Read In Your Own Language

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Cordelando 133: Estocando Pedaladas


Passados lá 20 dias,
Que abriram a barriga,
Pra tirar uma pontinha,
Quase sempre inimiga.
Andei longe do meu blog,
Seja em verso ou prosa,
Mas voltando devagar,
Vem minha borduna grossa.

Semaninha bem danada,
Que passo a relatar.
Vindo do fim pro começo,
Prum fato aqui registrar.
Depois de fugir rasteiro,
Com passaporte do irmão.
Pizzolato volta hoje,
Pra curtir sua prisão.

Pode ser coisinha pouca,
Quem sabe amanhã soltar.
Mas trazer ele de volta,
Confiança resgatar.
Além do que ele sabe,
Dos meandros do poder.
Se quiser abrir a boca,
A república vai tremer.

E teve também bate-boca,
Deputado e a dentuça.
Pra saber em qual ladrão,
Caberia a carapuça.
Cada um que disputasse,
Afirmação bem abrupta.
Em que casa se firmou,
A maior ação corrupta.

E a ação de impeachment,
Que fica no vai-não-vai.
STF não deixa,
Do jeito que era não sai.
Acho que uma grande pizza,
No forno tá se formando.
E o processo bem gordo,
Aos poucos vai afinando.

Enquanto isso Janot,
Põe pra cima de seu Cunha.
Igual quem mata piolho,
Espremendo unha com unha.
Já prendeu a sua grana,
Decretou até a pena.
Mas não buliu com os outros,
Nem abriu a cantilena.

E o coitado do Levy,
Tá quase perdendo a pele.
Nem bem ele abre a boca,
Negação já se revele.
Ainda não conseguiu,
Aprovar o tal ajuste.
E cada dia aumenta,
O tamanho do embuste.

Mas bom mesmo foi ouvir,
Da boca do 9 dedos.
Aquela velha cantiga,
Que sai da boca de bêbo.
Não pode falar de mim,
Muito menos do partido.
Que roubou lá no passado,
E que também é bandido.

E o Renan Cabeleira,
Recebeu do tribunal.
A conta da governANTA,
Reconhecida imoral.
Já nomeou relator,
Pro processo circular.
Já sabendo de antemão,
Que vai procurar enrolar.

E o rombo da campanha,
Do ano 2006.
Mais de 60 milhões,
Sobrou mesmo pra vocês.
O Banco Schain que paga,
Forjando que emprestou.
Depois ganhou um contrato,
Petrobras reembolsou.

Revirando as palestras,
Que o sapo apresentou.
Pra lá de 47,
No estrangeiro faturou.
Com uma grande esquadrilha,
Toda à sua disposição.
Hotel, luxo, mordomia,
Enganando a nação.

Na conta das empreiteiras,
Tinha o bolsa família.
Não aquele do cartão,
Mas aquela da Sicília.
2 milhão pra filho e primo,
Mais 2 pra nora também.
O que se viu té agora,
Pois muito ainda mais tem.

E a frota de carrão,
Que a PF prendeu.
Na casa do collorido,
Quando a ação procedeu.
Teori mandou de volta,
Pra lá pra casa da Dinda.
Como fiel guardião,
Pode passear ainda.

A imagem de abertura,
Do verso desta semana.
Foi mais uma das belezas,
Ditas pela soberana.
Preocupada com energia,
Que pode gerar ou não.
Mandou estocarem vento,
Para ter reposição.

2 comentários:

CHUMBOGROSSO disse...

Cacique, bom dia. Estavamos já saudosos da sua "borduna pesada" ... Pesada??? hehehe

Teste disse...

Grande Cacique querido.... Sensacional. Simples assim. Já nem sei mais o que pensar, o que esperar. Talvez uma enooorme pizza mesmo. Desolador. Saudade da nossa tribo.

Abraços. Nadiavida