Read In Your Own Language

terça-feira, 2 de junho de 2015

Um Super-Aeródromo Em Pacaraima - Fronteira com a Venezuela


Postei ontem no Facebook mas, para registro histórico, retomo o tema e gravo aqui na Tribo dos Manaós, pra não dizerem depois que este cacique se omitiu.
Um rápida introdução: a Reserva Raposa Serra do Sol é uma área de terra indígena situada no nordeste do estado brasileiro de Roraima, em terras dos municípios de Normandia, Pacaraima e Uiramutã, colado na fronteira com a Venezuela; destinada por decreto à posse permanente dos grupos indígenas ingaricós, macuxis, patamonas, taurepangues e uapixanas.
A Raposa Serra do Sol foi demarcada através de decreto de 15 de abril de 2005, do Presidênte da Republica Luiz Inácio Lula da Silva, o X9 dos 9 dedos. É uma das maiores terras indígenas do país, com 1.743.089 hectares e 1000 quilômetros de perímetro.
Em abril de 2008, o governo de Roraima entrou com uma representação no Supremo Tribunal Federal, reivindicando a suspensão da ordem de desocupação. Diante da resistência, o Governo Federal reforçou a operação com o envio de soldados da Força de Segurança Nacional para auxiliar a Polícia Federal na desocupação. A representação foi acatada por unanimidade no Supremo e a chamada Operação Upatakon III foi suspensa até o julgamento de todos os processos relativos à homologação das terras indígenas. A PF permaneceu na área.
O então Comandante Militar da Amazônia, General de Exército Augusto Heleno Ribeiro Pereira, militar com larga experiência na região, criticou duramente a separação de índios e não-índios, afirmando que a política indigenista praticada no país era "lamentável, para não dizer caótica" e que os índios "gravitam no entorno dos nossos pelotões porque estão completamente abandonados". 
Alertou também para o problema de grande quantidade de terras indígenas na faixa de fronteira norte do país, citando 14 problemas diplomáticos na América do Sul que poderiam gerar uma guerra; metade deles no norte do continente. 
"Há ameaça de conflitos armados, ainda que não sejam iminentes, mas que podem acontecer devido a um aumento inegável de tensão em algumas relações bilaterais"
Lembrou uma séria perturbação acontecida em março de 2008, que poderia, segundo ele, ter rapidamente evoluído para uma situação bélica. 
Em sua cátedra, o general afirmou que "a melhor maneira de evitar uma ofensiva militar na Amazônia é manter uma força de dissuasão, na floresta. Como um brasileiro não pode entrar numa terra porque é uma terra indígena?"
Pois bem... Além de bater o pezinho, sacanear o general e tirar seu comando, obrigando-o a ir para a reserva, o 9 dedos mandou construir uma senhora pista de pouso em Pacaraima, na beirinha da fronteira com a extremamente democrática Venezuela; capaz de permitir a operação de aeronaves militares de grande porte, sem ter um estilingue para a defesa da fronteira na região.
A imagem que abre este post foi capturada do Google Earth. Que quiser ver é só ir lá e procurar pelo Aeroporto de Pacaraima, coordenadas 4.493833 Norte, -61.168122 Oeste
O vídeo a seguir alerta para este fato de altíssima relevância.
video

Posto este artigo em homenagem ao General Augusto Heleno, com quem tive a honra de tomar um café com pão de queijo e conversar por ótimos 30 minutos num shopping de Manaus, pouco antes de sua remoção do comando do CMA.

Nenhum comentário: