Read In Your Own Language

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Não Deu Tempo Nem de Esquentar

Nem bem a secou a tinta no papel no post aí de baixo e já aparecem chunchos ligados a dona Graça.Em meio a uma enxurrada de elogios a sua formação e carreira na Petrobras, já li bem cedo na imprensa que também fala, quase En Passant de que, apesar de estar cotada prá ser otoridade desde o começo do governo de deelma, incluindo um ministério em Brasília (prá ser mais exato, a Casa Civil), dona Graça já esteve em bocas de Matilde pois desde então já haviam fortes rumores de que a empresa do marido de Graça abençoadamente multiplicou seus contratos com a Petrobras a partir de 2007, coincidentemente o ano em que a até então simples engenheira da casa, ganhou cargo de direção na estatal.
De 2007 a 2010, a C.Foster, de propriedade de Colin Vaughan Foster, assinou 42 contratos, sendo 20 sem licitação, para fornecer componentes eletrônicos. Antes disso apenas um havia sido firmado. Em nota da ocasião, a Petrobras informou que não firmou contratos com a empresa de Colin, mas fez "pequenas compras de componentes", sem informar, no entanto, o valor total das tais compras. Ainda segundo a Petrobras, houve dispensa de licitação em 20 delas por terem valores abaixo de R$ 10 mil e que nenhuma das compras foi feita por alguma área vinculada à diretoria de Gás e Energia. Ah, assim tá...
Sob a luz dos holofotes, vejamos o que mais surge; lembrando que a Petrobras tem uma enorme pleiade de acionistas internacionais a quem deve satisfação.

2 comentários:

marciagrega disse...

É bom nem comentar...
Titia troca mil por duas de quinhentos.... Depois dizem que é a imprensa que é maliciosa...

bjusssssssss

Velvet Poison disse...

Feiúra extrema é pré-requisito número 1 para qualquer cargo nestepaiz. Antes até do que amoralidade, apego à corrupção, essas outras coisas inerentes ao petralhismo. Credo. Ô, povo feio!!