Read In Your Own Language

sábado, 19 de março de 2011

UHE Sayano Shushenskaya - Russia

Esse foi um case de estudo de um grupo que participo. Recebi as fotos e filme logo após o acidente (coisa de uns 4 a 6 meses), embora estejam na internet. Fui catar os arquivos e mais algumas informações para o texto e montar o post. Prá relaxar, estava ouvindo a cítara de Ravy Shankar, mas até hoje fico chocado.

A foto acima mostra a usina antes do acidente e as que se seguem depois do acidente.






Como sou do ramo, me permito dizer que, em épocas de críticas exageradas às Usinas Termo-Nucleares, convém mostar esse acidente numa Usina Hidrelétrica na Russia (sempre lá...).
Em 17/08/2009 na usina de Sayano-Shushenskaya no rio Yenisei, localizada na região siberiana de Khakassia, ocorreu um dos maiores acidentes com uma barragem para geração de energia.
Uma usina enorme, com 6.400 MW de potência instalada (Tucuruí, a maior usina totalmente nacional, tem 8.000 MW) e responsável por garantir o suprimento a uma vasta região e ao maior produtor mundial de alumínio a United Company RUSAL.
A gigantesca barragem tem 245 metros de altura, 110 metros de espessura e um quilômetro de comprimento (1066 m) e foi inaugurada em 1978, alojando 10 unidades geradoras.
O acidente foi registrado e mostra o exato momento em que a casa de força é parcialmente destruída por uma enorme onda que se projeta por vários metros de altura. A grande quantidade de água inundou toda a casa de força matando quase 100 dos operários que lá estavam.
Muitas podem ter sido as causas, porém as mais prováveis são:

a) A turbina destruída pode apontar para um dano mecânico maior, como a quebra de várias travessas do pré-distribuidor (um grande objeto estranho admitido na tomada d'água, por exemplo) que pode ter causado a parada repentina da turbina e um consequente calço hidráulico (obstrução repentina do fluxo de água) no conduto forçado (tubulação que leva a água para a turbina) que pode ter-se rompido causando a inundação.
b) A ocorrência de um enorme curto-circuito (nós chamamos curto-circuito franco) em um dos elementos do transformador da unidade geradora, que levaria a uma gigantesca rejeição de carga e teria causado o travamento do gerador. Neste caso o gerador teria bloqueado a turbina que por sua vez teria levado ao calço hidráulico que destruiu a parte final do conduto forçado.
c) Também se especula que uma explosão no transformador poderia ter causado a ruptura da parede do conduto forçado e dai ter desencadeado a inundação da casa de força.
d) Sobre-velocidade (pela rejeição de carga) da unidade geradora também é uma hipótese. Neste caso o comando e o funcionamento do distribuidor, componente que regula o fluxo de água na turbina, deve ter falhado levando a unidade a uma altíssima rotação com sua conseqüente destruição, bloqueio d’água e calço hidráulico.
e) A mais remota hipótese é de sabotagem, que foi veementemente descartada pelas autoridades russas.

O fato é que foi um desastre de proporções nunca vistas (assim com o de Tóquio) e digno de registro, como se pode ver nas fotos acima e nos filmes que se seguem.




video

video

Observem que, mesmo com a magnitude da barragem, ela poderia ter vindo abaixo e destruído tudo a jusante (abaixo) dela. Portanto, essa coisa de ficar em pânico com UTN não procede. Postarei amanhã (20/03) sobre um acidente numa turbina eólica (movida a vento) tão defendida pelos puritanos energéticos.

2 comentários:

NoSense disse...

Impressionante os vídeos.
Uma dica: Como você é do ramo, pesquise, não no google, pois como todo "acidente" no SIN quase tudo é escondido, sobre a destruição de um gerador bulbo e o transformdor auxiliar de UH no leste de MG ocorridos recentemente em uma UH com pouco mais de 1 ano de operação.

Ajuricaba disse...

Vou atrás da informação. Grato pela dica.