Read In Your Own Language

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Sobre Indignações e Revoltas

Esta cena aí em cima se repete pelo Brasil afora. Hospitais hiper-lotados, mal aparelhados, com capacidade muito inferior às necessidades e sem a mínima condição de atendimento digno à população. Assim como os hospitais, a segurança da população é pífia e carente. Assaltos, arrastões, sequestros relâmpago; tudo tem aos montes por todos os estados. Some-se as estradas completamente esculhambadas e assassinas e tudo se completa.

Mas o (des)governo se revolta e fica indignado. Com o que foi mutíssimo resumido no parágrafo acima? Claro que não.
O que se vê desde 2003 é a indignação com as prisões de bandidos discarados e serrergonhas apaninguados da administração pública. A ponto do STF editar um acórdão que proibe o uso de algemas no Brasil.

Portanto, calcado por esta decisão, os principais jornais do país apresentavam em suas manchetes inúmeras manifestações de otoridades sobre os casos de polícia que envolveram implicados em crimes de enorme valor contra o patrimônio público. Dona faxineira qualificou-o de “acintoso”. O nove dedos achou “inaceitável” e disse que as criaturas nefastas não eram bandidos quaisquer. O marido de Marcela Temer declarou-se “chocado”. Até Márcio Thomaz Bastos, ex-sinistro sa justiça indignou-se com o “abuso”. E todos enxergaram no episódio “uma grave ameaça ao Estado de Direito”. Parlamentares de todas as matizes da base alugada pularam igual pipoca na panela com seus afiliados e indicados algemados e fotografados em pose que merecem: como bandidos da pior qualidade. Invocaram até a semelhança com "o retorno à época das torturas". A versão feminina de Amon-Rá, Martóxica Suplício se declarou ultrajada por ser vinculada a um dos cânceres.'Agora os inçelentíssimos parlamentares estão em "greve branca". Não votam nada enquanto a governanta não assegurar que não se poderá mais prender ninguém, ou melhor, nenhum deles ou seus comandados.
O fato é que, ou nós nos rebelamos já e cobramos o fim dessa patifaria, ou amargaremos cada vez mais essa camarilha nos afrontando.

4 comentários:

Sonia disse...

Vamos nos revoltar!
Mas começamos por onde? Quem são nossos aliados realmente? Onde está nossa organização pra isso?
Não acredito que promovendo "tuitaços" vamos mudar alguma coisa. Claro que expressa indignação, mostra que não estamos satisfeitos, mas... e daí? Quem deles se importa?
Enquanto não tivermos algo de concreto em forma de ação, nada vai mudar, só vamos nos repetir aqui, dia após dia... :(

opcao_zili disse...

Bom dia cacique. Pois é, hoje lhe enviei um email que diz bem sobre tudo isso- palavras sábias e certas de Arnaldo Jabor. Perderam todos os parâmetros da vergonha e decência.Assim sendo, ética inexiste.Estamos num barco, sacudido por piratas amorais.Atacados por todos os lados. Os Jovens vêem nesse exemplo, as vantagens pecuniárias que esses sacanas levam e não pensam na moralidade porque o imediatismo não deixa.
Somente as famílias poderão salvaguardar alguma coisa. Mas será um esforço hercúleo porque , até os pais, na ânsia de ter mais esquecem-se do ser mais - eles e os filhos. Nossa situação é pior que a da Somália - temos fome e sede de moral, justiça, ética - fome de vida verdadeira.
Como diz vc, meu cacique, é CROÉO.

Velvet Poison disse...

O descaso que mata. Todo dia.

Anônimo disse...

Boa noite cacique!
Realmente a situação que muitas pessoas enfrentam é constrangedora para um país que se diz "estar em desenvolvimento".
Fico muito triste de ver tudo isso acontecendo em nosso país e muitas vezes não poder fazer nada, mas aí é que devemos pensar: "Pequenos atos podem mudar o mundo".
Vamos á luta por um país melhor para todos nós!

Abs.
Tatiana