Read In Your Own Language

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Gustavo Nascimento: O Novo Ronaldinho


Quando o gênio dos games, lulinha filho pródigo do EX despontou para o empresariado nacional, foi comparado por seu papai a um Ronaldinho dos negócios.

Pois agora surge o Ronaldinho da Linha do Equador.

O agora "famoso" nacionalmente, quiça internacionalmente, Gustavo Nascimento é o filhote prendado, inteligente e empreendedor do Fedoca Nascimento, ou Cabo Pereira, ex-sinistro dos transportes.

Ao que se publica em toda a imprensa, a Forma Construções, uma das empresas de Gustavo Nascimento, foi criada com um Capital Social de R$ 60 mil (dinheiro de pinga né?) e, apenas quatro anos depois, acumula um Patrimônio Líquido de mais de R$ 50 milhões, um crescimento da ordem de 86.000%.

As buscas jornalísticas começaram ano passado, quando se descobriu um negócio entre Gustavinho e a SC Carvalho Transportes e Construções, empresa que abocanhou recursos do Ministério dos Transportes, quando papito ainda era ministro do nove dedos. Em 2007, a SC Transportes repassou R$ 450 mil (troco, na certa) ao filho do ministro. Nesse mesmo ano, a empresa SC recebeu R$ 3 milhões do Fundo da Marinha Mercante, administrado pelo MINTRANS para incentivar a renovação da frota do país. Em 2008, a empresa ganhou mais R$ 4,2 milhões.
Os administradores oficiais da SC Transportes são Marcílio Carvalho e Claudomiro Picanço Carvalho. Em 2006, um ano antes da SC receber R$ 3 milhões do Ministério dos Transportes, Picanço doou R$ 100 mil à campanha de Nascimento ao Senado, como registrado no TSE. O empresário foi o principal doador da campanha do ministro. Picanço também doou R$ 12 mil ao PR, na época ainda chamado PL. Por coincidência, Marcílio é marido de Auxiliadora Carvalho, ex-diretora regional do DNIT no Amazonas e em Roraima.
O Ministério Público chegou a ouvir Gustavo, que disse que o dinheiro recebido da SC Transporte é fruto da venda de um imóvel (Hein?). O Ministério Público estranhou o crescimento patrimonial do arquiteto, já que apenas em 2005, aos 21 anos, ele e dois sócios fundaram a Forma Construções. No profícuo periodo até 2007, a empresa aumentou o patrimônio para exatos R$ 52,3 milhões, conforme documentos constantes na Receita Federal. Um ano antes, os ativos somavam apenas R$ 17,7 milhões.
Cabe uma pergunta: o leão, zeloso em achincalhar e colocar na malha fina seus contribuintes que vivem de contra-cheque, de onde a parcela do IRPF é retirada antes que ele mesmo receba, nunca percebeu que alguma coisa estava errada nessa poha?

Bom, mas ainda dá tempo. Escafuchem a vida dessa criatura nessa e em outras prováveis empresas, bem como a de parentes próximos como mãe, irmãs, tios, padrinhos, domésticos e assemelhados; que vão achar muito mais. É só querer.

4 comentários:

Velvet Poison disse...

A prole do povo destepaiz é fenomenal, não?! Já os nossos filhos, pessoas comuns, são.... comuns!

Graças a Deus, por isso. Honestidade se aprende em casa....

Marcos Pontes disse...

Pelo visto, as trinta e poucas linhas de seu texto são insuficientes para listar a ascenção meteórica do Abortinho, filho do Nascimento. A desconfiança de que o que difere dos filhos de muitos outros figurões dessa república de ladrões, é que ele deixou um rastro reluzente.

moimemei disse...

E a Receita hein?....

Velvet Poison disse...

moimemei, a Receita, está tão aparelhada quanto o "tudo" nestepaiz.

Lá, tem um tal de PT-Fisco. Que sempre operou par ao PT. Todo jornalista (os bons) que cobrem economia e política, em BSB, sabe do grupo: um monte de petistas, a usando informações da Receita, a serviço do partido. Eles são "fonte" dos jornalistas. Ninguém os entrega, por isso.