Read In Your Own Language

sábado, 9 de julho de 2011

Crônicas de Eduardo Bueno, o Peninha

O canal History está apresentando uma série de crônicas de Eduardo Bueno; jornalista, editor, roteirista, tradutor e HISTORIADOR gaúcho, conhecido como o Peninha (homônimo do primo do Pato Donald e funcionário de A PATADA). Seu estilo ácido e cômico disfarça o competente profissional que Peninha na realidade é.
Por muitos anos conhecido apenas do público gaúcho, destacou-se nacionalmente quando o jornalista Augusto Nunes veio revolucionar o jornal Zero Hora, e Peninha foi um dos principais nomes de sua equipe; além de traduzir On the Road, de Jack Kerouac, um clássico da cultura beatnik da década de 1950, que publicou em português como Pé na estrada. À época (sua tradução é da década de 1980), não apenas aderiu ao movimento, como também se tornou um de seus maiores divulgadores no país.
Nas comemorações pelos 500 anos do descobrimento do Brasil, fechou contrato com a Editora Objetiva para a redação de cinco livros sobre História do Brasil voltada para leigos, a Coleção Terra Brasilis que incluiu A viagem do descobrimento (1998); Náufragos, traficantes e degredados (1998); Capitães do Brasil (1999); A Coroa, a cruz e a espada (2006) e A França Antártica (2007). A vendagem dos três primeiros títulos alcançou 500 mil exemplares até 2006. Nesse período, o autor lançou outras doze obras de cunho histórico, entre as quais sobre a Caixa Econômica Federal, a ANVISA, o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, a Avenida Central e os Mamonas Assassinas, além de ter participado de um projeto sobre a biografia de Bob Dylan (artista pelo qual nutre uma admiração obsessiva).
Peninha é torcedor fanático do Grêmio, e conhecido por ser defensor do chamado "futebol força".

O mote das crônicas do History é um grande alerta prá todos nós:

"Um povo que não conhece sua história está condenado a repetí-la. Se você acha que os próximos 500 anos do Brasil não deveriam ser iguais aos 500 anos que passaram; fique ligado."

Segue um dos episódios e de lá pode-se obter o link para os demais.






3 comentários:

moimemei disse...

Bom dia Cacique!
Tenho quase todos os livros do Peninha , que apesar se ser criticado por outros historiadores, consegue tornar a leitura da história do Brasil muito agradável.
As entrevistas dele no Sportv,quando fala do Grêmio, são hilárias.

Abçs

Velvet Poison disse...

moimemei tem razão. Peninha "desmistificou" a leitura da História.

E olha, nada melhor do que ter opções. José Murilo de Carvalho e Eduardo Bueno. Precisa de bem pouco, a mais....rsrs.

Ajuricaba disse...

Aprendi a gostar do Peninha há uns 5 anos atrás quando vi uma entrevista dele sobre sua amizade com Bob Dylan. Referendei isso numa mesa redonda dele na ESPN falando sobre o imortal Grêmio de Futebol Portoalegrense. Genial.