Read In Your Own Language

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Bandidos de Toga. Sim, eles existem

Quando a doutora Eliana Calmon diz que tem muito bandido de toga, nêgo fica com raiva dela. Mas todo dia surge uma comprovação que ela está certíssima e por isso erá sempre o apoio deste cacique e da Tribo dos Manaós.
Mais uma nas paradas...O CNJ agora está julgando o pedido de anulação de promoções de 17 (dezessete) juízes ao cargo de desembargador do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, entre 2006 e 2009, conforme publica a Folha de São Paulo. As promoções foram denunciadas ao CNJ por uma entidade nacional que representa juízes.
Segundo a ANAMAGES (Associação Nacional dos Magistrados Estaduais), o tribunal privilegiou parentes de desembargadores e ex-dirigentes de outra entidade de classe em detrimento de juízes mais antigos. A ação afirma que, além de não observar critérios como antiguidade e produtividade, as decisões não foram publicadas em edital.
Entre os promovidos estão Nelson Missias, atual secretário-geral da Associação dos Magistrados Brasileiros, e Doorgal Andrada, ex-vice-presidente da entidade. Ao ser promovido, Missias era o 46º na lista de antiguidad e Andrada, o 41º.
Claro que Missias (esse féla ainda tem um nome presunçoso) vê uma "trama" da ANAMAGES e diz que o órgão "não tem credibilidade e legitimidade para questionar promoções". Já o tal de Andrada diz que aquilo "que o CNJ decidir, eu vou aplaudir".
O Tribunal de Justiça de Minas informou que "vai aguardar a decisão do CNJ e cumprir o que for determinado".
Todo o poder ao CNJ, hoje e sempre. Dra Eliana, pode contar com este cacique e seus leitores.

2 comentários:

Blog do Beto disse...

OLÁ AJURICABA.

BANDIDOS DE TOGAS.

NÃO PODIA TER HOMENAGEM MELHOR.

CAIU COMO UMA LUVA.

ABS DO BETO.

bebethsal disse...

E "eles" insistem em resistir ao crivo da investigação , invocando supostos direitos constitucionais para assegurar a impunidade!