Read In Your Own Language

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Mais Uma Vez 9 Dedos na Alça de Mira


Com informações do excelente Blog Alerta Total
Venho escrevendo aqui na Tribo há muito tempo sobre o lento, gradual, envolvente e alucinante processo de destruição que a corja vermelha e seus apaninguados vêm fazendo na outrora maior empresa da América Latina. Caso tenham paciência deem uma olhadinha aí prá trás e verão centenas de linhas sobre o tema.
Entre eles, trato da verdadeira patifaria (não posso escrever a palavra que pensei porque esse blog é de família) que fizeram na compra e venda da Refinaria de Pasadena.
A compra de uma refinaria tecnologicamente ultrapassada pela Petrobrás e sua posterior negociação causou um prejuízo de mais de um bilhão e a corja pensou que ia ficar por isso mesmo, tendo em mente a leseira que vigora em plagas tupiniquins, onde o povo acalentado por bolsa atrás de bolsa não acha nada errado neste governo.
Só esqueceram que a gloriosa Petrobras tem outros acionista que não o (des)governo. São minoritários, mas aos olhos do sistema de capital aberto têm MUITOS direitos internacionais.
É o que deve boiar logo, logo; na imprensa e nos tribunais.
O mercado financeiro aguarda ansioso a divulgação de detalhes sobre o escândalo, que, inevitavelmente, vai atingir a sacrossanta imagem do 9 dedos, da gerentona e do Sérgio Gabrielli.
Daí prá frente, Mensalão e Rosegate serão fichinha perto do “Petrobrasgate”.
Loola entra no rol por causa de personagens unha e carne com ele e que serão alvos piscantes no escândalo; caso de Guido Margarina (que além de sinistro da Fazenda é presidente do Conselho de Administração da Petrobrás), José Sérgio Gabrielli (ex-presidente da estatal), Almir Guilherme Barbassa (diretor financeiro da empresa e presidente do braço internacional PFICo – Petrobras International Finance Co), além de Nestor Cerveró (Diretor financeiro da BR Distribuidora) e Alberto Feilhaber (que foi empregado da Petrobrás durante 20 anos e que agora é vice-presidente da Astra Oil.
A nojeira já está sendo investigada em segredo mas profundamente pelo Tribunal de Contas da União e está na bica de se transformar em uma ação judicial numa corte internacional, provavelmente em Nova York, movida por investidores internacionais.
Não se pode esquecer que o compra e vende lesivo e irresponsável já foi motivo de forte questionamentos dos acionistas no Conselho de Administração da companhia.
Na sequência, o caso Pasadena deverá ser investigado pelo MPF pois já prepara o processo para investigar o superfaturamento na maioria dos contratos da gestão Gabrielli, a maior fonte dos rombos no caixa, queda da eficiência produtiva e despencamento nos sempre bons lucros da Petrobras.
Na lista dos Big OverCash, ainda estão a refinaria Abreu e Lima, o COMPERJ, as Refinarias Premium do Ceará e Maranhão, a parceria Caracu chamada Gemini - uma sociedade em que a Petrobras entregou a produção e comercialização de gás natural liquefeito (GNL) a uma empresa duzamericanus.
Dona deelma está putinha dentro das calças. Lembrar que ela era a antecessora de margarina e quando era chefe da Casa Civil, também presidia o CA da Petrobrás. Ela diz que foi obrigada a engolir a operação e que não a agradou, mas está no bolo.
Esse foi um dos motivos que fez Dilma, quando assumiu o Planalto, substituir Gabrielli por Graça Foster – que agora tem um bilionário prejuízo para resolver.
Oa acionistas minoritários vêm organizando há algum tempo um movimento para conseguir uma efetiva representação no Conselho de Administração da empresa.
Entre outras bandeiras, os acionistas querem responsabilizar Loola pela propaganda enganosa sobre "a Arábia Saudita dos Trópico" que surgiria com o petróleo e gás de alta qualidade do PreÇau e zilhares de litros de Etanol.

Tendo elevados prejuízos com a desvalorização de suas ações, os investidores se sentem enganados pelas promessas feitas por Loola, e endossadas por Deelma, sobre os investimentos que se fariam de imediato no PréÇau, e por isso puseram a grana no negócio. 
Como agora a Petrobras apresenta sérios, e quase insolúveis, problemas de caixa; os investimentos estão na boquinha de micar; por isso já preparam ações na corte de Nova York, e também no judiciário brasileiro; contra dirigentes da Petrobrás e do governo brasileiro, que entra no credo por ser  o acionista majoritário e, portanto, o que mais interfere nas decisões estratégicas da empresa.
Ontem os investidores estrangeiros disseram nos ambientes negociais que vão revelar nos processos que lobistas se passando por membros do alto escalão dos governos Loola-Deelma e assessores da direção da Petrobrás tentaram levar uma pontinha na formação de parcerias. Segundo eles, essas falcatruas também atingiram os pequenos acionistas da Petrobrás, pois ofereceram a eles participações em outros empreendimentos, desde que considerassem que “cinco por cento deve ter a participação do Senhor X”. Ah...Com certeza não é o menino prodígio Eike. O X aí é aquela velha e tradicional incógnita da matemática.
É um personagem com influência direta no governo brasileiroe que tem poder para ditar regras na Petrobrás desde a gestão de José Sérgio Gabrielli. A boca miúda, comenta-se que o tal “Senhor X” tem nome e sobrenome. Os investidores confidenciam que o grupo do “Senhor X” também sugeria que empresas joint venture que se formassem para os negócios do PréÇau teriam a participação de uma petroleira europeia que já é parceira da Petrobrás em vários campos de exploração fora do Préçau.
Também confidenciam que pelo menos dois altos dirigentes do PT têm íntimas relações com tal empresa, e que a família do “Senhor X” também teria uma participação acionária pequena e espalhada nos diversos negócios prá não dar manchete no mercado.
Assim, os investidores pretendem que consigam com as ações judiciais, auditorias independentes em todos os contratos da estatal, principalmente nos ligados ao PréÇau.

Caso se confirme a informação divulgada ontem pelo Alerta Total de que a revista VEJA vai divulgar mais detalhes escabrosos sobre a compra da refinaria de Pasadena, o chifre do timinho de canalhas vai ferver, principalmete se os investidores irados conseguirem mostrar sua força e provar quem é o tal "Senhor X" e como funciona o esquema mafioso dele contra os interesses corporativos da Petrobrás.
De nosso lado, confirmando as suspeitas de superfaturamento, uma investigação sobre empresas parceiras pode revelar como funciona o grupo do “Senhor X”. e nos ajudar a livrar o país desse flagelo que nos assola há 10 anos.

2 comentários:

opcao_zili disse...

Ótimo, nobre cacique. Se, de fato, os investidores estrangeiros entrarem, eu acredito que o mito se arrebenta totalmente.
Não foi de graça que a tal de Soros ( é esse nome mesmo?) vendeu todas as ações da Petrobrás, há muito tempo.
Processo aqui, creio que será meio inútil pois o homem compra todo mundo.
Será por isso que ele anda dizendo que estão incomodados com o seu sucesso???
O cara é muito, muito cara de pau.

Blog do Beto disse...

olá cacique.
esse filho da PUTA (LULLARÁPIO) INCENTIVOU OS PTRALHAS DA PETROBRAS A INVESTIREM O FGTS NA MESMA. AGORA CORRE O RISCO DE4 SE FUDEREM.

ABS DO BETO.