Read In Your Own Language

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Cordelando 111: Se Querem Guerra, Terão. Agora não é Hora de Afrouxar





NOTA INICIAL: geralmente uso uma única imagem para ilustrar os post aqui na Tribo. Hoje, sinto-me obrigado a usar duas para ressaltar a ameaça real feita pelo 9 dedos em sua "defesa da Petrobras" ante-ontem (24/02) tendo como palco a sede de uma improvável coiteira a Associação Brasileira de Imprensa - ABI e como convocantes a óbvia CUT e outra surpreendente Federação Única dos Petroleiros, a quem deveria defender os interesses dos empregados e não dos bandidos que estão destruindo a empresa.
Disse o meliante: " Se eles querem guerra, nós vamos à guerra. É só o Stedile por o exército dele na rua". A amostra está aí. Pessoas ameaçadoras e armadas já mostrando que "vão fazer o diabo"  pra manter o poder e a chave dos cofres. Não vamos nos intimidar.
Agora vamos ao cordel...
===============================================================
Tem coisas que se contar,
Quase ninguém acredita.
Quando pensa que acabou,
De novo é nós na fita.
No gunverno do PT,
A coisa é bem assim.
A canalhice que surge,
Nunca parece ter fim.

O país quebrado e meio,
Devendo o que já não pode.
Precisando cortar gasto,
Porque senão já se fo**.
A invés de fazer isso,
Começando a não dever.
Só se vê aumentar gasto,
E quem paga é você.

Aumentaram a conta CIDE,
Cortaram abono do PIS.
Boicotaram as viúvas,
Só ideia infeliz.
Dificultaram as coisas,
No seguro-desemprego.
Mas não cortaram um zero,
Dos que vivem no borrego.

Quando subiu a despesa,
Do diesel do caminhão.
O carreteiro arretou-se,
Pois não aguenta mais não.
Estrada tá uma merda,
Pedágio tá pela morte.
Coitado do motorista,
Entregue à própria sorte.

Fecharam tudo que é estrada,
Pararam país inteiro.
Ou baixa o que nós pagamos,
Ou prendam o cachaceiro.
Chamaram pra conversar,
Empurrando com a pança.
Já que o ministro falou,
Não conhecer liderança.

Enquanto isso na cidade,
Prateleira esvaziou.
No mercado e na feira,
O produto escasseou.
No campo parou foi tudo,
Não se colhe nem se abate.
O que não pode vender,
Vai pro lixo sem debate.

A dentuça veio a público,
Falou na televisão.
O que aumentou foi a CIDE,
Não foi combustível não.
Ou seja, pergunto eu,
Se aumento não teve não;
Quer dizer que vem mais coisa,
Que se prepare o povão?

Mas não ficou tão barato,
A besteira que fizeram
A agencia baixou a nota,
O grau já não contiveram.
Deu um grande bololô,
E a dentuça respondeu.
O problema com a nota,
É que a agência não entendeu.

E disse mais a danada,
Nem consegue se conter.
A culpa da merda toda,
Quem tem é FHC.
Se ele tivesse feito,
A correção no passado.
O país não estaria,
Nesse buraco arretado.

Pra isso só tem um jeito,
Mesmo pra quem crente não é não.
Contratar o adEvogado,
Que cuidou lá do Fluzão.
Ou chama Dudu Cardoso,
Ministro da porcaria.
Pra acertar um conchavo,
Na cozinha ou na coxia.

E isso é só começo,
O roubo vai ser maior.
Quando chegar lá no banco,
Vai dar o maior boró.
O dinheiro que mandaram,
Pra fora dessa nação.
Sem controle e no sigilo.
Não tendo licitação.

Preocupado com o que pode,
Jogar mais merda no meio.
Coutinho procurou congresso,
Pra ir tratando do bloqueio.
De possível CPI,
Que vai tudo complicar.
E o resto do Brasil,
Na lama se chafurdar.

Outro caminho preventivo,
É o Supremo Tribunal.
Tá não mão do Teori,
O processo principal.
Que inventou um termo novo,
Na hora que for julgar.
Os "Inquéritos Ocultos",
Como pretende chamar.

Como tudo vira graça,
Logo abaixo do Equador.
Teve um juiz federal,
Que do cargo abusou.
Cansado de andar no carro.
Pago pelo tribunal.
Pegou o Porsche do Eike,
Porque achou mais legal.

Também levou Land Rover,
Pôs a bicha na garagem.
Pois se fosse com mais gente,
Dava só uma viagem.
Pras horas vagas que tinha,
E querendo relaxar.
Levou também o piano,
Pro Mozart poder tocar.

No congresso, um atentado,
Pra vergonha nacional.
Deputado usa verba,
Para um fardo adicional.
Quando forem avuar,
Pelo Brasil lá pra cá.
Podem às custas de seu povo,
A muié junto levar.

Precisamos nos ligar,
Em atenção se manter.
Seja impeachment ou intervenção,
Algo tem que acontecer.
O que não pode é ficar,
Correndo assim como está.
Rou todo acontecendo,
E nós aqui pra pagar.

Derrubem este governo,
Prendam tudo que é ladrão.
Demitam os congressistas,
Convoquem nova eleição.
Ponham as coisas no lugar
Dentro ou fora da lei.
Pois eu não aguento mais,
Desse cavalo apeei.

2 comentários:

Monica Torres disse...

E os amigos que lêem..
Possam passar adiante,
Pra que o povo de fato,
Não seja mais ignorante!

CAMARÃO TRICOLOR disse...

Ajuricaba, olá ‼

Pelo Twitter, vi a foto deste Haitiano morto, todo ensanguentado.

Parece que o Mão-Branca voltou , rsrsrs.

Abraços à todos !
Camarão Tricolor.