaaaa!!!

Bom findis!

Blog do Beto disse...

OLÁ.

PINCEI ALGUNS VERSOS E COLOQUEI NO MEU BLOG.

ABS DO BETOCRITICA.

opcao_zili disse...

Sei não meu amigo, mas essa "coisa"como exemplo de mulher governante não quero não. Ela só repete o que mandam. Espera as ordens dos "bacanas"do partido para qualquer pronunciamento à nação. Não gosto de mulher sem opinião e sem firmeza.
As mentiras eu já nem computo mais. Por isso nem ouço, mudo o canal. rsss

Rose disse...

Esse é um "caboco" que não pisa em ovos, não tem preocupação com machismo, feminismo ou qualquer outro tipo de radicalismo.
Como mulher, eu digo, essa marionete não me representa.
Não venceu por mérito próprio, foi a marquetagem da midia, das instituições, das igrejas, pois em todo o canto onde tem gente faturando com o desgoverno e doutrinando mentes suscetíveis, votar no PT é uma ordem.

Sonia disse...

A lábia é proporcional à ausência de caráter..
Adorei, cacique!! Impecável, bem desenvolvido e com aquele humor de sempre, fino, ferino... muito bom!!
Beijão!

CHUMBOGROSSO disse...

Cacique Ajuricabat
É o "Senhor do Porrete"
Queremos na Academia
Este "poderoso cacete"
Prá modi dida agonia
Nesse PT tiranete

Cacique, vc é o "engenheiro da trova". Abraços

Velvet Poison disse...

Ai, Cacique... seus cordéis são um alento para passarmos pelas notícias desta Idade das Trevas...