Read In Your Own Language

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Cordelando 43: Fernando Bezerra o MANIMAL

Bezerrão aproveitou
Que eu estava distraído.
Desandou a fazer merda,
Se fazendo de fingido.
Comprou terreno de novo,
Pensando em safadeza,
Cacique tava de olho,
Ele deu uma bobeira.
 
Vindo da famíglia Coelho,
Tudo pode se esperar.
Desde os tempos de seu Nilo,
Que prefeito foi por lá.
Prá bandas de Petrolina,
Terra de muita porção,
De fruta muito bonita,
Vindo da irrigação.
 
Sempre se ouvia falar,
Das coisas de capilé.
Mandando lá no lugar,
Seja homem ou muié.
Fosse da gang dos Coelho,
Coisa boa não é não.
Expandindo os horizontes,
Por quase todo sertão.
 
Até parece absurdo,
Mandar todo orçamento.
Apenas prá Pernambuco,
Com tanta gente sofrendo.
Ponta a ponta da nação.
Tanta tragédia ocorrrendo.
Seja por falta ou porção,
De água do ceu descendo.
 
Desde 2010,
2011 também,
Seguindo 2012,
Mais grana prá lá tem também.
Dinheiro não faltaria,
Escorria do imbornal,
Porque Bezerra seria,
Prefeito da capital.
 
Mesmo na beira do Chico,
Rio valente e valoroso,
Bezerra já bem sabia,
Que mandaria de novo.
Tinha por lá candidato,
Melhor não pudera ser não.
Pois prá ser prefeito alí,
Havia escolhido o filhão.
 
Por enquanto deputado,
Bezerrinha sem plantar.
Colhia muito dinheiro,
Emenda parlamentar.
Comprou cisterna de monte,
De prástico prá render mais.
Fazendo de alvenaria,
Comissão não tinha mais.
 
O mano também coitado,
Num carguinho mixuruca.
Presidia a CODEVASF,
Estatal bem da porruda.
Manejava o dinheiro,
Orçamento federal.
E sem o menor volteio,
Pegava ponta geral.
 
Seu Bezerra eu não durmo,
Se o assunto é safadeza.
Posso estar meio afastado,
Pois não tenho essa moleza.
Trabalho porque preciso,
Porque gosto e não faz mal.
Grana que ponho no bolso,
Justifico na moral.
 
Mas já que o senhor possui,
Nome de Bezerra e Coelho.
Não deixo de lhe botar.
Um apelido pentelho.
Lembrando do personagem,
Que se virava em bicho.
MANIMAL o nome tinha,
Você vai ser ó seu lixo.

3 comentários:

marciagrega disse...

Palmas Cacique!
Faço minhas as suas palavras...
Só o que eles não sabem é nem toda gente é besta!

CHUMBOGROSSO disse...

Cacique, tava sumido
Sem nos dizer porque
Agora reaparecido
Descobrimos só em vê
A faca de sempre afiada
Cortando que só Corisco
Certeiro na navalhada
Corta fundo em fino risco

Certeiro na pontaria
Atira até pelo espelho
Acerta Lupi safado
Acerta larápio Coelho
Só não deixe, bom Cacique
De acertar todo o día
O bom humor dos amigos
Com Cordel de patifaria

opcao_zili disse...

Ótimo, cacique. O Bezerrão vai urrar no TT hahahahaha