Read In Your Own Language

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Cordelando 59: CPI do Fim do Mundo II

Todo mundo já conhece,
A história a circular.
Que lá pro fim de dezembro,
O mundo vai se acabar.
Mas eu cá com meus botões,
Tenho certa impressão.
Que essa poha não vai longe,
No nosso congresso não.
Convocaram CPI,
Pro cascata investigar.
Mas eu tenho um desejo,
Da coisa toda espalhar.
Pegando monte de gente,
Aquele bem safadão.
Acostumado a roubar,
Dinheiro dessa nação.
Primeiro deu um trabalho,
Prá nomear comissão.
Ninguém queria fazer,
Parte da turma não.
Sabendo que todos lá,
Por mais santo que pareça.
Tem um telhado de vidro,
Bem acima da cabeça.
Escolhidos os julgadores,
Que a todos vão julgar.
Na cadeira principal,
Ninguém queria sentar.
Presidente cargo ingrato,
De grande repercussão.
Principalmente esse aí,
Que tem muita confusão.
Tentaram até um sorteio,
Já que ninguém se engraçou.
Mas as bolinhas na urna,
Acho que ninguém botou.
Até que surgiu um nome,
Que não tem medo de tiro,
O senhor Humberto Costa,
Que tem fama de vampiro.
Corre-corre desgraçado,
Bem no final do eixão.
Todo mundo apavorado,
Do roncar desse trovão.
Será que o Cachoeira,
Sua boca vai abrir?
Se desse jeito fizer,
Muito homem vai parir.
Tem Cabral cagando fino,
Agnelo tá também.
Pirillo então nem se fala,
No vaso não se contém.
Muita merda aparecendo,
Norte a sul desse país.
E merda quanto mais fede,
Mais faz arder o nariz.
En Passant eu vou falar,,
Daquele bom senador.
Que cortou o seu "istambo",
Pois de ser gordo cansou.
Amigo do meliante,
Do comedor de pequí.
Que mesmo negando tudo,
Não consegue resistir.
O outro da construtora,
Da letra grega no nome.
Quando foi interrogado,
Negou conhecer o Ömi.
O fato que náo se explica,
Náo adianta negar.
E que onde se mexer,
Muito chuncho vai voar.
Sem falar no benefício,
Da mudança de prisão.
Pois disseram que seu crime,
Não era hediondo não.
Pois prá mim isso parece,
Grande favorecimento,
Igualzinho ao seu Stepan,
Que ganhou apartamento.
Prá encerrar o cordel,
Mudando um pouquinho de assunto.
Não posso deixar passar,
O destaque nesse mundo.
Os 3 que foram marcados,
Na lista da economia.
Gloriosa, Eike e deeelma,
Prá mim tudo é latumia.
No tempo de meu avô,
Depois do dia de feira.
A melhor coisa do mundo,
Era ir na cachoeira.
Mas depois do caso todo,
Alvo de investigação.
De cachoeira tou longe,
Como diria o Cascão.

3 comentários:

Blog do Beto disse...

OLÁ CACIQUE.


MUIIIIITO BOM.

ABS DO BETO.

CHUMBOGROSSO disse...

Cacique, que mal lhe pergunte
O que é que lhe arrelia ?
Só ouço um grande fudunço
Prás bandas lá de Brasilia
A turma do Mensalão
Agora pousa de "julgador"
Acusando de desonesto
O outrora probo Senador

Parece que muita gente
Tomava banho de Cachoeira
Até mesmo os "molha pés"
Não seguram a tremedeira
A Dilma mandou avisar
Que o problema é do outro lado
E que o Governo apoia
A "merda prá todo lado".

Ela que baixou os juros
Agora quer baixar o porrete
Só falta o Lulla concordar
Em segurar sozinho o "cacete"
O Zé Dirça aposta na merda
Prá seu lombo no Supremo safar
Mas esqueceu um detalhe
Ele foi que fez Cachoeira "lavar"

Fusca disse...

Grande cacique. Gostei do cordel. Vamos à capa do livro!