Read In Your Own Language

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Cordelando 103: A Napoleoa Tupiniquim Reassumiu.


Ano Novo começou,
Muita festa lá e cá.
Todo mundo bem feliz,
Esperança a renovar.
Que as coisas melhorassem,
Que o povo viva feliz.
Mas um fato diferente,
Aconteceu no país.

A posse da governANTA,
Marcada no calendário.
Cerimônia ensaiada,
Pra ninguém passar de otário.
Mas aos olhos do cacique,
Tudo vai se transformar.
Pois do jeito que eu vi,
É que passo a relatar.

Vinda lá do Alvorada,
A morada oficial.
Um monte de carro preto,
Só blindado e coisa e tal.
Cruzou toda esplanada,
Até chegar no carrão.
Rolls Royce importado,
Dos tempos do Getulião.

Amuntou na viatura,
A dentuça e sua filha.
Acenando pra galera,
Que foi lá pra botar pilha.
Transportada nos buzão,
Alugados do PT.
Segurando o sanduba,
Bater palma pra valer.

Lá se foram pro congresso,
Pra cumprir obrigação.
De fazer o juramento,
De seguir constituição.
Fazer discurso de posse,
Mentir pra lá de um quilo.
Igualzinho na campanha,
Pro povo ficar tranquilo.

Falou daquelas mentiras,
Acabar com a inflação.
Manter todos benefícios,
Pros pobres desta nação.
Imagino cá comigo,
Se pobreza ainda tem.
Pois é tudo classe média,
Que muito dinheiro tem.

Lembrou do tal PRONATEC,
Que à coroa ofereceu.
Lançando até novo slogan,
Pois o velho não valeu.
Brasil, Pátria Educadora,
É o que passa a valer.
Tendo à frente Cid Gomes,
Penso que vá se fuder.

Como dizia vovó,
E bem sabia a velhinha .
A dentuça tá contando,
Com ovo no cu da galinha.
Pela promessa que fez,
Achando tudo normal,
A bicha tá é contando,
Com os recursos do Preçau.

Prometeu mandar ligeiro,
Pro congresso federal.
Uma lei que vai findar,
Com um flagelo nacional.
Tornar combate ao roubo,
E toda corrupção.
Um crime bem hediondo,
Vai acabar com ladrão.

Ajuste na conta pública,
Cortar gastos pra valer.
Crescer e distribuir renda,
Fazendo o Brasil crescer.
Seja através do governo,
Que de muito faz um nada.
Ou se juntando a quem sabe,
Na iniciativa privada.

Esquecendo o que falou,
E que foi anunciado.
Não vai cortar as benesses,
Do povo assalariado.
Benefícios sociais,
Não vai mexer nada não.
Nem mesmo que a vaca tussa,
Como falou na eleição.

Pra deixar bem mais tranquilo,
O mercado investidor.
Não cansou-se de falar,
Que progresso não parou.
Petrobras de vento em popa,
Prometeu realizar.
E que vai botar nos cargos,
Quem não queira lá roubar.

O resto da bagaceira,
Foi o que eu já falei.
PAC e Bolsa Família,
Vão se firmar de uma vez.
Minha Casa, Minha Vida,
Internet, Segurança.
Mais Médicos e Micro-empresa,
Pra completar a lambança.

Renan cabeleira deu a posse,
Depois que ela jurou.
Disse que daqui pra frente,
O fato se consumou.
Fez a revista das tropas,
Ouviu tiro de canhão.
Trepou no seu Rolls Royce,
E seguiu o baladão.

Lado de lá da avenida,
No palácio bonitão.
A guarda toda formada,
Dragões guardando dragão.
Depois de acenar pro povo,
Subiu a rampa inclinada.
Quando eu vejo ela andando,
Sempre penso: Tá cagada.

Foi aí que aconteceu.
O tema desse cordel.
Desprezando a humildade,
Levantou-se o coronel.
Num ato inusitado,
Que chocou toda nação,
Ela mesmo pôs a faixa,
Igualzinho Napoleão.

Eu não vou deixar barato,
O que acho absurdo.
Mesmo que a tal dentuça,
Ache que ela possa tudo.
Por a faixa nela mesma,
Pareceu-me de mau gosto.
Pois sugere a todo mundo,
Que está acima de todos.

Começou o beija mão,
Gente lá de todo mundo.
Uns normais outros estranhos,
Tinha também vagabundo.
Uns pensavam que podiam,
Demonstrar intimidade. 
Fazendo seu próprio selfie,
Juntinho da autoridade.

Na sequência teve a posse,
Do imenso ministério.
Que de tanta alma penada,
Mais parece um cemitério.
Destaco no meio de todos,
Um que me causa alergia.
Dudu Braga empossado,
Pra cuidar da energia.

Só parte não transmitiram,
Festa no Itamarati.
Pra não agredir a galera,
Que foi lá só pra aplaudir.
Pra quem comeu mortaNdela,
Aguentando sol rachante,
Ver as comidas servidas,
Para o povo elegante.

Feita minha "homenagem",
Para nossa presidentA.
Anuncio o Ano Novo.
Pra quem há muito me aguenta.
Meu cordel vai prosseguir,
Contando minha revolta.
Eu não vou deixar barato,
Minha língua só se solta.

4 comentários:

Raphael disse...

Muito bom Cacique!! Nossa PresidANTA deve estar com Alzheimer,pois, disse que não ia mexer nos direitos do trabalhador já tinha mexido...

Rita Caetano disse...

Mais perfeita descrição não poderia haver!
E à moda da ANTA, aceite meus cOmprimentos, querido Cacique!

CHUMBOGROSSO disse...

Cacique, hoje não tem recordelada, porque a inspiração iria me fazer desfilar um "palavrório cabeludo".
Só quero ver se em 2015 essa Oposição vai se munir de CULHÕES DO TAMANHO DO BRASIL e ACABAR COM ESSA PORRA ...

Anônimo disse...

Cacique
Galinha com ovo virado, que passa dias seguidos sem defecar, só pode soltar merda prá todos lados.