Read In Your Own Language

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Cordelista Visitante 3 - Armando o Circo



Hoje tem show de magia
No circo do @Chumbo_Grosso.
Um convidado de Brasília
Que promete grande alvoroço.
A mágica dele é ligeira
Preste muita atenção
Pode parecer certeira
Mas é “Truque é Pura ilusão”.

O nome dele é Fontana
Lembra o francês da infância
Com seus “contos da carochinha”
Fazia nossa cabeça criança
Com raposa e uvas verdes
Ou com lobo e ovelhinha
Mas que no final da estória
Ensinava uma verdade limpinha.

O Henrique é diferente
É um “mágico” prá adulto
Quer fazer crer toda gente
Do mais burro ao mais culto
Que aquilo que a gente vê
Não passa de paranóia
Mas essa, mágica de grego
É o Grande Cavalo de Tróia

A “mágica” prá ser duradoura
Só funciona se a platéia
Prá esta caixa de Pandora
Concordar com a “panacéia”
A gente entrega aos Partidos
Um papel todo branquinho
E de volta vem Lista Fechada
Com a “turma do colarinho”

Como o inferno está cheio
De gente com boa intenção
Prá não passar por “Seu Zélite”
Consultei cada um dos botões
E um “vermelho” do colarinho
Cochichou no meu ouvido:
“Deixa de sê besta, homem,
Se aprume. Tome sentido”.

É que o “velho comunista”
Lembrou-se da Ditadura
E do Colégio Eleitoral
Que escolhia cavalgadura
Tinha que ser mansa de sela
E do mais suave troteio
Prá “obediente puxar carroça”
Sem risco de perder o freio.

O que o Henrique não conta
É a quem interessa a magia
Mas sou muito bem informado
Tenho “barbada” da coxia
Que me diz ser “pule de 10”
De atrás ter “Conceição Dirceu”
Unzinho que uns tempos atrás
Tentando a subida, desceu

Proporcional Misto na colher
“Adoça o bico” do povo
Que pensa ter feito a metade
Mas aí é que está o engodo
Metade sai da tal Lista
Que tem Genoíno e Barbalho
Sarney, Renan e Maluf
E todas as cartas do baralho

E prá não dar nada errado
Mantém a “Coligação”
Com o Fator Eleitoral
Que faz a maior confusão
Seu candidato tem 1000 votos
Mas tem que ficar esperto
Porque no raspar do tacho
Elegem com 1001, um dejeto

Mas a mágica se completa
Com dinheiro federal
Não chega o levado de grátis
Com o Programa Eleitoral
Tem ainda o Fundo Partidário
Que financia o nanico
E que além de financiar a merda
Financia também o mosquito

Não vai admitir, jamais
O medo que pela o Fontana
De dividir em Distritos iguais
Valendo igual toda gente
Porque no cavalo rebelde
Sela justa, bridão apertado
E espora riscando o lombo
Não deixa rabeia de lado.

Essa é a única magia
Que tem que fazer na Eleição
Botar Voto Distrital
Iguala cidade e sertão
Onde o cabra é conhecido
Por sua ação e idéia
Se é cabra de confiança
Ou se é parte de alcatéia

E cada Distrito faz “um”
Prá representar o seu povo
E quem não andar na linha
Leva podre tomate e ovo
Só disso o Brasil precisa
É repartir a obrigação
De eleitor e representante
Prá gente formar NAÇÃO.

São essas as “uvas maduras”
Que a “raposa” não chupou
E o “rumo da água limpa”
Que o “lobo” não se tocou
Direito ESOPO nos ensinou,
Ou teria sido La Fontaine?
Fontana arranja outra “mágica”
COM ESSA NÃO VEM, QUE NÃO TEM.

ALÔ! ALÔ! CRIANÇADA!
O ESPETÁCULO SE ACABOU:
Hoje teve “CORDELADA”?
- Teve SIM sinhô!
Hoje teve “GO BOIADA”
-Teve NÃO sinhô!
E o FONTANA quem é?
- É CAPACHO DO ZÉ.

6 comentários:

Velvet Poison disse...

Fábulas e cordéis. É um jeito de ir levando essa realidade desgramenta destepaiz! Salve, Novo Cordelista da Tribo!

Ingrid disse...

Adorei . Muito legal mesmo !!!!

Lelezinha_09 disse...

Parabéns! Delícia ler isto!
Gde abç
Zinha_09

moimemei disse...

Sensacional!

Parabéns pelo cordel, que se for difundido aos 4 cantos do país, esclarecerá as pessoas a quem este golpe é dirigido.
Vocês TEM que publicar TODOS estes maravilhosos cordéis!
Isto tem que chegar no povão...

Barenna disse...

Só você mesmo para uma pérola dessa, Pb.
Já publiquei no Facebook. Dez.

opcao_zili disse...

Chumbo, que delícia!. Parabéns.
EU VOTO DISTRITAL!.