Read In Your Own Language

segunda-feira, 28 de março de 2011

Na Força da Grana



Foi um escárnio o volume de transgressões a todas as lei do país cometidas pelo EX e pelo seu séquito de seguidores e acólitos por sua ordem durante os dois anos que antecederam as eleições de 2010.

O uso da estrutura da união em benefício próprio, o fingimento de inaugurações de canteiros de obra, placas e "pedras fundamentais", as vociferações em palanques ilegais contra tudo e contra todos que atravessaram seu nefasto caminho, xingamentos e ofensas da pior qualidade, e por aí vai.

Mas tudo isso o povão gosta e rende votos. Como rendeu.

Mas o pior foi a exuberante gastança que se procedeu.

Dados obtidos pelos repórteres Julia Duailibi e Daniel Bramatti do Estado de S. Paulo dão conta que houve um considerável aumento de liberação de verbas não vinculadas do orçamento da união para estados e municípios nos anos de 2009 e, principalmente, em 2010, confirmando o berreiro do EX que dizia que "a prioridade é eleger deelma para o Palácio do Planalto".

Em relação a 2009, quando a transferência de verbas já foi um absurdo da ordem de R$ 9,2 bilhões, em 2010 a farra cresceu 51% em termos reais, descontada a inflação. No ano da eleição, o governo federal enviou para os governos estaduais e municipais cerca de R$ 13,9 bilhões como "transferências voluntárias".

Só prá saber, transferências voluntárias são recursos repassados pela União a Estados, municípios e entidades sem fins lucrativos, que podem ser usados para realização de obras ou na prestação de serviços. Esse dinheiro é repassado geralmente por meio de convênios ou acordos e não segue nenhuma determinação constitucional. É, portanto, recurso que pode ser distribuído de acordo com critérios escolhidos pelo próprio governo.

Vencida a eleição e empossada a ungida, chega a conta para os contribuintes: inflação ressuscitando, corte de verbas para investimentos, paralizações de atividades país afora, etc, etc, etc.

Mas a farra ainda não acabou. As promessas e conchavos pré-eleição ainda chegam aos borbotões na mesa presidencial. Vorazes e insaciáveis, deputados e senadores da base alugada se atiram na disputa de cargos e vagas que lhe permitirão instalar apaninguados onde mehor possam obter frutos das suas incontidas sanhas de apropriação do que é público.

E os aumentos de impostos já começaram: sobre bebidas (inclusive água mineral em garrafinhas), sobre compras no exterios, sobre combustíveis para algumas aplicações.

E a panacéia do pré-sal e do etanol, alardeada em prosa e verso pelo EX, que nos transformaria numa Arábia Saudita dos Trópicos se esvai, como areia ao vento. Estamos comprando álcool e gasolina dos Estados Unidos, que sobretaxam nossos combustíveis.

Vamos lá dona deelma. Couro no lombo dos que pagam, pois os que recebem estão adorando e vão continuar votando em vocês.

Um comentário:

Velvet Poison disse...

Notou que o aumento de impostos foi anunciado no fim da sexta-feira? Diluiu-se o impacto disso no fim de semana.

Não sei mais o que nos espera. Ando tão desanimada...