Read In Your Own Language

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Megalomania nas Selvas

A copa do mundo de futebol em 2014 e as olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016 vêm despertando os sentimentos mais ufanistas, megalomaníacos e de desejos insanos de assalto aos cofres públicos pelo Brasil afora.
Brasileiro sempre teve a mania de ser e ter o que há de maior no mundo, talvez iniciada pela grandeza de nossa terra e do muito que há nela.
A maior floresta do mundo, o maior rio do mundo, o maior estádio de futebol do mundo, as praias mais belas do mundo; essas coisas mexem com o inconsciente de muitos e, o pior, agitam o consciente e o bem pensado de vários.
Trens-bala e arenas monumentais pipocam país afora, estas últimas a serem construídas muitas vezes para um único jogo.
Na terra em que a grandeza da natureza incentiva tais sentimentos, a coisa não podia ser diferente.
Comentemos sobre um dos maiores absurdos em gestação no Brasil: o projeto do monotrilho de Manaus.
Com tanta opção de transporte de massa mais baratos e de excelente desempenho, não é que a cabocada manauara está querendo implantar um monotrilho?
Putsgrila, tem VLT, BRT e mais uma pancada de opções; mas não; tinha que ser monotrilho.
E tem licitação na praça. Graças a Deus está atrasada há mais de sete meses e não tem previsão para ser retomada. Dá tempo de trabalhar contra esse absurdo.
A obra está orçada na bagatela de R$ 1,3 bilhões, mas já existem observadores especializados que colocam esse valor na casa de R$ 2,5 bilhões.
Tanto o MPF quanto o MPE apontam inúmeras irregularidades e conseguiram parar o processo por cinco vezes. Além disso, a CGU apontou deficiências no projeto básico em relação ao custo da obra maior que o previsto, como o valor da tarifa a ser cobrada. O preço médio da tarifa nas outras cidades do mundo é de R$ 7, enquanto a estimada pelo governo estadual é de R$ 2,50.
O tal projeto básico não possui o detalhamento adequado do projeto arquitetônico das estações, dados de fundações, estrutura, instalações elétricas, hidráulicas, sanitárias, lógica, sinalização e climatização. Uma "coisinha" também fundamental como o pátio de estacionamento e manutenção, possui somente um esquema geral de localização.
Ou seja, se tem uma visão belíssima em autoCad.
Sem contar que contempla uma parte quase insignificante da cidade, conforme se vê na planta a seguir.
Tem-se ainda a concorrência do monotrilho e do sistema BRT em alguns trechos do trajeto, já que conforme as propostas de traçado apresentadas, o usuário poderá escolher entre um e outro sistema, destacando que a tarifa do monotrilho tende a ser maior que a do BRT.
Trata-se, portanto, de uma operação de risco elevadíssimo, com a necessidade de se obter recursos adicionais comprometendo a conclusão do empreendimento.
Outros pontos destacados pela análise da CGU foram a ausência de casos de sucesso, no mundo, quanto à implantação e operação do monotrilho como transporte de massa já que o sistema costuma ser utilizado em parques de diversão, centros de lazer e turismo, como na Disneylândia.
O projeto, apresentado na audiência pública, na UEA, elaborado pela empresa de consultoria Pricewaterhouse tem design moderno mas simples, com seis estações de estrutura de lajes para plataforma e mezaninos soltos sobre os pilares. A propostas prevê acomodação da estação no eixo das avenidas, usando parte do canteiro central existente. A solução prevê nas seis estações conjunto de escadas rolantes e fixas, além de elevador para pessoas com necessidades especiais.
Nos mezaninos estarão estarão alojados as bilheterias e uma área para salas operacionais.
Ao longo do tronco central está sendo considerada a implantação de estações em pontos estratégicos para integração (Terminais Santos Dumont e Arena, onde ocorrerão os jogos da Copa 2014), além de paradas intermediárias relevantes para o acesso dos usuários.
Na segunda fase da obra, prevista para 2014, está prevista a extensão da linha até o Largo da Matriz. A longo prazo, a intenção é fechar um anel ligando todas as regiões da cidade.

3 comentários:

blog do beto disse...

OLÁ AJURICABA.

PRIMEIRO COM SEU CONSENTIMENTO VOU USAR A CHARGE ACIMA DA DILMÍNIMA COM O CONGRESSO NO COLO. SEGUNDO É QUE REALMENTE TUDO NO BRASIL É MAIOR, PRINCIPALMENTE EM SE TRATANDO DE CORRUPÇÃO, ROUBOS E AFINS.
ABS DO BETO.

Ajuricaba disse...

Grande Beto:
Seja sempre muito bem-vindo. Quanto ao uso da deelminha, como diz o Caipira, aqui não tem copyright, nem copyleft, nem copycenter. Use e abuse.

Anônimo disse...

Eu morei em Manaus uns 37 anos, estou aqui no EUA ha 15 anos, e vejos nos jornais transfiguracao da cidade com tristeza, demoliu o estadio Vivaldo Lima, para construir o tal de arena amazonica, que no fim para povao assistir Penarol x Sul America em detrimento das melhorias das escolas e hospitais, puta que pariu, os politicos so pensam em roubar, nao mudou nada desdo meu tempo.
Nos idos de 70, o meu professor da faculdade de engenharia, falava que a mania dos brasileiros era dizer que tudo era maior, entao ele falava, se pintasse a ponte de ferro da 7 de setembro de vermelho, seria maior ponte vermelho do mundo, assim sucessivamente, eita povinho do cacete, mas tai Ajuricaba, depois da copa na cadeira numerada para assistir o jogo Tufao da Colina versus Trem da Colina. Abracos