Read In Your Own Language

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Cordelando 64: Em Boca Fechada Não Entra Mosquito


Todo mundo bem conhece,
O ditado repetido.
Que em boca bem fechada,
Nunca que entra mosquito.
Pois não é que no congresso,
Repetiu-se a enganação.
E mais um que foi depor,
Não respondeu nada não.

Isso tinha acontecido,
Numa sessão do passado.
Nem me recordo quem foi,
Com certeza algum safado.
Chega lá fica calado,
Como coisa natural.
Alegando que mantinha,
Direito constitucional.

Às vezes tem uma cena,
Um truque mesmo nojento.
E obrigam quem depõe,
A pestar um juramento.
O cabra bem caladinho,
Concorda e acha legal.
Mas não diz poha nenhuma,
E fica tudo normal.

Dessa vez foi o bandido,
Chamado de Cachoeira.
Orientado que foi,
Que é prá não dizer besteira.
Ficou somente ouvindo,
Pergunta de senador.
E o Marcinho que né besta,
Cada pergunta anotou.

Fazer papel de palhaço,
Sem que me incomodou.
Mas acho que no congresso,
Coisa norma se tornou.
Fazem pergunta de monte,
Até com coisa legal.
Quando o sujeito se cala,
Fica puto e coisa e tal.

Perguntam da roubalheira,
Da empresa e da mulher.
E o cabra lá bem sentado,
 Só responde se quiser.
Advogado do caro,
Do lado só a ouvir.
Ensinando o depoente,
Até mesmo a sorrir.

A senadora Abreu,
Indignada ficou.
Chamou até de bandido,
Mas o Ômi se calou.
Deu um sorriso de lado,
Fingiu que com ele não era.
E que aquela ofensa,
Por certo não foi de vera.

O senador do Amapá,
Muito mais puto ficou.
Disse que essa vergonha,
O congresso já passou.
Mas que ia se calar,
Sem fazer pergunta não.
A menos que a mulher,
Respondesse a indagação.

O outro do Paraná,
Arriscou a brincadeira.
Se não iria falar,
Que chamasse prá cadeira.
O senhor advogado,
Ex-ministro da nação.
Se a grana era pouca,
Como cobrou dinheirão.

Teve um mais espertinho,
Acostumado a mandar.
Perguntou ao Cachoeira,
Se ele ia entregar.
Todos a quem deu dinheiro,
Seja pouquinho ou montão.
Só prá merecer um dia,
Um favorzinho de irmão.

O fato é que de novo,
No congresso nacional.
Os nossos parlamentares,
Nos fizeram ficar mal.
Perguntaram baboseira,
Quase nada de anormal.
De novo sendo enganados,
Por ixperto marginal.

Mas como nesse Brasil,
Nada escapa ao piadão.
Super Maurício Ricardo,
Nos preparou um filmão.
Mostrando que quem pergunta,
A  um grande figurão,
Na verdade é que não quer,
Escutar resposta não.

2 comentários:

marciagrega disse...

Gente nojenta, tem medo de abrir a boca porque lá dentro só tem merda...bem fedida!!!
Pronto falei!!!

Bom fim de semana querido!

opcao_zili disse...

Boca chiusa, meu amigo. Ou come capim pela raiz. rss
Essa CPMI já deu o q tinha que dar- desmascarar a pseudo investigação e as verdadeiras intenções dela.
Mas, como temos 50% de não instruídos no país, fica no mesmo __ Tristeza em ter que aguenta o resultado de tanta ignorância.