Read In Your Own Language

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Cordelando 21: Entrevista no Fantástico


Fato bem inusitado,
No começo da semana,
Foi a entrevista da deelma,
Naquele famoso programa.
Que seduz há muito tempo,
Todos nossos governantes.
Até o grande Itamar,
Quixote guerreiro errante.

Foi com Patrícia Poeta,
Um rostinho sem igual.
Feita aquela reportagem,
De brincadeira ou formal.
Começando no Alvorada,
Residência oficial.
Terminando no Planalto,
Palácio sensacional.

Dona deelma foi mostrando,
Sua casa passo a passo.
Passando pelo cinema,
A varanda e o terraço.
Cada recanto bonito,
Que tem por certo acolá,
Confirmando que sentou,
Em quase todo o sofá.

Mas o lugar mais querido,
Registrou na gravação.
Era na sala dos livro,
Que lhe gerava emoção.
Se bem que na hora exata,
Que a moça lhe perguntô.
Não lembrava qual o nome,
Nem do livro nem do autor.

Disse que lhe deram iPad,
Que é prá ler no avião,
O de asa ou o de rosca,
Tipo não importa não.
O que vale é o conteúdo,
Que tem naquelas letrinhas,
Ensinando prá megera,
Sempre uma nova coisinha.

Ainda sobre os e-books,
Se fazendo de fiel.
Disse que o mais gostoso,
Era o cheiro do papel.
Barulho da folha virando,
Tem o som de urubu.
Igual à outra folhinha,
Quando lhe passa no C*.

Indo de casa ao trabalho,
Ela vai bem ligeirinho.
Pois além de perto as duas,
Moto lhe abre o caminho.
Prá não perder muito tempo,
Pois tem muito o que fazer.
Pega logo um alicóptro
Se começar a chover.

Conversando no Planalto,
Patrícia lhe perguntou.
Foi no toma-lá-dá-cá,
Que ela negociou.
Prá botar ministro em cargo,
Mesmo sem ter competência.
Pois precisava dos votos,
De muitas das inçelenças.

A mulher pegou o santo,
Mas logo recuperou.
Transformando em brincadeira,
A grossura que falou.
A Patrícia ficou muda,
Pois o golpe acusou.
Mas chegando no estúdio,
O coice ela editou.
Inda bem que teve alguém,
Que no youtube gravou.

Quando falaram em faxina,
Tiveram que dar vorteio.
Pois na cabeça da coisa,
Limpeza não teve no meio.
Trocou foi algumas pessoas,
Que fizeram confusão,
Mas que no frigir dos ovos,
Era tudo amigão.

Prá não perder a viagem,
Faço aqui meu comentário.
O dia que deelma trabalha,
Não cabe no calendário.
Inventaram essa entrevista,
Prá desviar a atenção.
De todas patifaria,
Que assolam a nação.
Roubo e incompetência,
Tem por aí de montão.

3 comentários:

Sonia disse...

Não teria ninguém pra descrever, em síntese, a entrevista todinha (sem cortes!) melhor do que vc cordelando... rsrs.. Tá crescendo a cada dia... cheguei a visualizar tudo... bom demais!! hehe..

Velvet Poison disse...

Bom demais! Bora mandar pra o Fantástico?

Adriano Dal Molin disse...

Sensacional!!!